segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

A FALTA QUE O SENHOR FAZ...


Hoje poderia ser um dia como outro qualquer, mas não é bem assim, justamente em uma segunda feira como hoje em 1991 foi transferido do Hospital Santa Helena para uma clinica da capital do estado onde deveria passar por exames médicos e receber algumas bolsas de sangue uma vez que durante o sábado (13) e domingo (14) ele havia perdido muito sangue pelas gengivas, e por voltas das 23:45 recebemos a triste noticia que ele não havia resistido vindo a óbito, estou me referindo a PAULO LÉLIS DA SILVA (PAULO BALEIA), a expectativa dos filhos que ficaram em Jequié era de receber boas noticias vindas de Salvador, estavam lá com ele sua esposa ELETILDES DE JESUS SANTOS (TIDINHA) e uma das filhas LÉLIA, além de seu cunhado RAIMUNDO DE DEUS.
A noticia chegou por volta de meia noite já nos primeiros minutos do dia 16, (data em que ocorreu seu sepultamento), através de seu irmão AGNALDO e seu compadre VALZINHO, a triste mensagem infelizmente fui eu por ser o mais velho dos filhos a receber, de imediato a triste e dolorosa missão da sair avisando aos demais irmãos (dois) já que os demais moravam na mesma casa. Mesmo assim aquelas que dormiam só vieram saber a noticia quando os outros familiares já sabiam, pois quando sair da casa informei que talvez tivesse que ir a Salvador e que naquele momento estávamos saindo em busca de doadores de sangue para levar a capital.
Foi um dia muito triste e que nunca será esquecido, a expectativa pela chega do corpo o que aconteceu por volta das 14:45, ficando em velório na Câmara de Vereadores até as 16h quando saiu em cortejo fúnebre para o cemitério São João Batista, sendo acompanhado por grande número de amigos. PAULO LELIS DA SILVA, ou simplesmente PAULO BALEIA, ou ainda HOMEM DO RELOJÃO como eu gostava de chamá-lo era um homem alegre que não gostava de ver ninguém triste, foi arbitro de futebol (um dos primeiros de Jequié filiado aos quadros da Federação Baiana de Futebol), um dos criadores da AJA (Associação Jequiéense de Árbitros), era apaixonado pelo futebol da cidade, acompanhava a seleção de Jequié onde ela fosse, grande incentivador da Associação Desportiva Jequié, torcedor ferrenho do Flamengo.
Falar do filho, irmão, esposo, pai, tio e avô PAULO LÉLIS (PAULO BALEIA) é muito fácil, sua vida daria um livro pelo que ele representou aqui na terra para os que o tiveram como amigo. Hoje completam 27 anos de boas recordações e bate no peito aquela saudade, aquele espaço vazio que ficou e nunca será preenchido. As partidas entre Bahia x Vitória  e Flamengo x Fluminense já não tem mais o mesmo significado que tinha antes, pois a cada clássico o derrotado tinha a certeza que eram dias de gozações.
Melhor ir ficando por aqui e deixando que as lembranças fiquem guardadas nos corações de cada um dos que ainda lembram que ele um dia esteve entre nós e pelo que muito representou para cada um.
Sei e imagino que pelo menos nos corações dos familiares ainda existe uma grande ferida que jamais irá cicatrizar.
O bom  em tudo isto é sabermos que quem sabe um dia para honra e gloria do NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, quem sabe um dia todos nós podemos nos encontrar. Fica com DEUS e seu filho esta confirmação.

Mas onde estiver saiba que todos nós te AMAMOS muito. MEU QUERIDO, MEU VELHO, MEU AMIGO. MEU QUERIDO PAI.

DISFUNÇÃO ERÉTIL PODE SER SINAL PRECOCE DE DOENÇA CARDIOVASCULAR...



Pesquisadores norte-americanos sugerem que a disfunção erétil poderia ser um sinal precoce de doença cardiovascular. A descoberta pode ajudar os homens a diagnosticar e tratar problemas de circulação que, mais tarde, elevariam o risco de infartos e derrames.

Uma equipe da Universidade de Northwestern chegou à conclusão depois de revisar 26 estudos com foco nas duas condições. Eles viram que todos os homens com alto risco de doença cardiovascular relatam disfunção sexual.

A disfunção erétil acontece por prejuízos no fluxo de sangue que permitem a ereção normal. Os especialistas acreditam que haja uma conexão entre o problema e a chamada disfunção endotelial, quando os vasos não conseguem se dilatar completamente e permitir que o sangue flua como deveria. E isso também é um sinal precoce de aterosclerose, condição em que placas se acumulam nas paredes das artérias formando uma obstrução, que pode levar ao ataque cardíaco ou ao acidente vascular cerebral.

Os dados, publicados na revista Vascular Medicine, e divulgados no site britânico Daily Mail, podem servir de estímulo para que homens mais jovens com problemas de ereção sejam avaliados em relação à saúde vascular. Com diagnósticos mais precoces, aumentam as chances de prevenção de infartos e derrames.


USUÁRIOS RECLAMAM QUE IPHONE X ESTÁ PUXANDO SEUS CABELOS...

FONTE: Leiaja.com,site parceiro do Leiamais.ba, http://leiamais.ba

Reclamação tem se tornado frequente entre os usuários do smartphone.


Problema de bateria ou tela que trinca facilmente? Nada disso. Alguns usuários do iPhone X estão relatando à Apple que o smartphone está arrancando seus fios de cabelos e pelos faciais. A reclamação tem se tornado frequente em fóruns como o Reddit e até em espaços oficiais da fabricante. As informações são do site PhoneArena.
Segundo os relatos, o problema curioso é causado por um pequeno vão entre a alavanca usada para deixar o celular no modo silencioso e a borda lateral do aparelho. Esse espaço acaba prendendo o cabelo ou a barba dos usuários enquanto eles realizam uma ligação.
Outras pessoas informaram que a situação embaraçosa também ocorreu no vão entre a tela e a borda do iPhone X. O problema incomum não é novo, porém. Em 2014, durante a época do lançamento do iPhone 6, usuários fizeram a mesma reclamação.

O iPhone X, atual vilão dos cabelos arrumados, é o smartphone mais caro já feito pela Apple. Ele é o primeiro celular da marca a trazer tela de OLED e reconhecimento facial como método de autenticação de usuários, recursos largamente disponíveis em aparelhos de outras marcas. O display também vem sem o tradicional botão frontal, o TouchID. No Brasil, ele é vendido por a partir de R$ 7 mil.

VACINA FRACIONADA NÃO VALE PARA VIAGENS, ALERTA ANVISA...

FONTE:, Rosana Zakabi, https://www.msn.com


Brasileiros que pretendem viajar a um país que exige a vacinação contra a febre amarela só poderão tomar a dose padrão do imunizante, e não a fracionada, informou na quinta-feira (11,)a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo nota divulgada no site do órgão, “não será emitido Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia, em hipótese alguma, para quem apresentar comprovante de vacinação com etiqueta referente à dose fracionada”. O documento é obrigatório para a entrada nos países que pedem a vacina.

A imunização com doses fracionadas foi anunciada nesta semana pelo Ministério da Saúde e será adotada em municípios dos estados de São Paulo, Rio e Bahia. O objetivo é aumentar a cobertura vacinal diante do avanço da doença em algumas áreas do país, como a região metropolitana de São Paulo, que confirmou as primeiras mortes pela doença na semana passada.

De acordo com a Anvisa, os viajantes internacionais fazem parte do grupo da população que deve receber a dose padrão. Integram este grupo ainda crianças de nove meses a menores de dois anos; pessoas com condições clínicas especiais (vivendo com HIV/Aids, ao final do tratamento de quimioterapia e pacientes com doenças hematológicas, entre outras) e gestantes.

Para poder receber a dose padrão, os viajantes deverão apresentar o comprovante da viagem no posto de vacinação.


Para entrar na Austrália, China, Colômbia e Índia, é preciso estar vacinado. Confira no link da Organização Mundial de Saúde a lista completa de países exigem o certificado.

DPU GARANTE QUE INSS CONCEDA AUXÍLIO DOENÇA SEM CARÊNCIA ÀS GESTANTES AFASTADAS...

A decisão da 20ª Vara Federal de Porto Alegre/RS tem abrangência nacional.


A Defensoria Pública da União (DPU) ingressou com ação civil pública em face do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em decisão, a Justiça Federal no Rio Grande do Sul determinou, conforme solicitado pela Defensoria, que o INSS se abstenha de exigir carência para a concessão de auxílio doença às seguradas gestantes cuja gravidez seja comprovadamente de risco e que têm, por isso, recomendação médica para afastamento do trabalho por mais de quinze dias.
A decisão da 20ª Vara Federal de Porto Alegre/RS tem abrangência nacional. Segundo o defensor federal e presidente da Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais – Anadef, Igor Roque, ao oferecer assistência jurídica integral e gratuita aos cidadãos e, assim, garantir respeito aos direitos de quem mais precisa, a Defensoria Pública da União exerce papel fundamental.
“Essa é mais uma importante vitória da DPU em benefício dos brasileiros, principalmente da parcela mais vulnerável da população, que quase sempre tem seus direitos negados pelo Estado”, explicou. Na ação coletiva, a DPU argumentou que o artigo 26 da lei 8.213/91, bem como a necessidade de proteção à gestante e à família, permitiam interpretação para viabilizar o pedido. Intimado, o Ministério Público Federal deu parecer favorável ao pleito.

O INSS, por sua vez, manifestou-se afirmando que não haveria previsão legal para a isenção de carência no caso em questão, invocando a Portaria Interministerial MPAS/MS nº 2.998/01, a qual não contemplaria a hipótese requerida pela DPU. Para a Justiça Federal, no entanto, não restaram dúvidas a respeito do caso. No despacho, a 20ª Vara Federal de Porto Alegre/RS ainda oficiou a presidência do INSS para que dê ampla divulgação à resolução, devendo, no prazo de 30 dias, noticiar as medidas administrativas adotadas para garantir que a decisão surta efeitos em âmbito nacional.

BRASIL É O 8º MAIS PERIGOSO PARA CARRETOS...


No Rio de Janeiro, operação policial flagrou bandidos em ação.


Um grupo armado foi flagrado, na sexta-feira, 12, descarregando um caminhão roubado na comunidade de Camarista Méier, no Complexo do Lins, zona norte do Rio. O flagrante da polícia ocorreu 24 horas depois que uma operação policial prendeu dez pessoas e apreendeu um adolescente, anteontem, por roubo e receptação de carga roubada.
Na apreensão de sexta, a polícia carioca encontrou uma grande quantidade de eletrônicos e eletrodomésticos que estavam em uma calçada, a poucos metros da base da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora).
Nos últimos seis anos os registros de roubos de cargas aumentaram 86% no Brasil, passando de 12.124 em 2011 para 22.547 em 2016, aponta a Firjan.
De cada grupo de 88 veículos constantes no Registro Nacional de Transportadores Rodoviário de Carga, um foi alvo das quadrilhas de roubo de cargas em 2016.
O problema do roubo de cargas no país se tornou tão grave que, em uma lista de 57 países, o Brasil é apontado como o oitavo mais perigoso para o carreto de mercadorias, à frente de países em guerra e conflitos civis, como Paquistão, Eritréia e Sudão do Sul.
Entre 2011 e 2016 foram registrados 97.786 roubos de cargas no Brasil, que geraram uma perda superior a R$ 6,1 bilhões. Este valor, segundo a Firjan, representa 5,1 vezes o investimento anunciado pelo governo federal em dezembro de 2016 para a modernização e ampliação do sistema penitenciário brasileiro nos próximos anos.
O roubo de cargas é um crime que afeta a economia por seus efeitos em cadeia, resultando em perda de competitividade, com a transferência dos custos extras para a sociedade através do preço final das mercadorias, destaca a Firjan.

Para os estados ocorre perda da arrecadação de impostos com a comercialização clandestina das mercadorias cargas, continua a federação. “Outro impacto social é o aumento da violência, uma vez que o roubo de cargas vem sendo utilizado, em alguns estados, para financiar o tráfico de drogas e armas. Além disso, regiões com grande incidência passam a ser evitadas pelas transportadoras e a população”, observa.

SAIBA COMO O SONO PODE AJUDAR (OU ATRAPALHAR) A DIETA...

FONTE:, Giulia Vidale, https://www.msn.com



Uma boa noite de sono, além de ser benéfica para a saúde e o bem estar, também é uma ótima aliada da dieta. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico American Journal of Clinical Nutrition, mostrou que dormir as oito horas de sono recomendadas contribui para uma menor ingestão de carboidratos e açúcar. Por outro lado, estudos anteriores já mostraram que a privação do sono pode ter um impacto no apetite semelhante ao da maconha.

Higiene do sono.

Para investigar o impacto do tempo de sono na ingestão de nutrientes, pesquisadores da King’s College, em Londres, realizaram um experimento com 42 adultos saudáveis que dormiam entre cinco e sete horas por noite. Metade dos participantes foi colocada no grupo de intervenção, onde, após realizarem uma consulta de 45 minutos, receberam uma sugestão de higiene do sono de acordo com seu estilo de vida, como evitar cafeína antes de se deitar, ter uma rotina relaxante e controlar a fome. O objetivo era que essas pessoas conseguissem aumentar em até 1h30 o tempo de sono por noite.

Menos açúcar e carboidrato.

Os demais, que eram parte do grupo de controle, e não receberam intervenção nos padrões de sono. Os resultados mostraram que 86% daqueles que receberam os conselhos de sono aumentaram em cerca de 55 minutos o tempo gasto na cama e metade deles aumentou a duração do sono em 21 minutos. Após um mês dormindo melhor, houve uma redução de 9,6 gramas por dia no consumo de açúcar, o que corresponde a meia barra de chocolate ou uma meia fatia de bolo de chocolate com cobertura – e menor consumo de carboidratos.

Intervenção simples.

Estudos anteriores já haviam mostrado que a privação do sono faz com que as células cerebrais tenham maior preferência por comidas pouco saudáveis, que além de fornecerem mais energia, trazem uma sensação de conforto. “O fato de a extensão do tempo de sono ter levado a uma redução do consumo de açúcar […] sugere que uma simples alteração no estilo de vida pode ajudar as pessoas a consumirem dietas mais saudáveis.”, disse Wendy Hall, do departamento de ciências nutricionais do King’s College.


Outra hipótese dos pesquisadores é que, mais tempo gasto na cama equivale a menos tempo petiscando ao longo do dia. Independente do motivo, tentar prolongar seu sono, principalmente se você estiver dormindo menos de oito horas por noite, pode ser uma boa tentativa para manter o peso.

EMPRESA DE LEITE EM PÓ INFANTIL RECOLHE LOTES POR SALMONELA...

FONTE: Agência Brasil,http://leiamais.ba
O suposto foco da bactéria está na fábrica situada em Craon, no oeste da França, e atualmente fechada.
O escândalo do leite em pó infantil que contagiou dezenas de bebês com salmonela na França começa a se estender internacionalmente, uma vez que a empresa Lactalis ordenou a retirada em 83 países de vários lotes potencialmente contaminados procedentes da sua fábrica investigada. As informações são da Agência EFE.
“Há 83 países afetados, que estão sob o mesmo procedimento de retirada de produtos. Temos um gabinete de crise tanto para o exterior como para a França”, afirmou o diretor-executivo Emmanuel Besnier, em uma entrevista publicada neste domingo no pelo Le Journal du Dimanche, a primeira que concede desde que assumiu o comando do grupo em 2000.
No entanto, o responsável do conglomerado familiar Lactalis, não informou quais são os 83 países afetados.
Pelo menos 35 bebês de menos de 6 meses foram infectados na França por salmonela desde que se declarou a crise alimentar em dezembro do ano passado. Desde então, o quadro de todos eles evoluiu favoravelmente.
O leite em pó para bebês da Lactalis, um dos mais consumidos no mundo, pode ter deixado outros dois afetados fora da França: um bebê que foi atendido em um hospital no norte da Espanha, cuja causa provável da sua gastroenterite foi o produto da empresa francesa; e outro na Grécia, que ainda aguarda confirmação.
“De acordo com o Ministério de Saúde francês, 35 bebês adoeceram [por salmonela]. Não há casos novos desde 8 de dezembro. E o anunciado na Espanha na sexta-feira passada remonta ao mês de outubro”, informou Besnier, que antecipou que indenizará todas as famílias afetadas.
O suposto foco da bactéria está na fábrica situada em Craon, no oeste da França, e atualmente fechada.
O escândalo do leite contaminado levou o governo francês a intervir tanto na Lactalis como nas cadeias de distribuição, que seguiram entregando o produto apesar das proibições.
“Há denúncias contra nós, haverá uma investigação e nós colaboraremos com tudo o que a Justiça nos pedir, ainda que nunca haverá risco zero nesta questão, como acontece em outras”, reconheceu.
A Lactalis, fundada em 1933, passou a ser um dos gigantes mundiais do setor lácteo desde que lançou uma oferta pública de ações hostil em 2011 pela italiana Parmalat.

Atualmente, conta com 246 fábricas em 47 países, entre eles Brasil, Espanha, México, Argentina, Colômbia, Venezuela e Chile.

HORA EXTRA NO SMARTPHONE DIMINUI A PRODUTIVIDADE, DIZ ESTUDO...



O smartphone transformou a vida doméstica em extensão do trabalho, o que tem afetado muitos relacionamentos conjugais e familiares. Mas será que as empresas ganharam com essa disponibilidade extra dos funcionários? Um estudo norte-americano mostra que não.

A pesquisa contou com 344 casais em que ambos trabalhavam por tempo integral e usavam smartphones ou tablets para resolver coisas relacionadas ao serviço após a jornada. Os pesquisadores, das universidades do Texas, Baylor e do Estado de Utah, analisaram o impacto desse tipo de comportamento na vida pessoal e profissional dos participantes.

Eles concluíram que, quanto maior o tempo investido nesse trabalho fora de hora, maior a tensão no relacionamento do casal. Como consequência, pior era a performance e a satisfação com o emprego.

Os autores do paper, publicado no Journal of Occupational Health Psychology, comentam que, por mais que muitas empresas não se preocupem com essa nova realidade, elas precisam saber que o conflito entre trabalho e vida pessoal proporcionado pelas tecnologias móveis prejudica a produtividade.


VOCÊ TEVE UM ATAQUE DE PÂNICO?...


 FONTE: Luciana Kotaka -, http://leiamais.ba
Olhar para as nossas dores e resolvê-las é o melhor caminho.
Quem já teve uma crise de pânico sabe o pavor que dá ao passar por essa situação, mas o pior é que isso pode ocorrer novamente, e o medo acaba se tornando um parceiro constante na vida da pessoa que passou por essa experiência. Mas o que fazer para que isso não se repita e que possamos nos proteger de um possível retorno de sintomas?
O mais importante é tentar entender quais foram os gatilhos disparadores da crise, porque precisou chegar tão perto da sensação de morte para acordar para a vida.
No decorrer do tempo vamos utilizando estratégias para lidar com situações que nos causam dor, o fato é que realmente não é fácil olhar para o que nos incomoda e muitas vezes vamos acumulando tristezas e mágoas por anos. Vamos colocando tudo embaixo do tapete e fingindo que tudo está bem. Desta forma, vamos utilizando vários analgésicos em forma de comportamentos estratégicos para dar conta de seguir em frente como se tudo estivesse muito bem. Mas em algum momento esses analgésicos param de surtir efeito e a dor grita socorro em forma de doenças físicas ou emocionais.
Ocorre uma explosão de todas as situações, dores e traumas que você não deu atenção, manifestando no físico  e no emocional para que você olhe e resolva a causa primária da dor. Agora não é mais possível amortecer as dificuldades com analgésicos, vai ter que encarar os fatos que vem ignorando por anos.
As doenças que desenvolvemos e as feridas emocionais ficarão marcadas como uma cicatriz no corpo emocional, demorando muito para deixar de interferir na nossa vida e nos nossos pensamentos. Por isso, é natural que tenhamos medo de sentir a mesma dor, pois cada um recebe essa experiência de uma forma, dependendo tamanho do trauma que viveu.
Marcas deixam uma memória, ficamos presos às situações do passado, mesmo que aparentemente as tenhamos superado. Uma parte da consciência fica identificada ao episódio de dor e só o tempo fará diminuir os efeitos nocivos. A cicatriz ficará ali, mas não terá mais o poder de promover a mesma dor, não irá interferir em sua vida. Esse processo vai além do tempo cronológico, cada um tem seu tempo.

Esses núcleos de dor podem ser o caminho de uma grande aprendizagem quando olhamos para o que nos magoou e aprendemos a ficar com o sentimento, com a emoção. Vamos ficando resilientes, gerando autotransformação. A partir da compreensão do por que o pânico ocorreu e o que as crises vieram escancarar, é que ocorrerão mudanças e você poderá se soltar da dor.

COPINHA 2018: VEJA COMO FICARAM OS CONFRONTOS DAS OITAVAS DE FINAL...

FONTE:, Bruno Barbato,  https://www.msn.com

Neste domingo (14), foram realizadas as partidas complementares da 3ª fase da Copinha 2018. Foram 16 jogos e 8 classificados, que se juntam aos 8 que se garantiram no último sábado (13).

A fase de oitavas de final será disputada entre os dias 15 e 16 (segunda e terça-feira). Ao todo, 16 clubes seguem com o sonho de título da edição 2018 do maior torneio de categoria de base do Brasil.



Palmeiras, Corinthians, São Paulo, Santos, Flamengo, Vasco, Cruzeiro, Internacional, Audax, Goiás, Portuguesa, Vitória, Londrina, Avaí, Atlético-PR e Desportiva Paraense são os clubes qualificados.

Principal clássico desta fase é São Paulo e Cruzeiro, que se enfrentam em Ribeirão Preto. Outro jogo entre grandes clubes é Palmeiras e Vasco, que jogam em Taubaté.

Confira quais são os confrontos das oitavas de final da Copinha 2018:

15/01, às 17h30, em Franca - Atlético-PR x Santos

15/01, às 15h, em Osvaldo Cruz - Internacional x Desportiva Paraense

15/01, às 20h, em Ribeirão Preto - São Paulo x Cruzeiro

15/01, às 16h, em Indaiatuba - Londrina x Vitória

16/01, às 19h15, em Araraquara - Corinthians x Avaí

16/01, às 17h, em Barueri - Flamengo x Audax

16/01, às 15h, em Taubaté - Vasco x Palmeiras


16/01, às 16h, em São Paulo - Goiás x Portuguesa

PARAR DE FUMAR PODE RENDER EM 30 ANOS MAIS DE R$ 1 MILHÃO...


FONTE: Reinaldo Domingos - Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros,http://leiamais.ba
Com os preços atuais, poucas pessoas se dão conta do risco financeiro que isso proporciona.


O consumo de cigarro vem caindo gradativamente nos últimos anos, mas o número de pessoas que possui esse vício no Brasil ainda é grande. Além de gerar problemas para a saúde física, o fumante também é prejudicado em outra saúde, a financeira. Se parar de fumar um maço de cigarro por dia, economizar e investir o valor na poupança, a pessoa terá R$ 1.028.274,92 ao final de 30 anos.
A conta é simples, se um maço custa em torno de R$ 8, um fumante que consome um maço de cigarro por dia gastará a mais, por mês, R$ 240. Esse aumento de custo no orçamento mensal das pessoas com certeza fará com que muitos repensem sobre a importância de acabar com esse vício.
Infelizmente, com os preços atuais, poucas pessoas se dão conta do risco financeiro que isso proporciona. É lógico que esse risco é muito menor do que os físicos, entretanto não podemos negar que esse impacto reflita na economia diária do fumante, especialmente neste momento de crise econômica. 
Uma forma de vermos a importância de parar de fumar para a economia de uma pessoa é analisar que, com os preços atuais do cigarro, se deixar de fumar e investir esse valor (R$ 240/mês, corrigindo anualmente) em uma poupança, por exemplo, ao final de 10 anos, ela terá R$ 63.291,18 e ao final de 20 anos, terá R$ 293.901,45. 
Isso sem que contemos os gastos que um fumante terá nesse período com problemas de saúde ocasionado pelo cigarro e com a perda de rendimento no trabalho em função do cansaço que esse vício proporciona. 
O ato de fumar não faz só que o viciado perca dinheiro, o tabagismo gera uma despesa mundial de bilhões de dólares por ano, considerando os tratamentos das doenças relacionadas ao tabaco, às mortes de cidadãos em idade produtiva, o maior índice de aposentadorias precoces, o aumento no índice de falta ao trabalho e o menor rendimento produtivo. 
Isso é, o cigarro também faz com que os governos tenham menos dinheiro para investir em outras áreas da saúde, o que garantiria uma maior longevidade à toda população. Agora, se você é fumante, imagine: como você estará daqui a trinta anos se continuar a fumar? Sua saúde estará boa? Quanto você terá gasto?

Mas, se as pessoas pararem de fumar hoje e investirem esse dinheiro, daqui trinta anos, além de terem uma qualidade de vida muito maior, ainda terão uma boa reserva financeira. Será que não vale realmente a pena parar de fumar? 

DORMIR BEM EMAGRECE E ALISA A PELE...


FONTE: Thaís Cavalheiro (colaboradora),https://boaforma.abril.com.br


Acha pouco? Pois saiba que uma boa noite de sono também turbina o sexo e favorece o tônus muscular, além de dar o maior pique. Então, já para a cama!


“Longe de ser desperdício de tempo, dormir é essencial para recuperar parte da energia gasta durante o dia e se manter saudável”, diz Silvio de Araújo Fernandes, fisioterapeuta com especialização em ritmos biológicos do Cemsa – Centro de Estudo Multidisciplinar em Sonolência e Acidentes, em São Paulo. Noites seguidas de sono insuficiente provocam uma série de alterações no organismo e, consequentemente, efeitos nada desejados. 

Confira:

Quilos a mais.
As razões do ganho de peso são hormonais. Enquanto você dorme, sua produção de leptina, hormônio da saciedade, aumenta, enquanto a de grelina, responsável pela fome, diminui. Poucas horas sob os lençóis inverte essa gangorra. Essa desregulagem não necessariamente vai aumentar o apetite, mas com certeza diminuirá o ritmo do metabolismo, e você fica com menor queima calórica e maior armazenamento de gordura.

Quem dorme pouco também produz mais cortisol, o hormônio doe stresse, responsável pela resistência à insulina – outro fator que leva ao ganho de peso e ao diabetes tipo 2. Dormir bem, ao contrário, faz aumentar a produção de serotonina, neurotransmissor que provoca sensações agradáveis, além de contribuir para diminuir a vontade de comer doces. Enquanto dormimos, o cérebro também ordena a produção do hormônio do crescimento, o GH, que acelera o metabolismo, ajuda a evitar o acúmulo de gordura, freia a ação do tempo sobre as nossas células e age a favor da massa magra.

Somar anos ao semblante.
“Para além das olheiras e do aspecto cansado, a adrenalina, outro hormônio do stress, induz à compressão dos vasos sanguíneos periféricos que irrigam a epiderme, diminuindo a circulação do sangue no rosto e deixando a pele sem viço”, fala Dalva Poyares, neurologista do Instituto do Sono, em São Paulo, e professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Durante o repouso, o organismo combate com mais facilidade dos radicais livres, que podem causar envelhecimento precoce e até mesmo tumores. É que a escuridão leva à produção da melatonina, o hormônio que, além de induzir o sono, é um poderoso antioxidante.

Aumentar o risco de doenças.
Sem o descanso noturno, o corpo libera menor quantidade de interleucinas, substâncias que agem contra vírus e bactérias. Também pode desencadear depressão e, segundo o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, alguns tipos de tumor.

Diminuir a libido.
O estresse prolongado por déficit de sono interfere até mesmo na disposição para o sexo. Se o sono não é reparador, o corpo sofre uma descarga considerável de cortisol e adrenalina, hormônios diretamente ligados à sensação de cansaço. Segundo um estudo da Fundação Nacional do Sono, nos Estados Unidos, dormir pouco pode, ainda, diminuir a intensidade do orgasmo. Especialistas em sono, aliás, são unânimes: a cama é lugar para dormir e para transar.

O sexo é um tranquilizante natural. Ao atingir o clímax, saem de cena os hormônios do estresse para dar lugar às relaxantes endorfinas, que fazem o cérebro e o organismo funcionarem melhor, interferindo diretamente na qualidade do sono. De quebra, essas substâncias têm ação analgésica e aumentam a tolerância às dores de um modo geral, incluindo as musculares pós-exercício.

Antes que seja tarde.

Prolongar as noites mal dormidas desencadeia outro distúrbio: insônia. Isso porque seu organismo pode estranhar quando você resolver retomar o padrão normal de sono, com hora certa para dormir e acordar. Ela pode ser transitória (ou aguda) – um transtorno que é pontual -, mas existe o risco da insônia transitória se tornar crônica – um quadro mais grave e persistente.

Mulheres em claro.
As mulheres, provavelmente por razões hormonais, são as mais afetadas pela insônia crônica. Sofre desse mal quem não dorme bem três vezes por semana por mais de três meses, segundo Rosa Hasan. “As madrugadas em claro podem ser sintomas de alguma doença psíquica, de ansiedade a depressão, ou física como problemas renais que obrigam a várias idas ao banheiro.” Entre os insones crônicos, encaixam-se tanto os que têm dificuldade de pregar os olhos como os que sofrem de despertar precoce.

Aprenda a dormir melhor.


  • Deixe o quarto totalmente escuro (sem luz indireta da tevê ou do computador) para estimular a secreção da melatonina, o hormônio do sono. A temperatura ambiente também deve estar agradável e as roupas adequadas para que você não sinta frio ou calor.
  • Crie uma rotina de relaxamento antes de ir para a cama. O que funciona: banho quente, meditação, música suave, leitura e pensamentos agradáveis (mentalize um cenário paradisíaco, um encontro romântico e o que mais lhe der prazer para liberar a relaxante serotonina).
  • Jante três horas antes de ir para a cama, evitando comidas calóricas. Assim, a digestão fica mais fácil.
  • Fumo, café e álcool são estimulantes do sistema nervoso central. Abstenha-se pelo menos três horas antes de ir para a cama.
  • Beba água para não ter sede no meio da noite, mas em pequena quantidade. Do contrário, terá de interromper o sono para ir ao banheiro.
  • Não faça atividade física no final da tarde. Para chamar o sono, o corpo precisa esfriar.
  • Faça sexo. Esse é o único exercício liberado imediatamente antes da hora de dormir. O orgasmo também produz endorfinas e induz o sono.
  • Não use medicamentos contra insônia sem indicação médica. Eles podem ter efeito bumerangue e piorar a qualidade do sono. No dia seguinte, você terá a sensação de uma leve embriaguez, correndo o risco de acidentes.

HEPATITE A: SAIBA COMO SE PEGA O VÍRUS E AS FORMAS DE TRATAMENTO...

FONTE: Agência Brasil,http://leiamais.ba 

A hepatite é uma inflamação aguda no fígado, que pode ser causada por vírus, bactérias ou agentes tóxicos, como o álcool.


Neste verão, além da habitual preocupação com doenças como a dengue, a população do Rio de Janeiro foi surpreendida com um grande número de pessoas infectadas com o vírus da Hepatite A. Um surto, com concentração especial na comunidade do Vidigal, já registrou 92 casos notificados e 75 confirmados. Ao longo de 2017, em toda a capital, foram registrados 119 casos.
A hepatite é uma inflamação aguda no fígado, que pode ser causada por vírus, bactérias ou agentes tóxicos, como o álcool. Existem cinco tipos identificados de hepatite virais. De acordo com o infectologista Edimilson Migowski, presidente do Instituto Vital Brazil e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do ponto de vista clínico, não há muita diferença entre as hepatites A, B e C.
“São vários vírus que podem atacar o fígado de forma primária”, explicou à Agência Brasil. Dentre as infecções virais, o que chama atenção na hepatite A é o fato de não evoluir para uma doença crônica, como ocorre com as hepatites B e C.
Apesar disso, ele advertiu que, ainda que tenha uma evolução muito melhor do que as hepatites B e C, o tipo A acaba sendo o principal vilão porque pode causar uma inflamação fulminante ou falência aguda do fígado. Migowski afirmou que a doença, eventualmente, pode evoluir para casos em que há comprometimento do fígado e o paciente pode precisar de um transplante.
O agravamento do quadro pode ocorrer, principalmente, em pacientes idosos ou com alguma doença crônica. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, estima-se que apenas 1% dos casos representa risco de morte, quando evolui para hepatite fulminante.
Sintomas e diagnóstico.
Os sintomas iniciais mais comuns da hepatite A são mal estar, dores no corpo, náuseas, dor abdominal, vômitos, olhos e pele amarelados, urina bem escura e fezes claras. Eventualmente, quando o quadro é muito grave, pode causar insuficiência hepática, sangramento e morte, indicou o infectologista.
Segundo o presidente do Instituto Vital Brazil, a hepatite A tem uma evolução em duas fases: primeiro o paciente apresenta um quadro agudo, que dura entre uma e duas semanas. Em seguida, há melhora e depois, uma recaída. A evolução dura de dois a três meses.
Em crianças, em geral, o quadro passa sem sinais e sintomas característicos da doença. “Passam como se fosse uma gripe, mal estar, diarreia, um quadro mais brando”, diz o infectologista.
Somente a partir de exames de sangue é possível confirmar qual tipo de vírus está envolvido naquele quadro infeccioso.
Contaminação.
O período de incubação do vírus é de 15 a 50 dias. Ou seja, depois que a pessoa “engoliu” um vírus da hepatite A, por meio de água ou alimento contaminados, ela deverá manifestar a doença de 15 a 50 dias depois.
“A contaminação se dá, basicamente, com água ou alimento contaminado com esgoto. Também pode ser uma transmissão entre pessoas. Às vezes, em uma criança que está contaminada e não tem sinais da hepatite, o vírus contamina as fezes e aí o adulto ao manipular ou fazer higiene dessa criança pode se contaminar ou espalhar esse vírus para aquela população”, explicou Migowski.
Falhas na segurança alimentar ou de água podem ser responsáveis por surtos de hepatite A, como parece ter ocorrido no caso recente da comunidade do Vidigal, em São Conrado, zona sul da capital fluminense. A Vigilância Sanitária apreendeu 169 galões de 20 litros de água contaminados em um bar e um depósito de bebidas do local.
Tratamento.
Não existe um tratamento específico para a hepatite A. “Não existe um antiviral que você possa tomar, como tem para gripe e para herpes, por exemplo. Não existe nenhum medicamento que tenha sido comprovado eficaz como antiviral no caso da hepatite A, como tem para hepatite B e C”, destacou Migowski.
Por essa razão, o tratamento é de suporte ao paciente. Ou seja, envolve o uso de analgésicos e remédios para controle de náuseas e vômitos.
Prevenção.
A infectologista Karla Ronchini, consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia, alerta que a melhor estratégia de prevenção é a higiene, além de saneamento básico. “Basta uma pessoa transmitir que, quem está ao redor, tem muita chance de pegar, principalmente pelo tipo de transmissão, pela falta de cuidados com a higiene, porque ele [o vírus] circula”, explicou.
Por isso é importante, entre outras medidas, lavar as mãos após ir ao banheiro ou trocar fraldas de crianças, e antes de comer ou preparar alimentos. Outra recomendação é cozinhar bem os alimentos antes de consumi-los; lavar bem, com água tratada, clorada ou fervida, os alimentos que são consumidos crus, deixando-os de molho por 30 minutos. Também é necessário lavar adequadamente pratos, copos, talheres e mamadeiras e não tomar banho ou brincar perto de valões, riachos, chafarizes, enchentes ou onde haja esgoto a céu aberto.
Caso haja algum doente com hepatite A na residência, deve-se utilizar hipoclorito de sódio a 2,5% ou água sanitária ao lavar o banheiro. Como a transmissão da hepatite A tem uma relação fecal-oral, Karla explica que fazer sexo oral desprotegido também é um fator de risco.
Vacinação.
Existe vacina para a hepatite A, disponível gratuitamente na rede pública de saúde para crianças entre 1 e 2 anos de idade. “É uma vacina segura, eficaz, e pode ser tomada por qualquer pessoa com mais de um 1 ano de idade mas, infelizmente, na rede pública, isso só acontece com crianças”, explicou Migowski.
Segundo o presidente do Vital Brazil, a vacina não é cara, mas ele observou que neste momento não há um laboratório que consiga produzir e entregar para o país uma quantidade muito grande do insumo. “Existe certa dificuldade na obtenção do produto”, disse.
Na rede privada, é possível encontrar a vacina contra hepatite A inclusive para adultos. “Tem uma vacina combinada de hepatite A e B, o que otimiza o esquema de imunização”, apontou.
Contaminação na infância.
O infectologista destacou que, no Rio de Janeiro, alguns programas de saneamento do governo estadual em comunidades, como o Favela Bairro, tiveram um efeito positivo para o controle da doença, com ações como a cobertura de valas e coleta de lixo.
A partir dessas intervenções, no entanto, o perfil de infecção é alterado, passando a ser mais comum em adultos. “Antigamente, as crianças infectavam-se muito cedo e, quando chegavam à idade adulta, não se infectavam mais. Só tinham uma vez a hepatite A”, diz.
De acordo com Edimilson Migowski, percebe-se mais os surtos e a circulação da hepatite A hoje do que há 40 anos ou 50 anos, quando a doença acometia principalmente crianças. Agora, tendo em vista que as crianças vêm sendo vacinadas e houve melhora no saneamento básico, muitos moradores que nasceram após as intervenções do Favela Bairro, já em comunidades com melhores condições de saneamento, não se contaminaram na infância. Com isso, aponta Migowski, o quantitativo de adultos vulneráveis é maior.
Há 30 anos, segundo o infectologista, podia-se dizer que 100% dos brasileiros já teriam tido hepatite A. A realidade hoje pode variar de região para região, mas estima-se que, no Rio de Janeiro, entre 20% a 30% da população até 35 a 40 anos já tiveram hepatite A quando crianças.

“Isso significa que existe um quantitativo grande de adultos vulneráveis. E, no adulto, a hepatite A tende a ter maior gravidade e maior riqueza de sinais e sintomas”, explicou.