domingo, 22 de outubro de 2017

NOVAS TECNOLOGIAS PARA MONITORAR A GRAVIDEZ...

FONTE: , vandrvieira, (https://www.msn.com).


Além de satisfazer a curiosidade dos casais à espera de um filho, uma tecnologia desenvolvida no Rio de Janeiro promete flagrar problemas de saúde, como anomalias e tumores, com mais precisão. A novidade tem maior alcance que os exames convencionais e consiste em converter as imagens captadas na ultrassonografia e na ressonância magnética em um formato 3D — para a experiência completa, é preciso até usar óculos especiais.

“O processo leva no máximo seis horas para ser concluído”, conta seu idealizador, o ginecologista e obstetra Heron Werner, da clínica Alta Excelência Diagnóstica. Inclusive a hora do parto ficaria mais segura. Se uma encrenca nas vias aéreas for detectada, por exemplo, a equipe médica estará pronta para evitar intercorrências.

Ver o bebê com as mãos.

Werner e sua equipe estão por trás de outro recurso tecnológico importante: um software que consegue gerar arquivos para impressões em 3D. A partir desse material, dá para fazer um molde do pequeno em gesso ou resina. Assim, pais e mães com deficiência visual têm a oportunidade de acompanhar o desenrolar da gestação de pertinho.

5 TIPOS DIFERENTES DE MEDITAÇÃO PARA VOCÊ TESTAR E DIMINUIR A ANSIEDADE...

FONTE: Fabiana Nanô, Colaboração para o UOL, (http://estilo.uol.com.br).


A prática diária da meditação se faz mais do que necessária nos dias atuais, com o estresse e a ansiedade aumentando cada vez mais. Estes, porém, não são os únicos males que são tratados com a prática. “Várias pesquisas foram feitas usando a meditação para o tratamento de doenças crônicas [diabetes, hipertensão e dores] e, na maioria dos casos, o efeito foi positivo para a saúde, bem-estar ou qualidade de vida”, diz o pesquisador Rui Afonso, do Hospital Israelita Albert Einstein.

Segundo ele, uma pesquisa conduzida pela médica Elisa Kozasa, também do Einstein, concluiu que a pessoa que medita diariamente tem o cérebro mais eficiente e consegue lidar melhor com o estresse e a ansiedade. “A meditação age em várias vias de neurotransmissores, regulando a liberação de substâncias importantes para a saúde mental, e o principal efeito é a redução nos níveis de ansiedade, estresse e melhora do humor”, diz ele.

Ainda segundo o pesquisador, não existe uma meditação melhor que outra. “Depende muito do perfil do praticante e do contexto em que ele está inserido. Talvez a recomendação aqui seja experimentar alguns tipos e praticar aquele que mais faça sentido.”

5 tipos de meditação para controlar estresse.

1 Mindfulness.
O termo significa atenção plena. Nesse tipo de meditação, você fica atento ao que está fazendo naquele momento. Além da atenção, no mindfulness você treina a "curiosidade" ou "mente de principiante". "Seria uma atitude na qual estamos abertos à situação sem julgá-la", afirma Marcelo Demarzo, médico e especialista em mindfulness. Existem as técnicas atencionais, em que você usa uma âncora --como a respiração ou o corpo parado ou em movimento-- para focar sua atenção. Há também técnicas construtivistas, que têm a intenção de gerar um determinado estado na pessoa. E há também práticas analíticas, que levariam a certas reflexões ou autorreflexões.

2 Meditação Transcendental.
Nela, você ensina a sua mente a mergulhar no campo transcendental. "Você não tem o futuro, nem o passado, nem o agora. É a experiência da consciência conhecendo a si mesma", diz Eliana Humenco, instrutora da técnica. Segundo ela, existem etapas para esse aprendizado. "É uma técnica de experiência prática, a pessoa aprende a atingir este campo e a alcançar de forma sistemática o estágio consciência pura." Eliana conta que é um estágio profundo como o sono, só que com a mente alerta. Neste tipo de meditação, não há técnicas focais --como, por exemplo, focar na respiração-- nem tempo presente. "Você não precisa se concentrar nem controlar pensamentos", acrescenta Eliana. O intuito é mergulhar na consciência.

3 Raja Yoga.
A Raja Yoga é uma técnica de meditação pautada no autoconhecimento. O principal objetivo é a compreensão de quem você é e qual é o seu estado original. "Essa é a primeira pergunta de quem pratica essa meditação", diz Juliana Vilarinho de Faria, coordenadora do Instituto Brahma Kumaris, em São Paulo. A Raja Yoga não lança mão de nenhuma técnica focal e tampouco utiliza os asanas --posturas da ioga. Ela pode ser feita sentada ou em movimento e o importante é seguir quatro passos definidos que levam a pessoa a atingir esse estado original de plenitude.

4 Meditação Vipassana.
Ela vem do Budismo indiano e também é pautada no autoconhecimento, na auto-observação e na busca profunda da interconexão entre mente e corpo. A diferença é que a técnica é ensinada em cursos presenciais que duram alguns dias, durante os quais os participantes devem seguir um Código de Disciplina recomendado, aprendem os conceitos básicos e praticam o suficiente para experimentar os seus resultados benéficos. Entre os princípios do Código, está o de não matar, roubar, mentir, tomar intoxicantes ou praticar atividade sexual. Os participantes também devem praticar o silêncio e são aconselhados a não cruzar olhares.

5 Meditação Zazen.

Ela vem da tradição do Zen-Budismo, um braço do Budismo que surgiu no Japão. Segundo a Monja Zentchu Sensei, a meditação Zazen deve acontecer com os olhos entreabertos e com o corpo sentado de forma correta. Uma das intenções dessa meditação é ter consciência de suas percepções. "Nós tentamos perceber a respiração, não controlar", explica ela. "Depois que que conseguimos ter consciência de nossas percepções e também das emoções que essas percepções carregam, chega o momento de entrar em comunhão com nós mesmos. Esse é o despertar, é ver a realidade como ela é." Segundo a Monja, é este o ponto central do Zazen: perceber como trabalha a mente, como ela percebe o universo e, então, conhecer quem realmente somos. 

COLÁGENO É INDICADO A PARTIR DOS 35 ANOS PARA EVITAR DESGASTE DA CARTILAGEM...

FONTE: Chloé Pinheiro, (http://estilo.uol.com.br).


Ele é a proteína mais abundante do corpo e funciona como uma espécie de tijolo na construção de diversos tecidos: ossos, dentes, tendões, músculos... e pele. O problema é que, com o passar do tempo, sua fabricação natural diminui. “Nunca deixamos de produzir, mas um conjunto de fatores afeta a sintetização a partir dos 35 anos, como dieta, estilo de vida e questões de saúde” comenta Marcella Garcez, nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia, de Curitiba.

Os especialistas indicam tomar suplementos de colágeno a partir desse ponto. Mas o assunto ainda gera dúvidas porque até pouco tempo se pensava que o colágeno que ingerimos, por ser quebrado durante o processo digestivo, não atingiria a parte mais superficial do corpo. “O colágeno é dividido em peptídeos que são absorvidos sim e tem funções muito interessantes na cicatrização da pele, no combate ao envelhecimento facial, na recuperação de cirurgias ortopédicas, para a cartilagem e muitas outras áreas”, aponta Tatiana Gabbi, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Isso porque os tais peptídeos, depois de passarem pelo sistema digestivo, irão formar os colágenos necessários para cada órgão do corpo. Isso já acontece com a comida, quando ingerimos proteínas animais --especialmente pele e couro-- e vitaminas como a C. Esses alimentos estimulam a produção do colágeno, mas a pele, os cabelos e as unhas acabam ficando por último na distribuição desses ajudantes.

Colágeno para as articulações.

“Há cinco anos eu dizia que o suplemento não funcionava, mas hoje os estudos provam que ele consegue sim atuar na pele e não só, mas especialmente nos tecidos que não se regeneram, como a cartilagem”, destaca Marcella. Assim como a pele, a cartilagem que reveste as articulações da coluna, do joelho, dos cotovelos e tantas outras juntas também depende muito da proteína e sofre com a ação do tempo. Assim, o aporte extra pode ser um aliado para atenuar os sintomas da artrose e de outros males que atacam as articulações.

Por exemplo, um trabalho de 2011 da Universidade Charles, na República Tcheca, descobriu que o suplemento de colágeno pode ser mais eficaz do que o sulfato de glucosamina, substância popularmente utilizada para combater desgastes articulares, em mais de mil mulheres que tinham artrose de joelho.

As participantes, que tinham de 40 anos para cima, ingeriram os suplementos por cerca de três meses. No fim da pesquisa, as voluntárias que haviam tomado colágeno notaram uma melhora muito significativa na intensidade da dor – 80% do grupo contra 40% da parcela que usou a glicosamina. E os testes físicos realizados pelos pesquisadores comprovaram que o desgaste passou a impactar menos a qualidade de vida delas depois do colágeno.


A pele agradece.

As evidências também apontam que a ajudinha extra do suplemento devolve firmeza, hidratação e atenua rugas. Para citar um exemplo, um estudo recente comparou os efeitos de três produtos à base de colágeno hidrolisado em 60 mulheres que tinham idades entre 46 e 69 anos. Depois de 8 semanas, os grupos que tomaram qualquer um dos três produtos apresentaram maior firmeza da pele e elasticidade do que as voluntárias que tomaram placebo. As participantes também notaram melhora nas rugas. O trabalho foi realizado por pesquisadores do Centro de Farmacologia Voltado à Dermatologia (CPAD) do Hospital L’Archet 2, na França.

Resultados animadores, desde a suplementação seja feita do jeito certo. “Ela funciona, porém é preciso ingerir uma dose considerável, de cerca de 10 gramas por dia, o que equivale a mais de dez cápsulas, para obter algum benefício, e de maneira constante”, conta a nutróloga curitibana. Não há nenhum perigo em tomar essa quantidade de cápsulas, mas também não é lá muito agradável. As versões em pó são as mais indicadas por serem mais fáceis de consumir na quantidade recomendada.
Elas são vendidas em sachês e podem ser diluídas em sucos, no iogurte ou em outras receitas. Grande parte dos produtos disponíveis na farmácia também leva aromatizantes e é possível encontrar a versão natural, à granel, mas também sem as vitaminas necessárias para a síntese do colágeno que já são incluídas nas versões industrializadas.


Antes de comprar, entretanto, consulte o médico e fique atento aos rótulos: não é qualquer colágeno que tem esses poderes. “Para ser absorvido pelo organismo da melhor maneira ele precisa ser hidrolisado, processo que produz peptídeos, substâncias que auxiliam o trajeto do colágeno à pele”, aponta Letícia Fontes, Nutróloga da Clínica MEI (Medicina Integrativa), de São Paulo.

PREFEITURA REALIZA AÇÕES DE PREVENÇÃO E COMBATE AO AVC...

FONTE: (http://leiamais.ba).


A obesidade continua sendo uma das principais causas para o Acidente Vascular Cerebral (AVC). Mais da metade da população de Salvador, 53,8%, está acima do peso ideal. O índice de obesos registrados na capital baiana, de 19,9%, é superior à média nacional - 18,9% - de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Em alusão ao Dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral (AVC), lembrado em 29 de outubro, a Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal da Saúde em parceria com a Rede Brasil AVC, a Secretaria de Saúde do Estado (SESAB), e o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO), realiza uma série de atividades voltadas à orientação da população com uma equipe multiprofissional.

MEDICAMENTOS PODEM AFETAR SUA SAÚDE BUCAL. ENTENDA...

FONTE:, (https://www.msn.com).



Medicamentos podem apresentar efeitos colaterais na boca, dos quais a "boca seca" é o mais comum. Não deixe de informar seu dentista sobre os remédios que você está usando, mesmo aqueles comprados sem receita médica.

Os seguintes medicamentos podem causar o ressecamento da boca:

•Anti-histamínicos (Antialérgicos);
•Descongestionantes;
•Analgésicos;
•Diuréticos;
Medicamentos para pressão alta;
•Antidepressivos.


Outros remédios podem causar inflamações, ulcerações, dormência, formigamento, distúrbios de movimento, alterações do paladar e, durante a escovação ou do uso do fio dental, sangramento excessivo da gengiva. Se perceber quaisquer desses sintomas, consulte seu dentista ou médico.

VOCÊ USA ADOÇANTE? MELHOR MANTER A MODERAÇÃO...

FONTE: Luciana Mastrorosa, Colaboração para o UOL, em Buenos Aires, (http://estilo.uol.com.br).


Os adoçantes artificiais vêm sendo usados há anos para diminuir as calorias dos alimentos, mas seu efeito no emagrecimento é controverso. Peter Rogers, da Universidade de Bristol, no Reino Unido, apresentou dados animadores no 21º Congresso Internacional de Nutrição, em Buenos Aires, Argentina.

Estudos com ratos e humanos apontaram que o uso de adoçantes em substituição ao açúcar, especialmente em bebidas, poderia, de fato, levar a uma ingestão calórica reduzida, ajudando, assim, na perda de peso. A vantagem das bebidas com adoçantes seriam comparáveis até à ingestão de água, pois teriam o bônus de ajudar a reduzir o desejo por doces. E, se consumidas antes das refeições, poderiam contribuir também para uma maior saciedade, levando à menor ingestão de comida.

Os resultados apresentados por Rogers no Congresso seriam ótimos, não fosse o fato de que, em julho deste ano, Meghan Azad e equipe, do Canadá, apresentaram outro artigo científico, afirmando que não há evidências suficientes que suportem os apregoados benefícios no consumo de adoçantes com objetivo de emagrecer.

E mais: de acordo com esse estudo, a longo prazo, o consumo rotineiro dessas substâncias poderia estar associado não só a um risco cardiovascular aumentado, como ao risco de... ganho de peso!

Rogers criticou o artigo durante sua palestra, dizendo que a quantidade usada era muito acima do consumo normal. Mas não mencionou que Azad rebateu publicamente essas críticas e que afirmou, entre outras coisas, tratar-se de algo potencialmente irresponsável dizer que bebidas com adoçantes seriam melhores para a saúde do que água.

Um ponto a favor aos adoçantes, como explicou France Bellisle, da Universidade de Paris é que eles, de fato, podem contribuir para reduzir o desejo por doces, com a vantagem da redução calórica. “A vontade de comer doce vai diminuindo gradativamente ao longo da vida, mas alguns adultos continuam a ter um desejo muito forte por esse tipo de sabor”, diz ela. Assim, nesses casos, as bebidas adoçadas seriam até mais interessantes para colaborar com a perda de peso, pois substituem o açúcar.http://assets.pinterest.com/images/pidgets/pinit_fg_en_rect_red_28.png

E agora, tomar ou não?

Para entender melhor esse cenário, O UOL conversou com a nutricionista Ana Paula Gines Geraldo, professora da Universidade Federal de Santa Catarina e doutora pela Universidade de São Paulo com pesquisa sobre adoçantes.

“São necessários mais estudos para que sejam realmente comprovados os benefícios do uso de adoçantes”, diz. Mas sentencia: “Adoçante como única estratégia não funciona”.

Ana Paula explica que, até recentemente, os benefícios e indicações do consumo de adoçantes estavam muito claros, tanto no controle da glicemia quanto na manutenção do peso corporal. Só que, a partir de um certo ponto, foram descobertos receptores para o gosto doce no intestino, e isso motivou cientistas do mundo todo a estudar o impacto dos adoçantes na microbiota, muitos deles ainda sendo desenvolvidos. Os primeiros resultados já começaram a aparecer, alguns com resultados destoantes do cenário anterior, como no caso do artigo de Azad.

Não adianta adoçante sem mudar o estilo de vida. A questão, como aponta Ana Paula em seu doutorado, é que, em geral, os consumidores desse tipo de produto estão em guerra com a balança e acabam enxergando nos edulcorantes uma esperança para reduzir o peso, sem alterar outros aspectos do estilo de vida.

“É aquela pessoa que vai na lanchonete, pede o hambúrguer e a batata frita, e toma um refrigerante diet. Não adianta nada”.

Além disso, há pessoas que acabam consumindo adoçantes, ou produtos elaborados com eles, em grande quantidade, o que não é o mais adequado.

Mesmo sendo seguros para consumo, existe um limite, a IDA – Ingestão diária adequada – para cada tipo de produto. “O recomendável é estar sempre bem abaixo da IDA”, diz Ana Paula.

“Se você come tudo diet, acaba não sabendo o quanto está consumindo, porque os rótulos não informam a quantidade exata do adoçante, só o tipo utilizado”.

A recomendação mais segura até agora para quem faz uso desses produtos continua sendo o equilíbrio.


“Dentro de tudo o que estudei, acho que os diabéticos se beneficiam sim do consumo de adoçantes”, afirma Ana Paula. No caso de emagrecimento ou manutenção do peso, o ideal é que ele seja consumido na menor quantidade possível, dentro do contexto de um estilo de vida saudável e uma dieta que realmente leve à perda de peso.

NINGUÉM ACERTA MEGA-SENA E PRÊMIO VAI A R$ 16 MILHÕES...

FONTE: Tribuna da Bahia, Salvador,(http://www.trbn.com.br).

A quina teve 77 apostas ganhadoras, com o valor de R$ 22.167,05 para cada um. A quadra teve 4.689 apostas ganhadoras, com o valor de R$ 520,02 para cada um.


Ninguém acertou as 6 dezenas do concurso 1.980 da Mega-Sena que foi sorteado neste sábado (21) no município de Assis Chateaubriand (PR). A estimativa de prêmio para o próximo concurso é de R$ 16.000.000.
Veja as dezenas sorteadas: 12 - 16 - 17 - 18 - 34 - 37.
A quina teve 77 apostas ganhadoras, com o valor de R$ 22.167,05 para cada um. A quadra teve 4.689 apostas ganhadoras, com o valor de R$ 520,02 para cada um.

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

BEBÊ FAZ TRANSMISSÃO AO VIVO DE MÃE TOMANDO BANHO...

FONTE: Leia Já, site parceiro do Leia Mais,(http://leiamais.ba).

Mãe só percebeu o que estava ocorrendo quando suas amigas começarem a ligar para avisá-la.

Se você tem uma criança em casa que já se sente à vontade com os smartphones, é melhor ter cuidado. Isso porque mais um caso envolvendo o mau uso da tecnologia foi relatado recentemente por uma mãe. Uma mulher identificada como Viviane Souza deixou seu celular na mão de seu filho, de apenas 2 anos. O problema é que o bebê, de forma acidental, realizou uma transmissão ao vivo do momento em que ela tomava banho.
Segundo a publicação, a mulher deixou o bebê brincando com o aparelho e foi tomar banho. De repente, o menino entrou no banheiro com o celular em mãos, sorrindo bastante. A mãe achou que ele estivesse apenas fotografando, mas logo notou algo estranho. A criança estava transmitindo o banho dela ao vivo.

Viviane só percebeu o que estava ocorrendo quando suas amigas começarem a ligar para avisá-la. Segundo ela, oito pessoas acompanharam a transmissão. "Eu estava falando com as minhas amigas e ao mesmo tempo, tentando desligar a transmissão. E o meu celular começou a travar. Eu não sabia se chorava ou se saía correndo. Então, consegui parar, mas não tive coragem de ver o vídeo porque estava com vergonha de mim mesma", contou.

ESTUDO MOSTRA COMO GERMES DO INTESTINO PODEM AJUDAR A TRATAR ANSIEDADE...

FOTO: Do UOL, (http://estilo.uol.com.br).


Um grupo de pesquisadores do “APC Microbiome Institute”, da Universidade de Cork, na Irlanda, descobriu uma conexão intrigante entre as bactérias que vivem no trato gastrointestinal e a ansiedade. A relação entre o microbioma intestinal e os problemas ligados à ansiedade não é novidade --estudos já provaram esse vínculo anteriormente. Contudo, essa é a primeira vez que uma pesquisa percebe como isso funciona.

O estudo, publicado no periódico “Microbiome”, mostrou que os germes do intestino influenciam no funcionamento de uma molécula específica chamada microRNA, ou miRNA, encontrada no cérebro. “Isso é importante porque essas miRNAs podem afetar processos fisiológicos que são fundamentais para o funcionamento do sistema nervoso central e outras regiões do cérebro, como a amígdala cerebral e o córtex pré-frontal, ligados à ansiedade e à depressão”, diz Gerard Clarke, autor do estudo.

Os cientistas foram capazes de identificar essa conexão ao comparar o crescimento de ratos em meios sem germes com ratos em meios normais. No ambiente sem bactérias, quase 135 miRNAs agiam de forma diferente. Depois de adicionarem os micróbios de volta ao meio, os níveis da molécula voltaram ao normal.

Uma oportunidade nova de tratamento.

Os pesquisadores também repararam que diminuir a quantidade de germes usando antibióticos afetou os níveis da miRNA no cérebro, algo semelhante ao que aconteceu nos ratos expostos em ambientes sem bactérias. A explicação ainda não está clara, mas a descoberta pode oferecer uma alternativa aos tratamentos dos problemas relacionados à ansiedade. “Nosso estudo sugere que alguns dos obstáculos que estavam atrapalhando a exploração do potencial terapêutico das miRNAS podem ser esclarecidos por meio do mapeamento dos germes intestinais”, explicou Clarke.


Talvez o estudo ajude em breve a tratar pessoas com esses transtornos. Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgadas no início desse ano, 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade e a depressão afeta 5,8% da população. Isso faz do Brasil o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo e o quinto em casos de depressão.

PAI DE AUTOR DOS DISPAROS EM ESCOLA ESTÁ 'SEM CHÃO'...

FONTE:, (https://www.msn.com).


Sem chão, transtornado, perplexo são adjetivos usados pelo tenente-coronel Marcelo Granja, assessor de imprensa da Polícia Militar, para descrever o estado de espírito do pai do adolescente que atirou em colegas no Colégio Goyases, na sexta-feira (20), matando dois e ferindo outros quatro alunos.

Tanto o pai quanto a mãe do jovem, que teve a internação temporária decretada no sábado (21), são militares em Goiânia, onde ocorreu o atentado. O pai é major. "Eu liguei e falei como amigo, não como policial. Ele agradeceu e disse que está sem chão, que não imaginava uma situação dessas. Disse que não sabe como vai ser a partir de agora. Está muito transtornado e perplexo", disse ao G1.


Granja contou que, coincidentemente, na manhã do crime estava com o colega em um congresso. "Por volta de 11h, nos despedimos e fomos almoçar, cada um em um local. Menos de uma hora depois, fiquei sabendo. Quando cheguei à escola, ele já estava lá". Os dois militares serão ouvidos pela Corregedoria da Polícia Militar nesta semana. A arma do crime, uma pistola .40, pertencia à mãe do menino.

PROJETO QUE REGULAMENTA “PAREDÃO” CAUSA POLÊMICA...

FONTE: Jordânia Freitas, Tribuna da Bahia, Salvador,(http://www.trbn.com.br). 

Segundo Maurício Trindade, o projeto tem o objetivo de destinar um local específico para quem quer fazer eventos do gênero.


Som nas alturas, bebidas e muita sensualidade. Há algum tempo, os bairros populares de Salvador se tornaram palco para o movimento dos paredões, que tem como principal característica a presença de caixas de som de alta potência acopladas a carros ou em palcos. Um projeto de lei que tramita na Câmara Municipal propõe a regulamentação da festa, causando polêmica e dividindo opiniões.
“É uma zoadeira danada, baixaria. Só tem tiroteio, coisa ruim. Tem que acabar com tudo isso aí”, opinou a vendedora Débora Santos, que comemora o fato de morar na região da Sete Portas, onde, segundo ela, não há eventos com este tipo de equipamento sonoro.
A violência a qual Débora se refere tem marcado presença em muitas festas. O caso mais recente ocorreu na noite do último sábado (14), quando 10 homens armados chegaram atirando durante um “paredão” na Avenida Peixe, situada na Liberdade. Onze pessoas ficaram feridas, entre elas uma criança e dois adolescentes. A Secretaria da Segurança Pública (SSP), já identificou os autores, que seriam de grupos ligados ao tráfico de drogas.
Já o frentista Danrlei Nascimento, frequentador assíduo desse modelo de festa, acredita que o “paredão” precisa ser legalizado. “Pra mim deveria liberar tudo. Não vejo nada demais, é só ter um espaço para esse som, como tem em Simões Filho e Camaçari. Não precisa fazer no meio da rua”, disse o jovem.
Apesar de morar na Liberdade, Danrlei afirma nunca ter participado de uma festa do seu bairro, mas sim de outras localidades, inclusive da Engomadeira, na qual ele garante que tem “paredão” todo domingo. O evento acontece sempre por volta das 22h, no meio da rua. Ainda conforme Danrlei, sábado é dia de curtir  no São Gonçalo. 
Projeto.
Conforme o vereador Maurício Trindade (DEM), o projeto de lei de sua autoria tem como objetivo justamente acabar com a poluição sonora que existe na capital baiana, com a realização de festas na rua, utilizando som alto e sem qualquer autorização. “Nós queremos que os sons chamados “paredões” sejam em locais pré-determinados, distantes das residências e autorizados pela prefeitura, com horário de começar e acabar, limite de altura e com segurança privada”, explicou.
Para Trindade, o projeto surgiu da necessidade de atender o público que estava incomodado com o barulho e também de destinar um local específico para quem quer fazer eventos do gênero. A proposição ainda não tem data prevista para ser votada na Câmara, mas Maurício Trindade disse que já conversou com quase todos os vereadores e acredita no apoio da maioria para a aprovação.
Lojas faturam.

Para além da polêmica sobre o local adequado de uso dos “paredões”, lojas especializadas na montagem e instalação do equipamento sonoro lucram com o novo nicho de mercado

ABONO DE 2015 NÃO SACADO SOMA R$ 1 BILHÃO; VEJA COMO CONSULTAR...


FONTE: ***, Felipe Machado, (https://www.msn.com).


Mais de 1 bilhão de reais em abonos do PIS e do Pasep, referentes ao ano de 2015, ainda não foram sacados, segundo informação divulgada pelo Ministério do Planejamento nesta sexta-feira. O benefício está disponível a 1,46 milhão de pessoa, e o prazo para saque termina no dia 28 de dezembro.

Para ter direito ao recurso, é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2015, com uma remuneração média de até dois salários mínimos (788 reais à época) no período. O benefício varia de 97 reais a 937 reais, dependendo da quantidade de dias trabalhados.

A consulta pode ser feita nas agências bancárias (Caixa, para o PIS, e Banco do Brasil, para o Pasep) ou do site do Ministério do Trabalho (http://trabalho.gov.br/abono-salarial/consulta-abono-salarial). É preciso informar o número do PIS ou CPF e a data de nascimento do trabalhado. Caso tenha direito ao benefício, o saque poderá ser feito nas agências bancárias.

O abono salarial é pago anualmente a trabalhadores que ingressaram no mercado após 1990 e se enquadram no programa. O PIS é o programa para trabalhadores da iniciativa privada, enquanto o Pasep é voltado aos servidores. O abono é diferente das cotas do PIS/Pasep, acumuladas por quem trabalhou entre 1971 e 1988 e cujo saque poderá ser feito até dezembro, segundo nova regra do governo.


*** Arquivado em: Economia

ESPECIALISTAS VEEM FALHAS NO COMBATE AO BULLYING...


O bullying é caracterizado como ato de violência física ou psicológica.
A ação violenta do adolescente que atirou contra colegas de sala no Colégio Goyases, em Goiânia, na manhã de sexta-feira (20), põe em debate, segundo especialistas, a fragilidade do combate ao bullying nas escolas.

Analistas ainda destacam que ações extremadas, como a registrada na escola, podem ter como origem uma série de fatores - e não apenas as agressões sofridas pelo adolescente.

"A maioria das escolas, tanto públicas como privadas, ainda tem um ambiente hostil e violento. Em geral, elas acreditam que os casos podem ser resolvidos apenas com conversas pontuais ou continuam na negação do problema", diz Ana Paula Lazzareschi, advogada especialista no tema. Para ela, colégios têm o dever de implementar programas efetivos de combate ao bullying e podem até ser processadas caso não comprovem as ações.

O bullying é caracterizado como ato de violência física ou psicológica que acontece de forma intencional e repetitiva. A intimidação normalmente se dá de forma velada. Desde fevereiro do ano passado, uma lei federal estabelece como responsabilidade das escolas a promoção de medidas de conscientização, prevenção, diagnóstico e combate ao bullying.

"Ele (bullying) ocorre no parque, nas imediações da escola, no recreio. Em sala de aula, vai acontecer quando o professor está de costas ou dando atendimento individual a algum aluno. Por isso, é preciso um olhar atento às pistas que os alunos dão", diz a psicóloga Luciana Lapa, orientadora da Escola Stance Dual, em São Paulo, e pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral (Gepem) das Universidades Estaduais de Campinas (Unicamp) e Paulista (Unesp).

Para Luciana, atitudes violentas podem ser resultado de vários fatores. "A experiência do bullying, o sofrimento prolongado, a falta de ajuda podem resultar em uma ação violenta. Nunca se sabe qual é a personalidade da vítima, sua situação familiar e se há problemas psiquiátricos."

A DIFERENÇA ENTRE FLERTE E ASSÉDIO SEXUAL...

FONTE:, (http://estilo.uol.com.br).



Uma manifestação incontestável da atração sexual. A mão que repousa sobre o joelho. Uma mensagem de texto cheia de insinuações.

Em que momento um flerte se torna um caso de assédio?

À medida em que o número denúncias de assédio contra o produtor de Hollywood Harvey Weinstein aumenta, mulheres de todo o mundo têm se manifestado nas redes sociais para compartilhar suas experiências com a hashtag #MeToo.

Weinstein desfrutava de grande poder, capaz de forjar ou de destruir a carreira de muitas vítimas. Longe do trabalho, porém, o assédio também pode ser extremamente prejudicial.

No debate global, a questão sobre como se define o assédio sexual não está totalmente esclarecida.

Como ter certeza de que não se está agindo de forma errada?
Se você quer conhecer um pretendente, você precisa flertar - mas a questão é fazer isso no ambiente certo, e não quando as pessoas não estão esperando, diz o especialista em relacionamentos James Preece.

Aos clientes, homens e mulheres com idades entre 23 e 72 anos, ele recomenda que se aventurem de forma segura, usando humor - e não sexo - para paquerar.

"Seja amistoso, crie uma conexão, estabeleça confiança", ele afirma. No fim do primeiro encontro, por exemplo, ele sugere um abraço amigável ou um beijo na bochecha.

Quando o flerte se torna assédio sexual?
Quando é indesejado e persistente, destaca Sarah King, do escritório de advocacia britânico Stuart Miller.

Para Preece, isso ocorre quando o homem vai longe demais - seja com palavras ou com ações - e quando a mulher claramente não quer.

A especialista Sea Ming Pak, que percorre escolas em Londres para ensinar jovens sobre sexo e relacionamentos, tem uma longa lista daquilo que acredita que possa ser considerado assédio sexual: toque não consensual, situações em que o homem sente que tem direito sobre alguém, seguir uma garota na rua e tentar puxar conversa quando ela claramente não deseja e tenta seguir em frente, assobiar ou usar a posição de poder para falar com alguém de forma que a deixe desconfortável.

Na lei britânica, o Equality Act 2010 define como "uma conduta indesejada de natureza sexual" que viola a dignidade do indivíduo ou cria "um ambiente hostil, degradante e ofensivo".

No Brasil, o artigo 216-A do Código Penal denomina assédio sexual no ambiente de trabalho como o ato de "constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função".

Por que o assédio acontece?
Ming Pak, que trabalha para a organização dedicada à saúde sexual de jovens Brook, culpa a cultura do "sexo vende", que se espalhou pelo Ocidente e que, diz ela, gera nos homens um sentimento de posse e, nas mulheres, uma cultura de culpa.

Os jovens são condicionados por meio de filmes, clipes de música, programas de TV, do acesso fácil a pornografia e da banalização da prática de compartilhar imagens sexuais pelo celular, ela afirma.

Nas salas de aula, ela diz aos alunos que, quando se fala de sexo, é preciso que haja liberdade e capacidade para tomar decisões.

Ming Pak considera preocupante, entretanto, a desinformação entre os jovens - visível em situações em que muitos deles culpam as vítimas de casos de estupro.

Em alguns casos, é um comportamento adquirido, reflexo daqueles que estão ao seu redor.

Em uma das situações que lhe chamou atenção, ela viu uma garota em um ponto de ônibus sendo abraçada por um rapaz que parecia bastante "pegajoso".

"Ela não parecia muito confortável, então na semana seguinte eu lhe disse: 'Você tem direito de dizer 'não', não está certo ele tocar em você sem que você queira'".

"Eu expliquei o que era consentimento e ela respondeu: 'Mas eles sempre me agarram'".http://assets.pinterest.com/images/pidgets/pinit_fg_en_rect_red_28.png


A especialista, que normalmente trabalha com meninos e meninas entre 14 e 17 anos, acredita que o problema não vai desaparecer até que se diga às crianças desde muito cedo que elas podem dizer "não".

Nós deveríamos conversar com eles desde a educação infantil e fundamental, ela ressalta.

É nessa época que tudo começa, acrescenta, lembrando de seus próprios dias na escola, quando os garotos achavam engraçado levantar a saia das meninas ou tentar abrir seus sutiãs.

"Tratava-se de vergonha e humilhação".


Nessa idade, você pode falar sobre limites. No colegial, eles precisam aprender sobre consentimento, sobre como entender linguagem corporal, a lidar com as situações e a refletir antes de mandar "nudes".