segunda-feira, 30 de novembro de 2009

ANTECIPAÇÃO SALARIAL...

FONTE: *** ÚLTIMA INSTÂNCIA.
O empregador pode, por ato de liberalidade, conceder reajuste salarial antes da data-base da categoria profissional dos seus empregados.
Se esse reajuste salarial corresponder à antecipação salarial de um futuro percentual a ser aplicado na data-base, poderá ser compensado quando da aplicação do percentual negociado com o sindicato da categoria obreira.
Todavia, como destacado por Cláudia Salles Vilela Vianna “Cumpre ao empregador, observar, entretanto, que qualquer outro tipo de reajuste salarial, que não for antecipação, não poderá ser compensado” (Cláudia Salles Vilela Vianna. Manual Prático das Relações Trabalhistas. 8ª ed., São Paulo: LTr, 2007, p. 427)
Reajuste salarial nada mais é do que a recomposição da perda do poder de compra do salário em face do processo inflacionário e, por esse motivo, deve ser dado em caráter geral a todos os empregados da categoria profissional. Reajuste salarial não se confunde com aumento salarial. O aumento salarial significa uma elevação real do salário em termos de poder de compra.
Nesse sentido a lição de Amauri Mascaro Nascimento : “Enquanto a correção salarial visa atualizar o seu poder real achatado pela inflação, o aumento de salário tem por fim elevar o poder real, pondo o salário não no nível, mas acima dos preços” (Amauri Mascaro Nascimento. Salário: conceito e proteção. São Paulo : LTr, p. 179)
Como as consequências da inflação atingem a todos os empregados de forma igual, entendemos que não é dado ao empregador conceder espontaneamente percentuais diferenciados de reajuste salarial aos empregados, salvo se pertencerem a categorias diferenciadas, por violar o princípio da isonomia. A concessão de percentuais diferenciados de reajustes salariais aos empregados somente pode ser feita mediante convenção ou acordo coletivo de trabalho (artigo 7º, inciso XXVI, da Constituição Federal) e, mesmo assim, desde que se encontrem em situação diferenciada dos demais.
O princípio constitucional da isonomia (igualdade) tem natureza material, de sorte que a desigualdade de tratamento a pessoas na mesma situação somente é admita na hipótese em que a diferenciação seja justificada pela proteção a um bem tutelado pelo sistema jurídico. Viola o princípio da isonomia qualquer ato do empregador que importe em tratamento desigual aos empregados em idêntica situação fática.
Logo, em princípio, a concessão de antecipação salarial espontânea por conta de reajuste salarial da data-base a apenas alguns empregados pode caracterizar violação do princípio da isonomia, consubstanciado nos artigos 5º, caput, e 7º, XXXII, da Constituição Federal.
Todavia, nada impede que o empregador conceda aumento salarial apenas para alguns empregados baseado no mérito, hipótese em que não será dado compensá-lo na data-base, por não configurar antecipação de reajuste ou correção salarial, que é de caráter geral. Da mesma forma, não é possível compensar na data-base da categoria, aumento salarial decorrente de promoção.

***
Aparecida Tokumi Hashimoto, especialista em direito do trabalho, é sócia do escritório Granadeiro Guimarães Advogados.

CBF ‘DESCONGESTIONA’ DOMINGO E ANTECIPA ATLÉTICO-MG x CORINTHIANS E NÁUTICO x AVAÍ...

FONTE: UOL Esporte, em São Paulo.
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu nesta segunda-feira antecipar para sábado, às 19h30, os jogos entre Atlético-MG x Corinthians, no Mineirão, e Náutico x Avaí, nos Aflitos. Os quatro times já têm suas situações definidas e apenas cumprem tabela para a 38ª rodada do Campeonato Brasileiro.
A medida visa centralizar a rodada de domingo para os outros oito jogos que terão peso no Nacional, seja para definir o campeão, os rebaixados, os quatro classificados à Libertadores e os classificados para a Copa Sul-Americana. Atlético-MG x Corinthians e Náutico x Avaí estavam inicialmente marcados para domingo, às 17 horas.Campeão da Copa do Brasil, o Corinthians conta os dias para entrar em férias. O clima de descanso, aliás, impera no clube há tempos. Ronaldo, por exemplo, não atuará neste domingo. O jogador fará exame de ressonância magnética nesta terça-feira de manhã para avaliar o grau da lesão no músculo posterior da coxa direita. Mesmo que estivesse bem fisicamente, o FENÔMENO seria vetado da partida, conforme combinado com a comissão técnica na semana passada. Escudero e Edu também serão avaliados clinicamente.Fora da disputa pela Libertadores após perder para o Palmeiras no Parque Antarctica, o Atlético-MG está na mesma situação do Avaí, que têm vagas asseguradas à Copa Sul-Americana. O Náutico, derrotado diante do Santo André, no ABC, caiu para a Série B do Brasileiro.

GRÊMIO DECIDE NÃO ANTECIPAR FÉRIAS DE ATLETAS, MAS TIME DEVE SER MISTO...

FONTE: UOL Esporte, em Porto Alegre.
O presidente do Grêmio, Duda Kroeff, o diretor de futebol Luis Onofre Meira e os integrantes do Conselho de Administração se reuniram na tarde desta segunda-feira para definir como agirá o clube nesta última semana de atividades no ano. E ao contrário do que o próprio presidente admitira no domingo, os titulares não terão férias antecipadas.
A posição anterior tinha o objetivo de fragilizar a equipe que enfrenta o Flamengo no domingo, às 17h, no Maracanã. Caso o Grêmio tire pontos do Flamengo, o Inter (maior rival gremista) pode ser o campeão se vencer seu jogo contra o Santo André em Porto Alegre. Mas mesmo com essa resolução, o time tricolor deverá ser misto no jogo do Maracanã.Já são certos os desfalques do meia Tcheco (que se despediu da torcida neste domingo contra o Barueri), do volante Fábio Rochemback (suspenso pelo terceiro cartão amarelo) e do atacante Maxi López, (viajou para Buenos Aires nesta segunda-feira para definir o seu futuro). O atacante do Grêmio está com o contrato de empréstimo encerrando com o Grêmio, e o clube gaúcho tem até o final desta semana para adquirir 50% dos direitos federativos e ficar com o atleta.
Outro que deverá ficar fora do jogo final do Brasileirão é o meia Souza. A idéia é preservar o atleta, que neste domingo, ao ficar sabendo que o Inter depende do Grêmio para ser campeão, disse claramente que se depender dele o Flamengo fica com o título. Diante dos gritos da torcida que repetia "entrega, entrega", Souza rebateu: "Quem sou eu para discordar da torcida, ela é quem manda, afinal é quem paga o ingresso e o nosso salário".Diante da decisão de não antecipar férias, o grupo tricolor ganha folga só até a tarde desta terça-feira, quando se reapresenta ao treinador Marcelo Rospide e recomeça os trabalhos.

TRIBUNA DE JUSTIÇA DO ESTADO ORDENA SUSPENSÃO DO CONCURSO DA SESAB...

FONTE: CORREIO DA BAHIA.
O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) determinou a suspensão do concurso público da Secretária da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). O TJ acolheu o pedido do Ministério Público (MP) contra a decisão da juíza Lisbete Maria Santos, da 7ª Vara da Fazenda Pública, que tinha negado o pedido de suspensão do concurso.
Além de suspender o concurso, a desembargadora Sara Brito vedou as nomeações dos candidatos aprovados com base na retificação do edital que alterou de 1 para 3 o peso atribuído às prova de títulos e ordenou que a lista de candidatos aprovados seja refeita, com base no edital original do concurso.
Em sua decisão, a desembargadora ressaltou que atribuir peso 3 para a prova de títulos é 'fazer com que a avaliação por intermédio de prova perdesse a sua utilidade, citando-se, como exemplo, o caso de candidata que, após a prova objetiva, com a avaliação dos títulos, na disputa do cargo de Enfermeira, migrou da 1005ª posição para a 1ª posição”.
O Ministério Público enviou duas notificações aos secretários estaduais de Administração e de Saúde recomendando a suspensão do concurso por conta de diversas irregularidades. Mas, no entanto, não só houve o concurso como foi publicado o Edital de Convocação dos candidatos aprovados para entrega dos documentos.

JUSTIÇA SUSPENDE PRIMEIRO CASAMENTO GAY NA ARGENTINA...

FONTE: *** CORREIO DA BAHIA.
Uma juíza civil suspendeu nesta segunda-feira (30) o primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo na Argentina, que estava prevista para esta terça-feira (1º). De acordo com o jornal 'Clarín', a juíza Marta Gómez Alsina ordenou a suspensão do casamento no Registro Civil de Buenos Aires e decretou uma 'medida cautelar até que se decida sobre a ação' apresentada contra a decisão que autorizava o casamento.
A decisão anterior, da juíza de primeira instância Gabriela Seijas, declarava inconstitucionais dois artigos do Código Civil que estabelecem que para o matrimônio 'é necessário o consentimento de duas pessoas de sexos distintos.
Ela ordenava ao Registro Civil que realizasse o casamento dos argentinos Alex Freyre e José Maria di Bello, abrindo um precedente que pode fazer do país católico o primeiro da América Latina a permitir o casamento de casais do mesmo sexo.
'A lei deve tratar todos com o mesmo respeito, de acordo com suas singularidades, sem a necessidade de entender ou regular as pessoas', disse Gabriela Seijas ao anunciar a decisão. O prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, anunciou na sexta-feira (13) que não recorreria da decisão.
Segundo o Clarín, o procurador-geral de Buenos Aires, Pablo Tonelli, disse que “o Registro Civil onde estava previsto o casamento já avisou da notificação da juíza para suspendê-lo”. “Estamos esperando receber também esta notificação”, disse ao jornal.

*** As informações são do G1.

SELEÇÃO TETRACAMPEÃ DO FUTEBOL DE AREIA COMEMORA TÍTULO NO RJ...

FONTE: *** CORREIO DA BAHIA.
O cenário ao fundo do restaurante escolhido pela seleção brasileira de futebol de areia para a comemoração de mais um título mundial não poderia ter sido mais bonito. Foi olhando para a Baía de Guanabara, Pão de Açúcar e Corcovado que Benjamin, Buru e companhia almoçaram e depois posaram para fotos com a taça de campeões à frente.
O tetracampeontao invicto foi conquistado em Dubai, nos Emirados Árabes, sobre a Suíça por 10 a 5 (gols de André (2), Betinho (2), Buru (2), Benjamin, Sidney, Bueno e Daniel). Benjamin, um dos mais experientes do grupo, com 40 anos, era um dos mais empolgados na comemoração. Fez questão de levantar a taça de campeão várias vezes e comandou os gritos de:
- É tetra! É tetra! - vibraram os jogadores.
Com o sorriso estampado no rosto, o jogador falou que só estava um pouco cansado da viagem, mas que o mais importante é que o objetivo de todo o grupo foi alcançado.
- Foi muito gratificante. A torcida brasileira está sempre nos prestigiando e nós conseguimos em Dubai o nosso grande objetivo que era conquistar esse tetra campeonato - completou Benjamin.
Depois que Benjamin largou a taça, foi a vez do atacante Daniel, de 22 anos, tirar uma casquinha. O jogador, um dos mais novos da equipe, é um marco na renovação da seleção que está buscando garotos para a disputa dos próximos campeonatos.
- Vamos continuar com essa renovação. É um processo natural da vida. Esses jogadores novos tem que se acostumar a treinar com os grandes jogadores, como Benjamin, Buru e Mão -disse o técnico Alexandre Soares.
Embora já tenha participado de duas Copas do Mundo, Daniel confessou que nunca antes havia dado entrevista e ficou um pouco envergonhado ao saber que os jornalistas queriam falar com ele. Hoje a jovem revelação atua ao lado de um ídolo que já viu jogar várias vezes antes mesmo de se tornar atleta.
- Hoje minha sensação é de sonho realizado. Jogo ao lado do meu ídolo,(Benjamin) e ouço ele falar onde posso e onde não posso ir. Eu queria jogar na seleção brasileira, só não achei que fosse ser tão rápido e tão difícil - disse Daniel
Além do título mundial, a seleção brasileira faturou o Torneio de Marselha vencendo a Espanha por 5 a 4 (gols de Benjamin, Buru, Bruno Malias, André e Daniel).

*** As informações são do GloboEsporte.com

AVIÃO COM DELEGAÇÃO DO VITÓRIA SOFRE PANE NO RIO DE JANEIRO...

FONTE: CORREIO DA BAHIA.
O avião Airbus A320 da TAM, que estava com a delegação do Vitória, decolou do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) na manhã desta segunda (30), e teve que retornar ao aeroporto após se chocar com uma ave, segundo informações da Infraero.
O destino do voo JJ 3192 era Maceió (AL), com escala em Salvador (BA). De acordo com a Infraero, o avião retornou sem problemas. A TAM informou que os passageiros do voo foram reacomodados em um outro avião da companhia aérea, que seguiu para Maceió às 15h30 desta segunda.
'Nós ouvimos um barulho e, a partir do barulho, começou a tremer. O comandante tranquilizou, disse que tinha sido uma ave que bateu na turbina e que o avião precisaria voltar pro Rio. Ficou todo mundo tenso até que pousasse. Ainda tinha mais uns 15 minutos até voltar e pousar. A gente já tinha saído do Rio, tinha passado a Baía de Guanabara', disse Mário Silva, supervisor do Vitória.O assessor do Vitória, Roque Mendes, confirmou a pane e disse que uma ave entrou em uma das turbinas do avião. O comandante informou o que estava acontecendo e disse à tripulação que estaria retornando ao aeroporto.
Por volta das 17h, a delegação do Vitória chegou ao Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães.

PORTO SEGURO PERDE PRA SERRINHA E ESTÁ FORA DA DISPUTA...

FONTE: HUGO SANTOS (RADAR64).
A Seleção de Porto Seguro foi goleada por Serrinha, na tarde de domingo (29), no estádio do adversário, e adiou o sonho do bi-campeonato do Intermunicipal 2009 - a maior competição de futebol amador do mundo.O time da terra mãe do Brasil tinha a missão de vencer por uma diferença de três gols para se classificar para a final do campeonato, pois no jogo de ida, disputado dia 22, no Estádio Municipal de Porto Seguro, perdeu por 2x0, encerrando uma campanha invicta de 16 partidas.No outro jogo da semifinal, São Francisco do Conde, jogando em seus domínios, venceu a Seleção de Coaraci por 3x1. No primeiro confronto, Coaraci ganhou de 1x0. Com esses resultados, São Francisco do Conde e Serrinha carimbaram seus passaportes com voo direto para a grande final do Campeonato Intermunicipal, que começará a ser disputada no próximo domingo, 6 de dezembro, em São Francisco do Conde.

HOMEM ARMADO É PRESO COM 7 m³ DE MADEIRA NATIVA...

FONTE: HUGO SANTOS (RADAR64).
O crime ambiental foi flagrado no km 715 da BR-101, perímetro urbano de Eunápolis, durante a operação 'Cão de Guarda', desenvolvida pelo Grupo de Pronto Emprego da PRF.Segundo o inspetor Cláudio Santos, chefe de fiscalização e policiamento da 9ª Delegacia, o motorista do veículo MB/L111 (placa HZN-6245/BA), Jovino Alves dos Santos, 48 anos, ainda tentou fugir.
Na vistoria, os policiais descobriram que ele estava transportando sete metros cúbicos de madeira nativa, cortada em pranchões e um moto-serra sem registro no IBAMA, órgão de proteção ao meio ambiente.O motorista, informa o inspetor, acabou confessando que a madeira foi comprada no município de Mascote, Sul da Bahia, e seria vendida nas serrarias de Eunápolis. Também foi encontrado no veículo um rifle calibre 22, importado, com um carregador e duas munições intactas. 'Isso nos leva a acreditar que, além de traficante de madeira, Jovino também era caçador de animais da nossa fauna', diz Cláudio.

Jovino, que é morador de Eunápolis, foi encaminhado para a Polícia Civil, onde deve ser autuado em flagrante por crime ambiental e porte ilegal de arma de fogo. A madeira e o moto-serra foram encaminhados para a gerência regional do IBAMA em Eunápolis.

MULHER DE 29 ANOS É MORTA POR BALA PERDIDA...

FONTE: Joelson Ângelo (RADAR64).
A cidade de Porto Seguro registrou, na noite de domingo (29), uma morte por bala perdida. Uma mulher de 29 anos, que estava em um bar, foi atingida na cabeça. Cecília Oliveira da Silva chegou a ser atendida pelo SAMU 192, mas não resistiu.Segundo testemunhas, os tiros teriam partido de dois homens que passaram de moto em frente ao bar, no bairro Fontana, por volta das 21h. Eles queriam matar outra pessoa, que também frequentava o local.
Cecília, que era natural de Camacã, trabalhava de vendedora na loja O Boticário e morava no mesmo bairro com o filho recém-nascido e o marido. Na porta da delegacia, parentes e amigos, chocados, condenaram a violência. A polícia fez rondas na região, mas não conseguiu localizar os atiradores. O corpo está sendo velado na Câmara Municipal e o enterro será no fim da tarde desta segunda-feira.

ESTUDANTE DE ADMINISTRAÇÃO É PRESA COM 232 MIL REAIS EM ÔNIBUS...

FONTE: Bruno Menezes, CORREIO DA BAHIA.

Estudante de administração da Faculdade Dom Pedro II Sheila Aragão Costa, 21 anos, foi presa na noite de ontem por PMs da 14ª Companhia de Polícia de Periperi com R$ 232.440. Ela estava num ônibus que seguia de Periperi para o Uruguai, bairro onde mora. O dinheiro estava numa bolsa verde que acabou chamando a atenção dos policiais pelo peso. A suspeita é de que o dinheiro esteja ligado ao assalto à transportadora de valores Preserve, que ocorreu no último dia 20.
No assalto, bandidos levaram da empresa cerca de R$ 15 milhões. Sheila foi pega numa blitz da PM para evitar assaltos a ônibus e alegou, na delegacia, que transportava o dinheiro para um amigo. “Mas ela não sabe dizer o nome e nem onde ele mora. Estamos querendo saber a procedência do dinheiro, que, provavelmente, é ilícita”, explicou o titular da 5ª Delegacia (Periperi), Deraldo Damasceno. O dinheiro também será analisado pelos investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos.
A mãe da estudante, que pediu para não ser identificada, garantiu não saber a origem do dinheiro e disse ter sentido vergonha ao ver a filha algemada na delegacia. “Ela nunca precisou disso. Estuda, começaria no emprego amanhã (hoje). Passou o fim de semana em treinamento numa clínica que a contrataria como recepcionista. Nunca achei que fosse ver isso”, desabafou, antes de passar mal.
Advogado da universitária, Paulo César Pires disse na delegacia que a quantia original era de R$ 260 mil e que ela tem como provar de onde vem o dinheiro. “O dono do dinheiro pediu que ela transportasse. Ela ia de táxi, mas não passou e ela pegou o ônibus. O dinheiro é proveniente da venda de um imóvel e ela vai comprovar. Minha cliente é inocente”, afirmou.
A Polícia Civil agora vai ouvir a mãe da estudante e o pai dela, que mora no Largo do Tanque, para tentar esclarecer o caso. “É de se desconfiar. Até porque ela não sabe nem o nome do dono do dinheiro. Vamos apurar com calma”, garantiu o delegado.

SAÚDE BUCAL DEVE COMEÇAR CEDO...

FONTE: Karina Baracho (TRIBUNA DA BAHIA).
Estudos epidemiológicos sobre saúde bucal realizados em 2003 – o último e mais completo sobre o tema – revelam que no Brasil pelo menos 30 milhões de pessoas não têm algum dente e 8% da população não possui nenhuma dentição. Ainda conforme os estudos, cerca de 13% dos adolescentes nunca foram ao dentista e 45% dos brasileiros não possuem escovas de dentes. Números muito longe do que recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo o órgão, 80% da população com 18 anos de idade devem ter dentição completa. O estudo revelou que apenas 55% dos brasileiros apresentam tal condição. Especialistas recomendam que os cuidados bucais devem começar cedo, antes do nascimento do primeiro dente a mãe deve levar o bebê a uma consulta com um odontopediatra. “Principalmente se verificar algo diferente na boca da criança”, alertou a ortodontista Luciana Ramos. De acordo com ela, a medida é importante também como prevenção para problemas futuros. “O acompanhamento é de fundamental importância para que a criança tenha uma dentição saudável”. A profissional alerta ainda para os cuidados com a higienização bucal dos pequenos. “Sempre após cada mamada deve-se limpar a boca do bebê com um pedaço de gaze ou até mesmo a fralda, umedecida com água fervida ou filtrada”. Segundo Ramos, o procedimento evita o aparecimento de cáries nos primeiros dentes. “Quando começarem a nascer os primeiros dentinhos os cuidados devem ser redobrados, pois as crianças apresentam algumas alterações sistêmicas como febre”, alertou. Neste período é necessário que se inicie a escovação, que pode ser feita com escovas apropriadas para bebês. Pois é comum o acúmulo de alimentos dos dentes e gengivas das crianças. Segundo Ramos, a consulta com o odontopediatra também deve acontecer nesta época. “Até para a verificação de que os procedimentos estão sendo feitos de maneira correta”, disse.

JOGO DO BICHO SE MODERNIZA E OPERA COM SISTEMA DIGITAL DE APOSTAS EM SP...

FONTE: Arthur Guimarães, do UOL Notícias, em São Paulo.
Aposentando os bloquinhos de anotação e os tradicionais sistemas de divulgação de resultados, os operadores do jogo do bicho em São Paulo digitalizaram o negócio. Foi-se o tempo em que, sentados em cadeiras nos cantos de bares, os funcionários dessa loteria ilegal anotavam apostas e distribuíam o número dos animais sorteados em pequenos pedaços de papel escritos com caneta.
Hoje, como a reportagem do UOL Notícias comprovou em vários pontos da cidade, os contraventores estão usando um sistema que lembra o utilizado em restaurantes para o pagamento de refeições com cartões de débito e crédito. Como visto, assim que o cliente chega com sua aposta, prontamente o anotador passa a digitar os números dos animais escolhidos no terminal eletrônico, chamado de POS (ponto de venda, da sigla em inglês).Em instantes, a engenhoca computa os dados e imprime, automaticamente, o recibo do jogo feito. Nesse comprovante, está escrito o nome do grupo - como "Juruna", "Gentil" ou "Paulinho", exemplos dos casos vivenciados - e outras informações, como "reclamações, 3 dias" e frases codificadas como "Mc cotadas 2008", além do valor total da "fezinha".Pelo o que os funcionários da loteria criminosa informaram ao repórter - sem saber que estavam sendo entrevistados -, todas as informações das apostas são enviadas, via "satélite ou telefone", para uma central, em que os cabeças do jogo do bicho na cidade montam um banco de dados para servir de garantia na hora de conferir e pagar os ganhadores.O caminho inverso também é feito pelo novo sistema de comunicação. O anotador informa que basta voltar no dia seguinte - "ou mais tarde" - para saber quais foram os animais sorteados. Dito e feito. Ao retornar ao local, o resultado estava impresso e era dado a quem requisitasse. No caso, para a modalidade "Para Todos" do dia 25 de novembro, lá estavam elencados: "Peru, Coelho, Leão, Tigre, Peru, Coelho e Cavalo".Apesar de parecer um sistema totalmente clandestino, a bobina de papel e os terminais utilizados pelo repórter eram de marcas conhecidas.

Os bilhetes, por exemplo, são os mesmos usados nos pagamentos com cartão de débito ou crédito. Aliás, no verso de todos os recibos obtidos pelo UOL Notícias, estava impresso o logotipo da Redecard, empresa que explora as transações bancárias à distância.Os aparelhos também tinham selos que indicavam seus fornecedores. Alguns eram da Verifone e outros eram estampados pela marca da Ingenico, ambas empresas estrangeiras que vendem os chamados POS para o mercado legal.
JOGO DE EMPURRA
Todos os envolvidos na investigação desse tipo de crime, assim como os principais prejudicados pela exploração ilegal do jogo, recusaram-se a dar entrevista sobre a modernização do sistema. A primeira a silenciar foi a Caixa Econômica Federal (CEF), empresa estatal ligada ao governo federal. Pelo decreto-lei 204, de 1967, a instituição tem a exclusividade na criação de novas loterias, o que automaticamente deixa o jogo do bicho na ilegalidade. Dessa forma, cada centavo que entra ilegalmente no caixa deixa de somar nos cofres da União.Mesmo assim, apesar de procurada por dois dias, a Caixa não disponibilizou nenhum representante para comentar o caso. A nova tentativa foi na Polícia Federal (PF), órgão que tem como finalidade proteger as instituições federais, como a Caixa. Em nota, a PF informou que não falaria sobre o assunto, sugerindo que fosse procurada a Polícia Civil de São Paulo.Após solicitada uma entrevista com algum policial paulista que tivesse experiência na investigação desse tipo de ilicitude, a resposta da Secretaria Estadual de Segurança Pública foi a de que não haveria ninguém especializado no assunto. Informada dos endereços dos pontos que a reportagem fez as apostas nos terminais eletrônicos, no entanto, a pasta enviou os dados para o 1º Distrito Policial (DP), na Sé, que mandou homens para checar a denúncia.Após a ação, foi enviada uma nota oficial, em que a secretaria de Segurança Pública informa que o delegado responsável, Marcel Druziani, encaminhou uma "equipe de investigação à rua Regente Feijó, que localizou e deteve um aposentado de 71 anos, acusado de possuir e operar uma máquina eletrônica própria para realização de apostas". Foram também apreendidos "o equipamento e 20 extratos com resultados das apostas, além de duas pules e uma agenda". O detido, segundo o órgão, foi liberado após a elaboração do Termo Circunstanciado, já que nas ocorrências de jogos de azar não cabe prisão. "Os casos são encaminhados diretamente para o Juizado Especial Criminal (Jecrim)", disse a nota, que ainda esclareceu que "a Polícia Civil trabalha no combate ao jogo do bicho, assim como todos os jogos de azar" e que "há poucas ocorrências envolvendo o jogo do bicho".
MAIS SILÊNCIO.
As empresas que comercializam os equipamentos encontrados pela reportagem nos pontos de aposta também não quiseram prestar esclarecimentos, para explicar como seus produtos chegaram na mão dos criminosos. Tanto a Verifone como a Ingenico, que vendem os terminais, não indicaram nenhum funcionário para discutir o mau uso dos POS, dizendo que só os vendem para grandes firmas e que, portanto, seriam elas as responsáveis por prestar esclarecimentos sobre eventuais desvios. Uma dessas empresas, a Redecard, negou entrevistas, divulgando uma nota afirmando que "somente credencia estabelecimentos que apresentem documentos que comprovem suas atividades" e que "fornece bobinas para os estabelecimentos credenciados para que sejam utilizadas nas suas operações de crédito e débito". A Visanet, concorrente nesse mesmo ramo, foi procurada mas também não retornou ao pedido de entrevista.

DEPOIS DE SAÍDA DA DEGOLA, JOGADORES DIZEM QUE PODEM DORMIR TRANQUILOS...

FONTE: UOL Esporte, no Rio de Janeiro.
Os jogadores do Fluminense estão aliviados com a situação do time no campeonato Brasileiro. Depois da goleada por 4 a 0 diante do Vitória, o Tricolor saiu da zona do rebaixamento e está a um empate da permanência na Série A. Na última rodada, a equipe encara o Coritiba, no Paraná.
Hoje dá para deitar e descansar um pouco. Espero que possamos continuar nessa batida e sair de vez desta situação no Campeonato Brasileiro. Todos estão de parabéns, mas ainda não acabou", ressaltou Rafael.Outro que estava muito aliviado com a fuga da zona da degola era o lateral Dieguinho. Depois da partida contra os baianos, o canhoto dedicava toda a recuperação a torcida tricolor, que lotou o estádio."Quando estávamos lá em baixo ninguém acreditava na gente. Apenas a torcida e nós mesmos acreditamos que reverteríamos a situação. Agora o resultado está aí. Estamos aliviados, mas ainda temos uma batalha na competição", afirmou.Depois de 27 rodadas na zona do rebaixamento, o clube das Laranjeiras tem 45 pontos e está na 15ª posição. Antes do ato final no Campeonato Brasileiro, o Fluminense ainda tem uma outra batalha tão improvável quanto a reação na Série A. O Tricolor encara a LDU pela Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira, no Maracanã. Os cariocas precisam fazer quatro gols de vantagem para levar aos pênaltis.

ÁGUA NO SEMIÁRIDO...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.
A zona rural de Nova Soure, a 193 quilômetros de Salvador, era até recentemente um exemplo dos contrastes da realidade brasileira. Embora exista muita água na região, boa parte da população não dispunha do recurso para suprir as necessidades mais elementares. Dentro do município, lugares como Carrapichinho, Cauê e Coité eram um triste retrato dessa situação. Distantes cerca de 500 metros das margens do rio Itapicuru, a disponibilidade hídrica vista ali na superfície não era menor do que a existente no subsolo, de grande potencial. Apesar disso, o fornecimento regular de água aos moradores não existia. Se sobrava água de um lado, faltava vontade pública do outro.
Em 1987, um poço perfurado em Cauê comprovou o potencial do subsolo. A força do lençol freático fez jorrar água na superfície para deleite dos moradores e visitantes que dia e noite passaram a tomar banhos no local. Nos finais de semana a frequência aumentou, o que levou, um ano depois, o governo a atender à reivindicação dos moradores e implantar um pequeno balneário, que, logo em seguida, ganhou um bar com mesas de bilhar. De piscina natural à sombra dos cajueiros, o local, a partir de 2009, mudou de foco e passou a abrigar também uma casa de bombeamento e tratamento de água e dois reservatórios para o produto, que era abundante. O conjunto mudou a vida do local, pois o modesto aparato de engenharia hídrica implementado pelo governo do Estado, através do programa Água para Todos, introduziu uma palavra-chave na região: distribuição.
Desde então, as águas do poço são compartilhadas por todos, servindo tanto ao lazer quanto às necessidades cotidianas. O banho de cascata foi mantido - entre 9 e 16 horas. Porém, no início de cada manhã e no final da tarde um operador local, remunerado pela Prefeitura de Nova Soure, direciona a água para tratamento (desinfecção). Bombeada, a água percorre os 812 metros de adutora até os dois reservatórios, de 20 mil litros cada. Daí segue, pelos 8 mil metros da rede de distribuição, até as moradias. Para as mais distantes foram criados quatro chafarizes. Implantado pela Cerb, empresa do governo do Estado, ao custo de R$ 110 mil, o Sistema Integrado de Abastecimento de Água atende os 600 moradores atuais, mas foi projetado para 20 anos, podendo beneficiar 1.200 pessoas.
MUDANÇA DE CENÁRIO.
Soluções como a dessas localidades em Nova Soure estão mudando o cenário do semiárido baiano. Até setembro de 2009, por exemplo, já tinham sido construídas 28 barragens, perfurados 1.496 poços, instaladas 35 mil cisternas, implementados 902 sistemas de água, entre simplificados, convencionais e integrados, recuperados ou ampliados 400 sistemas e realizadas 287 mil ligações. Além disso, foram construídos 35 sistemas de esgotamento, realizadas 122 mil novas ligações de esgoto e 13 mil obras de melhoria em sanitários domiciliares.
Incorporando soluções tecnológicas avançadas e resguardando a sustentabilidade ambiental, as obras do Programa Água para Todos já absorveram R$ 401 milhões dos governos estadual e federal e permitiram que mais de 2,3 milhões de baianos passassem a ter acesso a água e esgoto. Grandes, médias e de pequeno porte, distribuídas por todo o território baiano, as intervenções evidenciam a capilaridade do programa, que contempla desde a metrópole Salvador até longínquas comunidades rurais, habitadas por algumas poucas dezenas de famílias - onde até então prevaleciam a extrema carência de recursos e a ausência do Estado.
Na casa de Rosineide Oliveira, 39 anos, a água canalizada e tratada entra hoje através de três torneiras – uma na pia da cozinha, outra no lavatório e a terceira no tanque. No banheiro, flui através do chuveiro e da descarga. Um simples giro da torneira ou um puxão na descarga e a família dispõe de água a qualquer hora. Ela, o marido e os três filhos têm agora a tranquilidade de saber que não vai faltar água e a comodidade de não ter que ir buscá-la.
COMUNIDADE FAZ MUTIRÃO.
Realizada com a participação da comunidade, organizada em mutirão, em apenas seis meses a obra já mudou a vida do lugar. Acabou-se o bate-estaca no chão duro para localizar um manancial, muitas vezes de água salobra. Acabou-se a rotina de puxar baldes até a superfície e carregá-los até as caixas d´água no alto das casas. Bastou um pequeno investimento em tubos e uma conexão à rede para mudar o ambiente doméstico. Resultado: mais higiene, mais conforto e mais tempo para o trabalho, para a família, para o descanso, para o lazer, para o estudo, para a devoção, para a saúde e para tantas outras coisas.
Para Rosineide, sobrou mais tempo para cuidar da casa e da família, ajudar na roça e se concentrar nos estudos da 6ª série do EJA - Educação de Jovens e Adultos, também um programa do governo do Estado, que cursa à noite, em Nova Soure. Sobrou tempo para se dedicar às atividades comunitárias da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Comunidade Fazenda Cauê. Restou energia, ainda, para as atividades religiosas, como responsável pela Igreja do Sagrado Coração de Jesus. Agora os moradores estão empenhados em transformar a condição da igreja, onde acontecem não somente as missas, no primeiro sábado de cada mês, e as catequeses dos homens e das crianças, mas também as reuniões comunitárias. Com o dinheiro do ofertório e com o adjutório de todos, eles conseguiram comprar a tubulação e o material para instalar um banheiro no espaço.
A transição de uma condição anterior, de privação, para o atual estado de satisfação deixou como legados o fortalecimento do espírito comunitário e a valorização ainda maior da água como bem vital, como expõe Rosineide: “Foi uma bênção Já tínhamos a bênção de ter água na região; agora temos água corrente e tratada. Por isso, quando alguém desperdiça, a gente vai lá e reclama. A água é da nossa comunidade. Cada pingo de água que perdemos é um pingo de nosso suor",afirma.

PESQUISA APONTA REELEIÇÃO DE WAGNER...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.
Pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Campus, envolvendo um universo de 2587 entrevistado em todo o Estado entre os dias 15 a 23 de novembro, assegura a reeleição do governador Jaques Wagner.
Na mostra espontânea, Wagner aparece com 33,1% das intenções de voto contra 11,6% do ex-governador Paulo Souto. O ministro Geddel Vieira Lima surge em terceiro lugar com apenas 3,4%, seguindo de ACM Neto 1,6%. Já na estimulada, Wagner permanece na primeira colocação com 48,4% dos votos, enquanto Souto surge com 26,4%, Geddel 12,e% e Hilton 1,5%.
O instituto simulou também os resultados para o segundo turno. O governador lidera, quando confrontado com Paulo Souto, com 56,3% dos votos. Seu antecessor perderia a eleição pois obteria apenas 33,1%.
Wagner ampliaria a vantagem se disputasse a segunda rodada eleitoral com Geddel, sempre conforme o instituto. Wagner dispararia com 61,2%¨contra 23,3% do ministro da Integração Nacional. De acordo com o Campus, no quisito rejeição, Hilton Coelho aparece na liderança com 41,5%, tendo atrás Paulo Souto 19,8%, Geddel 13,7% e Wagner 10,3%.
Os entrevistados foram sondados ainda sobre a intenção de votos para a Presidência da República. Lula (que não pode disputar um terceiro mandato) levaria disparado com 33,2%, deixando José Serra com 8,6% e Dilma Rousseff com 7,6%.
A pesquisa ainda afere votos para Marina Silva ( 1,5%) e Aécio Neves (1,1%). Quando confrontados Serra e Dilma, o governador de São Paulo sai na frente na pesquisa estimulada com 39%, enquanto a ministra das Minas e Energia fica com 23,7% das intenções de voto. Num eventual segundo turno, Serra bateria Dilma por 50,6% contra 31,6%.
PV VAI LANÇAR CANDIDATO AO GOVERNO DIA 12.
Vinte e oito diretórios do PV do Sul da Bahia estiveram reunidos, na Câmara de Itabuna, onde debateram os rumos do partido para as eleições de 2010. O encontro contou com as participações dos deputados federais Edgar Mão Branca, Edson Duarte e Luiz Bassuma, provável nome a ser lançado para disputar o governo estadual.
A mesa foi comandada pelo presidente estadual Ivanilson Gomes e o vereador Gerson Nascimento. Mais de 80% dos participantes se posicionaram favoráveis ao lançamento de candidaturas próprias ao Senado e ao governo.
Segundo Bassuma, cresce a participação nos debates e se fortalece a tese da chapa própria para disputar o governo, reafirmando os encontros de Feira de Santana, Vitória da Conquista e Lençóis. No próximo dia 06, o encontro acontece em Juazeiro com a presença da senadora Marina Silva, candidata do PV à Presidência da República. Salvador encerra o calendário no próximo dia 12, quando será anunciado oficialmente os nomes para disputar a sucessão de Jaques Wagner.

GABAN DENUNCIA CONTRATO DA FUNDAC...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.

O deputado estadual Carlos Gaban (DEM) criticou a insistência do governo Jaques Wagner (PT) em dispensar licitações para contratação de empresas e serviços. A última dispensa foi publicada no último dia 25, para a contratação do Instituto de Tecnologia, Educação e Gestão Organizacional para atuar junto às unidades de atendimento socioeducativo da Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac). O contrato foi no valor de R$ 645 mil. Gaban lembrou que o atual governo tem batido recordes na dispensa de licitações. Em relação à Fundac, Gaban questionou se existe situação de calamidade pública para a dispensa da licitação. “Constatamos que a mesma contratação por dispensa de licitação, esta no valor de R$ 4 milhões, foi feita com o mesmo objetivo em maio, ou seja, o de contratação de empresa especializada para prestação de serviços em atendimento socioeducativo das unidades da Fundac”, denunciou o democrata. O deputado contou ainda que pesquisou na Receita Federal e descobriu, pelo Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica, que a tal Integro tem como data de abertura 7 de abril de 2009.

TRATAMENTOS DIFERENTES...

FONTE: Ivan de Carvalho (TRIBUNA DA BAHIA).

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda e seu vice, Paulo Octávio, divulgaram no início da noite de ontem uma nota em que se defendem de acusações resultantes da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.,
Qualificam de “torpe vilania” de um ex-colaborador – que teria apresentado uma “versão mentirosa” dos fatos – o recebimento de dinheiro que, na versão da PF e de ex-colaborador seria para caixa de campanha eleitoral e corrupção e na versão do governador e vice, para ações sociais, a exemplo da distribuição de panetones.
O vídeo apresentado, em que Arruda recebe dinheiro, é de 2005, antes de sua eleição para governador, embora haja informações de que há outros vídeos. Mas não estou escrevendo aqui na Bahia para esmiuçar a política do Distrito Federal.
Importo-me muito mais com uma visão mais ampla do drama pelo qual passa o surpreendente e controvertido governador, que se recuperara quase milagrosamente (milagrosamente não terá sido, pois Deus, sabendo o futuro, não teria feito tal milagre) do caso da violação do painel eletrônico do Senado para bisbilhotar quem votou como na cassação do então senador Luiz Estêvão.
Arruda, então do PSDB e líder do governo FHC no Senado, jurou por pais, filhos e netos que nunca vira a lista dos votos, para no discurso seguinte admitir que recebera, sim, em um envelope, a tal lista.
Arruda saiu do PSDB, ingressou mais tarde no DEM e elegeu-se governador do Distrito Federal. Dirão alguns que os votos lavaram e levaram o lixo. Sei não. Mas agora ele, que seria candidato à reeleição, aparece sob forte suspeita, não quanto a reincidência na violação de votação secreta, mas de corrupção.Hoje a cúpula do DEM se reúne com Arruda, o único governador do partido no país, para ouvir suas explicações. Oficialmente, informa o Democratas que se as explicações não forem satisfatórias (se forem, tudo bem), Arruda terá a opção de sair espontaneamente, cancelando sua filiação, para não ser expulso. “O partido lhe dá crédito, mas as preocupações são grandes. Ele deve se defender, mas, se não conseguir se explicar, aí devemos partir para a solução extrema que é a expulsão”, disse o senador Demóstenes Torres, democrata de Goiás. Nos bastidores, a conversa é outra: Arruda sai do DEM, por bem ou na marra.Creio que vale uma comparação. O PT – junto com alguns dos partidos aliados – envolveu-se profundamente com o escândalo do Mensalão, envolvendo figuras de proa da legenda. Até dólares na cueca houve. Mas manteve filiados seus “mensaleiros” e o presidente Lula ainda se deu ao luxo de apoiar para prefeito o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, o do Mensalinho. Aí, aparece a ministra e candidata a presidente da República Dilma Rousseff, defendendo a volta dos mensaleiros petistas à política. Doenças parecidas, tratamentos diferentes.

DIVAGAÇÕES...

FONTE: Janio Lopo (TRIBUNA DA BAHIA).

Posso não ter sido suficientemente claro nos meus últimos comentários acerca das motivações políticas que levaram o governo desencadear o que podemos chamar de operação Agerba, ao invés de “Operação Expresso”, e que tocou fundo no âmago do PMDB baiano. Tenho recebido e-mails contra e a favor às opiniões emitidas neste espaço. As correspondências eletrônicas que vêm assinadas faço questão de respondê-las, independentemente do seu conteúdo. Entretanto, várias delas são apócrifas e não merecem, portanto, qualquer tipo de respeito. Tenho nojo dos covardes anônimos, prática digna dos capachos dos poderosos de plantão.
Precisava fazer esse registro mesmo que me servindo apenas de um desabafo pessoal. Talvez no afã de dizer muita coisa em poucas palavras tenha tropeçado em explicações mais detalhadas e deixado brechas para interpretações precipitadas por parte do eleitor. Em se tratando do episódio Agerba, reafirmo que o PMDB caiu numa armadilha política, já que, através dos vários meios que dispõe, inclusive junto à parte da imprensa, o governo, inteligentemente, passou à impressão à opinião pública de que as tentativas de suborno a empresários de ônibus intermunicipais não foram um fato isolado. O escândalo só valia a pena eclodir à medida que, direta ou indiretamente, envolvesse o ministro Geddel Vieira Lima, adversário de Wagner e Paulo Souto em 2010. Não fosse assim a brincadeira não teria graça.
Ora, Ondina admite que conhecia o esquema fraudulento da Agerba. Qual seria a atitude a tomar? Afastar sua direção depois de apurados os fatos e incrimina-la judicialmente - corruptos e os corruptores. Ponto final. Não é porque, por exemplo, duas petistas – Aglaé Souza e Tânia Pedroso –, ambos ligadas ao PT baiano, são acusadas de mandantes do assassinato do servidor Neylton, há mais de dois anos, nas dependências da Secretaria Municipal de Saúde, que seremos levianos e supor ou imaginar que todos os petistas desta terra são também co-partícipes de um homicídio, inclusive o governador. Sob nenhuma condição diremos que a cúpula nacional do PT, incluso aí o presidente Lula, tem responsabilidades nas mortes dos ex-prefeitos Tonho e Zeca do PT, em São Paulo. Também não se pode dizer que é crime donos de coletivos de Salvador se uniram para eleger um vereador petista à Câmara Municipal. Se o leitor me entende, meu desejo é apenas deixar claro que não se deveria transformar um episódio com características meramente policiais dando-lhe um caráter político.
Como diria o mestre e mensaleiro José Genoino, uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa. Meu sentimento é de que haverá desdobramentos nessa questão da Agerba. O PMDB estaria disposto a revidar o constrangimento e o mal estar que por ora o atinge. Pessoalmente sou contra o espírito de vingança. Acho que o tempo, senhor da razão, nos mostrará o caminho da verdade. No mais, essa história de grampo (legal ou não) é simplesmente o renascimento do fascismo. Quem é judeu sabe mais do que ninguém sobre o que os fascistas são capazes.

DISCUSSÕES SOBRE RAÍZES DA CRIMINALIDADE...

FONTE: *** ÚLTIMA INSTÂNCIA.
Em termos sociais, há um aspecto relevante na ocorrência de crimes que provocam comoção dos cidadãos ou repercussão na mídia, pois são por meio deles que questões importantes acabam sendo provocadas.
Uma delas refere-se ao questionamento dos fatores que provocam a criminalidade. Por exemplo, no episódio ocorrido numa Universidade, em que uma aluna foi hostilizada por usar um vestido alegadamente curto —que em termos atuais não pode ser assim considerado— levantou a pergunta: como foi possível que estudantes perdessem sua perspectiva de cidadania e se transformassem numa massa coletiva, aos moldes de uma horda de bárbaros e provocassem um tumulto de reflexos criminosos, como foi visto em imagens na Internet?
Alguns outros fatores somam-se a esse fato específico e são aqueles que se referem ao local em que a ação, complexa em si mesma, ocorreu. Trata-se de uma região industrializada, um pólo econômico do qual emergiu até mesmo o atual Presidente de nosso estado e que representa simbolicamente a subida da classe trabalhadora ao poder.
Como num local com tais características, o qual, segundo modernas teorias sociológicas, seria o solo de fertilidade necessária ao desenvolvimento de uma consciência efetiva de participação social, poderia um grupo, provavelmente filhos de trabalhadores e famílias ligadas à atividade produtiva, se transformar de tal forma.
Em paralelo à questão da perda da alteridade, tratada no artigo da semana anterior, outras considerações sobre as causas da criminalidade se fazem necessárias. Tem-se que buscar respostas num modelo de análise o qual retrate a complexidade da dinâmica moderna de sociedade, que leve em conta elementos relacionados entre si não mais estaticamente, como pretendia a criminologia tradicional, que via no criminoso um ser irracional, ou seja, um sujeito cujo único problema era não saber utilizar a razão, mecanismo comum a todos os demais seres sociais.
O novo modelo precisa retratar o ser humano sob sua perspectiva de ser vivente integral, que é dotado de razão, mas que pode praticar ações as mais irracionais e que é influenciado e construído pelo meio em que vive, não como “vítima” da sociedade, mas como resultado de forças que nela habitam.
Significa isto ampliar os horizontes no sentido de não justificar somente a criminalidade com base na idéia de pobreza ou ausência de educação, num primeiro momento. Estes também são fatores, mas não isolados.
Para se buscar esse modelo, tenta-se examinar o que se pode chamar de dinâmica social, seu mecanismo de funcionamento e como essa mesma dinâmica pode indesejavelmente contribuir na alimentação de condutas delitivas.
Deve-se partir da análise da estrutura da sociedade como um complexo de forças, as quais podem ser agrupadas em dois sistemas menores ou dois subsistemas. Para facilitar, serão denominados de subsistema da cultura e subsistema da civilidade. Ambos realizam um processo de interferência mútua, imperceptível em termos diários, mas que atuam sintetizando forças próprias de modo intermitente. Não se trata da batida dialética marxista, nem mesmo aquela hegeliana, pois não se visa a um fim absoluto. Há, ao contrário, um movimento de forças que não se esgotam em si mesmas e que mantém a sociedade sempre viva, por assim se dizer.
Pode-se afirmar, para delimitar os campos dos dois subsistemas, que no subsistema da cultura encontram-se todos os projetos que uma dada sociedade possui, enquanto no subsistema civilidade, todos os objetos que uma sociedade consegue concretizar. Na cultura estão as idéias, as ideologias, enfim, o conjunto de tudo aquilo que dentro de uma sociedade tem força motriz mais abstrata. Na civilidade, estão a tecnologia, os produtos, as construções, os bens consumíveis, isto é, tudo aquilo que tenha força motriz concreta dentro do seio social. Desta relação entre projetos e objetos, nasce e se mantém uma sociedade.
No mundo moderno, no qual predomina um modelo capitalista de natureza consumista, os objetos compõem-se basicamente de bens destinados à aquisição e uso e os projetos são lastreados no desejo de possuir tais bens. Esta malha espalha-se em toda sociedade moderna dita normal, até mesmo por força da economia globalizada de mercado. Assim, todos os integrantes da sociedade são, de um modo ou outro, influenciados em sua vida por este fluxo dialético. Todos desejam e adquirem bens, independentemente da classe a que pertençam e os bens são produzidos para atender necessidades de classes distintas. Os cidadãos que obtêm recursos por canais socialmente adequados obtêm tais bens de maneira considerada lícita. Aqueles que não podem, não os obtêm de modo lícito. Aqui se inicia um outro movimento dialético.
Aqueles que não têm espaço para manutenção de vida chamada normal, ou seja, não conseguem se integrar no tecido social, acabam sendo empurrados para outra esfera social, a da chamada informalidade. Direcionados para atividades informais, acabam por adquirir bens também por vias da mesma natureza. Neste ambiente informal de trabalho, são criadas regras próprias de convívio social e o conjunto destas regras faz surgir uma sociedade paralela. Dentro desta, as condutas reiteradamente praticadas tornam-se práticas habituais e induzem ao nascimento de uma “cultura” da informalidade, na qual também são estabelecidos valores próprios. No momento em que é estabelecida esta cultura, o movimento dialético da informalidade se consolida e caminha em paralelo ao sistema político estabelecido pelo Estado.
O ponto fundamental é que dentre as atividades praticadas, algumas não são ilegais no sentido de constituírem crime, mas outras sim. E é exatamente aqui que, na sociedade moderna, nasce o problema, pois o crime participa como colaborador da estruturação do sistema informal descrito, uma vez que a atividade criminosa acaba por ser lucrativa, gerando uma economia própria e permitindo uma estrutura social paralela, como dito acima.
Assim, a dialética da dinâmica social alimenta a formação e a manutenção da criminalidade e não apenas a pobreza ou a ausência de educação. É uma estrutura complexa —e não fatores isolados— que compõe a criminalidade moderna, a qual, por sua vez, se consolida no momento em que, no dinamismo social, as regras estabelecidas numa prática informal e criminosa, dentro do sistema denominado civilidade, finalmente terminam por se reproduzir num sistema cultural, estabelecendo principalmente valores – ou um “ethos criminoso”.
Mas esta figura não é explicita, ela permanece latente, em convívio com o “ethos” social considerado normal. Quando certos mecanismos são acionados, permitem emergir esse “segundo ethos”, o qual se revela nas ações praticadas sob a perspectiva de ilegalidade, pois afrontam o modelo tido por normal. Como partem de um modelo subsidiário, oculto, mas presente, aqueles que praticaram a ação, enquanto a praticam e por algum tempo depois, não a consideram lesiva, não a percebem como tal.
Aqui a perspectiva se abre para se falar dos reflexos da ação criminosa e como ela se retroalimenta no mundo globalizado, mas é exigido outro texto sobre isso.
Como última palavra, a explicação inicial do motivo de falha do modelo de sanção penal adotado, que hoje visivelmente não funciona, porque tem por base a função de “dar exemplo”, com uma idéia de retribuição: pune-se porque se praticou o crime e para que não seja praticado por outros. Mesmo com a lei orientando para a chamada prevenção, nome técnico para a busca da chamada ressocialização, isto não é conseguido, porque é só uma nomenclatura distante da realidade. Mais uma vez, pede-se ao leitor outra oportunidade para se complementar tal argumento.

*** João Ibaixe Jr. é advogado criminalista, sócio do escritório Queiroz Prado Advogados. Especialista em direito penal, pós-graduado em filosofia e mestre em filosofia do direito, foi delegado de Polícia e coordenador da Assessoria Jurídica da Febem. Atualmente é membro efetivo da Comissão de Direito Criminal da OAB-SP, além de professor assistente e coordenador de núcleo de pesquisa da PUC-SP.

ESTRANGEIRISMO E XENOFOBIA...

FONTE: *** ÚLTIMA INSTÂNCIA.
REFÚGIO – Antônio, Benedito, Bento, Carlos, Francisco, Geraldo, José, João, Joaquim, Luiz, Manoel, Pedro, Raimundo, Severino, etc., etc.
Creio que somente aqueles que já tenham ultrapassado as três décadas de vida, pelo menos, têm os nomes da lista. Tudo mudou. A moda agora são nomes inventados, macaquices, mistura de nomes de pai e mãe e outras aberrações.
Antônio, creio que ainda está por aí o mais famoso deles, nas últimas décadas: Antônio Delfim Neto, o todo poderoso ministro do “milagre econômico” dos tempos da ditadura militar.
Bento, Benedito ou Bendito – tudo significa a mesma coisa – somente se conhece um: o Papa.
Ocorre no Brasil um fenômeno interessante quanto à escolha de nomes que os pais fazem para os seus filhos.
Depois dos nomes antigos e tradicionais, como esses da lista do início, a mania eram os nomes de apóstolos de Cristo, como Lucas, Daniel, Pedro, Tiago, Tomé. E por aí vai. Ainda são usados, mas a moda quase passou.
Ainda em época recente, surgiu a mania esdrúxula de inventar nomes para os filhos, combinando os nomes do pai e da mãe. Saíram as coisas mais estrambóticas. Querem um exemplo: a prefeita da cidade de Natal, chamada Micarla, é a combinação de Mirian e Carlos. Este é até tolerável. Mas existem alguns que, é muito provável, os filhos abominam e todos os dias devem imaginar onde seus pais estavam com a cabeça. Listas que circulam, retiradas de registros de Cartórios, mostram anomalias. Há casos de mistura que resulta em pornografia. Outros marcam para a vida inteira os seus donos. São motivos para piadas e chacotas.
Há, no entanto, um fenômeno que, certamente, merece um estudo de cientistas sociais ou de ciências que tratem das manias da população.
Sãs os nomes de jogadores de futebol, no Brasil. Há uma infinidade de nomes de craques (outros nem tanto assim), terminados com a palavra “son”, que em inglês significa filho.
Há, também, uma mania de escolher para os filhos nomes, supostamente em língua estrangeira, terminados em “ton”.
Navegando na internet, encontrei um site de uma entidade que reúne os notários e os tabelionatos, brasis afora, onde consta uma imensa lista de nomes de jogadores de futebol, todos brasileiros. Em tom de piada, diz o editor do site:
“A seleção da coluna entrará em campo para o próximo compromisso com a seguinte formação: Glédson; Joílson, Halisson, Acleisson e Richarlyson; Vanderson, Kléberson, Glaydson e Taison; Wallyson e Keirrison. No banco de reservas ficarão Wanderson (goleiro), Jadilson, Maylson, Leanderson, Cleverson e Roberson.
A seleção adversária, armada no três-cinco-dois, se apresentará com: Weverton; Adailton, Heverton e Welton; Arilton, Cleiton, Éverton, Uelliton e Neilton; Washington e Elton. Os reservas serão Dalton (goleiro), Erivelton, Hamilton, Wellington, Hélton e Jailton.”
Garante o portal notarial que, sem exceção, todos são nomes verdadeiros, pinçados nos livros de registro.
Para complementar, ainda aparecem outros nomes de jogadores, como “Weverton, goleiro do Vila Nova, de Goiás e Acleisson, volante do Mirassol, clube do interior paulista”, dizem os notários.
Vai distante o tempo em que os jogadores mais conhecidos, notadamente aqueles da seleção do Brasil, tinham apelidos como Pelé, Didi, Dida, Pepe, Telê, Zico. E por aí seguia. Os nomes mudaram, mas a história mostra que os antigos eram melhores.
O que explicaria o fenômeno?
Dizem alguns estudiosos que os pais, quando escolhem os nomes extravagantes, têm o intuído de dar aos filhos nomes que os tornem importantes. Para tanto, entendem que o meio mais apropriado são os nomes em inglês. Não querem que os filho sejam iguais a todos os outros, ou um “João ninguém”.
Há, ainda, um outro detalhe interessante: vários jogadores de futebol brasileiros têm o nome de Maicon. É um deles o lateral direito da seleção brasileira, titular do Internacional, de Milão, apontado como o melhor do mundo em sua posição.
As hipóteses aventadas para explicar são várias. Diz a maioria que seria uma corruptela do nome, também em inglês, Michael. Poderia levar, dessa forma, a vincular os “Maicon” ao Michael Jackson, o astro pop recentemente falecido. Outro detalhe é que, além da grafia mais usada, Maicon, existem, ainda, registros indicando que há pessoas chamadas Maycon, Maykon e Maikon.
Tenho minhas dúvidas quanto à explicação sobre o uso do Maicon como uma imitação (ou homenagem) ao Michael Jackson. Existem alguns “Maicon” (como o lateral direito já aludido) que têm idade em torno de trinta anos. Ora, há três décadas o astro norte-americano ainda não era assim tão famoso no Brasil.
Outros nomes chamam a atenção. Em outra pesquisa, encontrei listas de pessoas que têm nomes esquisitos. Por exemplo, ainda com a mania do estrangeirismo, embora muitos sejam difíceis de acreditar, há pessoas com os seguintes nomes: Gabrielly, Rayssah, Fillypy, Marcelly, Karollyne, Kammilly, Gennyfer,Jhenyffer,Jenifer; Wellynton,Welyntone, Ueliton, Wellston, Klésya; Wuesclein; Keylliannys, Willybur, Welcon, Jheysi, etc., etc. A maioria dos nomes desta última lista foi encontrada em uma pesquisa feita por estudantes de sociologia, em comunidades de grandes cidades do Brasil.
Há, ainda, um outro aspecto que pode determinar estudo para explicar por que existem tantos brasileiros obcecados por palavras estrangeiras. Há, até, um detalhe. Ninguém pode desconhecer que, no Brasil e em muitos outros lugares do mundo, existe uma aversão aos americanos e, por conta disso, são até hostilizados. É uma xenofobia que a cada dia mais se acentua. Não são bem vistos até os brasileiros que residem nos Estados Unidos, como é o meu caso.
No entanto, há uma mania de usar expressões em inglês, certamente com o propósito de impor mais status.
Não se usa mais “entrega”. Agora é “delivery”. A antiga liquidação ou queima de estoque mudou para “sale”. Ninguém mais dá descontos. Agora usa-se o “off” para indicar redução nos preços.
E por aí vai!

*** Josué Maranhão é jornalista e advogado aposentado. Iniciou-se como jornalista no Nordeste, na década de 1950. Atuou durante 15 anos, tendo exercido diversas funções em redações de jornais. Formado em direito pela UF-RN, advogou em Natal e foi juiz em Recife, nos anos 1960 e 70. Em São Paulo, trabalhou como advogado durante mais de 20 anos. Mudou-se para o exterior em 1996. Morou na Indonésia e na Malásia. Reside em Boston (EUA) desde 1998, quando voltou ao jornalismo. É autor de Jacarta, Indonésia, Fazer a América e Um Repórter à Moda Antiga, todos à venda na Livraria Última Instancia.

ALUNA EXPULSA DE FACULDADE SERÁ INDENIZADA EM R$ 6.225 EM MG...

FONTE: ÚLTIMA INSTÂNCIA.
A 17ª Câmara Cível do TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) condenou a Faculdade de Itaúna a indenizar uma estudante em R$ 6.225 por danos morais. Ela foi expulsa da instituição por supostas agressões ao reitor durante a participação em um protesto, mas a faculdade não apresentou provas suficientes do ocorrido.
De acordo com os autos, a faculdade expulsou a estudante sob o fundamento de que, durante um protesto que os alunos faziam, em março de 2001, reivindicando melhorias em um prédio do campus, ela agrediu o reitor com palavras de baixo calão e o ameaçou, alterando a rotina da faculdade. Em julho de 2006, a ex-estudante ajuizou ação pleiteando indenização por danos morais, argumentando que a faculdade a acusou injustamente, pois não houve qualquer prova das agressões verbais nem das supostas ameaças. Em consequência da punição que sofreu, teve a conclusão de seu curso atrasada em um ano. Além disso, apesar de ter conseguido a reintegração no quadro de discentes da faculdade, através de uma liminar, foi discriminada pela instituição até o final do curso. A faculdade, em sua defesa, argumentou que instaurou um processo disciplinar para apurar as atitudes tidas como abusivas durante o protesto. Além disso, alegou prescrição, pois a ex-aluna ajuizou a ação cinco anos após o protesto, sendo que o prazo prescricional da relação de consumo é de cinco anos. A juíza de 1ª Instância, Andrea de Souza Foureaux Benfica, não aceitou os argumentos e fixou a indenização no valor de R$ 6.225. A instituição, então, recorreu ao Tribunal. No entanto, a turma julgadora confirmou a sentença de primeira instância. Os magistrados entenderam que a matéria tem caráter pessoal e não de cunho consumerista, o que afasta o argumento da prescrição. Além disso, eles destacaram que a instituição não conseguiu provar as alegações que motivaram a expulsão.

domingo, 29 de novembro de 2009

JOGOS DE VOLTA DEFINEM OS GRANDES FINALISTAS DO INTERMUNICIPAL 2009...

Porto Seguro, Coarací, Serrinha e São Francisco do Conde estiveram hoje frente-a-frente jogando muito para garantirem as vagas de finalistas do Campeonato Intermunicipal 2009.
Com esses resultados São Francisco do Conde e Serrinha carimbaram seus passaportes com voo direto para a grande final do Campeonato Intermunicipal - Edição 2009. Os resultados dos jogos de volta foram

* São Francisco do Conde 3 x 1 Coarací
* Serrinha 3 x 0 Porto Seguro

* Classificados para a grande final da competição.

VAMOS RELEMBRAR COMO FOI A CAMPANHA DAS DUAS FINALISTAS DO INTERMUNICIPAL...

Após as partidas da tarde deste domingo, Serrinha e São Francisco se consagraram as duas Seleções finalistas do Campeonato Intermunicipal - Edição 2009. Vamos relembrar como foi a campanha das duas Seleções.

SERRINHA

A Seleção de Serrinha, originária do Grupo 02, juntamente com as Seleções de Santaluz, Amélia Rodrigues e Feira de Santana, teve bons resultados na primeira fase. Confira:

1ª. FASE
06 Jogos
05 Vitórias
01 Derrota
CONFRONTOS
Serrinha 5 x 0 Amélia Rodrigues
Santa Luz 0 x 1 Serrinha
Serrinha 5 x 1 Feira de Santana
Feira de Santana 0 x 3 serrinha
Serrinha 1 x 0 Santa Luz
Amélia Rodrigues 1 x 0 Serrinha

Finalizou a fase na 1ª colocação do Grupo atingindo 15 pontos e com o aproveitamento de 83%, conquistando assim vaga para a fase seguinte.
Integrando o Grupo 16, com São Fco. do Conde, Ipirá e Crisópolis, a Seleção de Serrinha continuou atingindo pontos suficientes para seguir para adiante. Confira como foi seu desempenho na 2ª Fase:

2ª. FASE
06 Jogos
03 Vitórias
02 Empates
01 Derrota
CONFRONTOS
Ipirá 0 x 1 Serrinha
Serrinha 3 x 0 Crisópolis
Serrinha 3 x 1 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 0 x 0 Serrinha
Crisópolis 2 x 1 Serrinha
Serrinha 1 x 1 Ipirá

Com o aproveitamento de 61% e atingindo a segunda colocação do Grupo, Serrinha avançou para a 3ª Fase da competição, veja como foram os confrontos:

3ª. FASE
02 Jogos
01 Vitória
01 Empate
CONFRONTOS
Serrinhá 5 x 1 Itagibá
Itagiba 1 x 1 Serrinha

No Grupo 26, concorrendo com Itagibá, a Seleção de Serrinha, venceu o jogo de ida com facilidade e no jogo de volta conquistou o empate com a Seleção concorrente. Com aproveitamento técnico de 67% e com a pontuação necessária avançou para a fase Quartas-de-Final.
Já na fase Quartas-de-Final, compondo juntamente com a Seleção de Valença o Grupo 32, venceu as duas partidas da fase, atingindo 100% de aproveitamento na fase e garantindo a vaga de semifinalista do Campeonato Intermunicipal.

QUARTAS DE FINAL
02 Jogos
02 Vitórias
CONFRONTOS
Valença 0 x 1 Serrinha
Serrinha 1 x 0 Valença

A Seleção de Serrinha, conseguiu quebrar a invencibilidade da Seleção de Porto Seguro que mantinha sua campanha sem nenhuma derrota, até encontrar com a Seleção de Serrinha na fase semifinal.

SEMIFINAL
02 Jogos
02 Vitórias
CONFRONTOS
Porto Seguro 0 x 2 Serrinha
Serrinha 3 x 0 Porto Seguro

Na fase semifinal terminou com 100% de aproveitamento.
No quadro geral de classificação, a Seleção de Serrinha foi líder da competição nas cinco primeiras rodadas, oscilou algumas rodadas entre a 2ª e a 3ª colocação e vem se mantendo sempre nessas posições, mostrando assim uma regularidade no seu desempenho.

SÃO FRANCISCO DO CONDE.

Integrante do Grupo 04 na 1ª fase da competição, a Seleção de São Francisco do Conde concorreu suas primeiras rodadas com as Seleções de Santo Amaro, Saubara e Simões Filho. Confira como foram os jogos que a Seleção disputou:

1ª. FASE

06 Jogos
03 Vitórias
03 Empates
CONFRONTOS
Saubara 0 x 2 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 0 x 0 Simões Filho
Santo Amaro 0 x 0 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 1 x 1 Santo Amaro
Simões Filho 1 x 3 São Francisco do Conde
São Francisco 4 x 0 Saubara

Foi a 1ª colocada do seu Grupo atingindo 12 pontos e o aproveitamento de 67%, garantiu vaga para a fase seguinte.
Na 2ª fase passou a integrar o Grupo 16, juntamente com as Seleções de Ipirá, Crisópolis e a também semifinalista, Serrinha. Veja como foram os jogos nesta fase:

2ª. FASE
06 Jogos
04 Vitórias
01 Empate
01 Derrota
CONFRONTOS
Crisópolis 0 x 1 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 5 x 1 Ipirá
SZerrinha 3 x 1 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 0 x 0 Serrinha
Ipirá 0 x 6 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 2 x 1 Crisópolis

Finalizou a 2ª fase novamente como a 1ª colocada do Grupo com 13 pontos ganhos e o aproveitamento técnico de 72%.
Na 3ª fase, a Seleção de São Francisco do Conde compôs juntamente com Conceição da Feira, o Grupo 25. Veja como foram os jogos:

3ª. FASE
02 Jogos
02 Vitórias
CONFRONTOS
Conceição da Feia 1 x 7 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 3 x 0 Conceição da Feira

Com as duas vitórias São Francisco carimbou mais uma vez o passaporte para a fase seguinte. Com o aproveitamento técnico 100% na 3ª fase, a Seleção seguiu para a fase quartas-de-final.
Nas quartas-de-final, fez parte do Grupo 31 e a Seleção adversária era uma velha conhecida, Pojuca. Em outras edições do Intermunicipal desclassificou a Seleção de São Francisco do Conde na reta final, desta vez, o enredo foi diferente.
Confira os resultados dos confrontos entre São Francisco do Conde e Pojuca.

QUARTAS DE FINAL.
02 Jogos
01 Vitória
01 Empate
CONFRONTOS
Pojuca 0 x 1 São Francisco do Conde
São Francisco do Conde 1 x 1 Pojuca

Com a vitória no jogo de ida e o empate no jogo de volta, a Seleção de São Francisco garantiu vaga entre as semifinalistas.

SEMIFINAL
02 Jogos
01 Derrota
01 Vitória
CONFRONTOS
Coarací 1 x 0 São Francisco
São Francisco do Conde 3 x 1 Coarací

São Fco. do Conde sofreu uma derrota no jogo de ida contra Coarací, mas em casa buscou o resultado e conquistou sua vaga na final após terminar a partida em 3 x 1 sobre Coarací.
Num apanhado geral do campeonato, começou a atingir suas melhores colocações a partir da 7ª rodada, quando alcançou a 7ª colocação entre as 55 Seleções. Depois disso chegou a ser 9ª colocada nas rodadas 9ª e 10ª depois arrancou para a 3ª colocação, onde está até agora.
Mesmo terminando no quadro geral na 3ª colocação conseguiu sua classificação no saldo de gols contra Coarací.

FLA CUMPRE SEU PAPEL, VENCE CORINTHIANS E É O NOVO LÍDER DO BRASILEIRO...

FONTE: Bruno Doro em Campinas (São Paulo) (UOL ESPORTE).
No Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, a torcida do Flamengo comemorou seis vezes. Não, o jogo contra o Corinthians não foi uma chuva de gols. A vitória, 2 a 0, foi pobre em emoções. Mas, somado aos resultados da rodada - e principalmente aos quatro gols do Goiás no Serra Dourado -, bastou.Pela primeira vez no Campeonato Brasileiro de 2009, o Flamengo é líder, com 64 pontos. Agora o time carioca depende apenas de si para conquistar o sexto título nacional (o quinto, nas contas da CBF). Para isso, basta vencer o Grêmio na última rodada, no domingo que vem, no Maracanã, para erguer um troféu que não fatura desde 1992. Mesmo com derrota o Fla pode ser campeão, desde que Inter, Palmeiras e São Paulo também tropecem.Mas antes, os flamenguistas já celebravam. Não com o rendimento do time em Campinas, mas com o jogo do Serra Dourada. O São Paulo saiu na frente, mas levou, depois, quatro gols do Goiás. No Brinco de Ouro, os flamenguistas comemoram mais os feitos esmeraldinos do que os rubro-negros.Com as atenções voltadas para outro estádio, nem notaram as duas ausências do dia. Ronaldo e Adriano deveriam ser os grandes nomes do confronto deste domingo, mas não compareceram. O Fenômeno até entrou em campo. Mas lento, pesado, jogou só 23 minutos. Deu uma arrancada. O Imperador nem foi para Campinas. Treinou só uma vez na semana, com uma bolha no pé esquerdo.
O JOGO.
A falta de emoções em Campinas já era prevista. O time paulista entrou em campo apático, assistindo o meio-campo do Flamengo armar as jogadas. Ora pela direita, com Léo Moura e Williams em cima de Escudero, ora pela esquerda, com Juan e Zé Roberto contra Jucilei.Logo aos três minutos, Edu, após carrinho em Léo Moura, se machucou. Ronaldo foi o próximo. Aos 25 minutos, o Flamengo já tinha até acertado a trave, com Álvaro, quando o Fenômeno arrancou.Como sempre, protegeu bem a bola, passou pela defesa, tentou o chute. Foi travado. Reclamou de dores no ombro e, rapidamente, deixou o jogo. "Ele sentiu uma fisgada no músculo posterior da coxa. Tem que fazer exame para saber se é de grau 1 ou 2", explicou o médico do time, Paulo Faria. Mas a substituição foi a senha para o Flamengo.Sem Ronaldo, o grande nome do jogo, pelo menos no papel, os flamenguistas apertaram. Como resposta à saída do ídolo corintiano, Toró aproveitou a marcação ruim de Jucilei, achou Zé Roberto nas costas da defesa. Ele entrou na área, chutou cruzado. Felipe tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol: 1 a 0 para o Flamengo.A torcida do Flamengo vibrou em dobro. Longe, no estádio Serra Dourada, o Goiás empatara o jogo com o São Paulo. Liderança rubro-negra.Atrás no placar, o Corinthians seguiu apático até os 37 minutos, quando Souza, apagado em sua passagem pelo Parque São Jorge, apareceu. Ele recebeu de Jorge Henrique, virou para cima da zaga e achou Defederico, livre, no meio da área. O argentino chegou a driblar Bruno, mas a bola não entrou.Cinco minutos depois, a torcida do Flamengo explodiu mais um vez. O jogo estava parado. A bola, no meio do campo. A alegria teve origem, novamente, em Goiânia, com o segundo gol do Goiás.Aos 39, uma confusão no meio-campo, após carrinho de Souza em Williams. A jogada parecia inocente, mas Evandro Rogério Romam deu cartão amarelo. Na sequência, cartões amarelos para Chicão e Elias, por reclamação, e expulsão de Mano Menezes.Na saída de campo, os corintianos se mostraram revoltados com o árbitro. "Tem de entrevistar o árbitro. Ele é um merda. Não sabe o que está fazendo. Está falando que a nossa função não é questionar a arbitragem. Nunca vi isso", disse Elias.Essa ira voltou para o campo no segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Defederico fez boa jogada no meio, driblou dois e chutou de longe. Bruno defendeu com facilidade, mas era a mostra da mudança de postura do time paulista. Aos 13, o primeiro lance de perigo: Defederico, mais uma vez, cobrou escanteio na cabeça de Paulo André. Bruno pegou bem. Aos 18, outro lance de perigo.A pressão corintiana fez Andrade se mexer. Tirou Pet, que foi anulado pelo trio de volantes do Corinthians, colocou o chileno Fierro. Logo em seguida, ele levou uma entrada dura de Chicão. O juiz não viu, mas foi alertado pelo assistente. Assim que ele mostrou o vermelho para o zagueiro corintiano, a torcida do Flamengo voltou a cantar. Alegria pela expulsão? Não. Pelo terceiro do Goiás. Aos 30, o grito foi ainda mais forte. Goiás 4 a 2, liderança garantida. O segundo gol, aos 46 minutos, de pênalti, marcado por Léo Moura - e Felipe nem foi na bola, em protesto -, foi só um detalhe.
Corinthians 0 x 2 Flamengo
Corinthians: Felipe; Jucilei, Chicão, Paulo André e Escudero (Dodô); Elias, Boquita, Edu (Moradei, aos 3min do 1ºT) e Defederico; Jorge Henrique e Ronaldo (Souza, aos 25min do 1ºT). Técnico: Mano Menezes
Flamengo: Bruno; Léo Moura, Ronaldo Angelim, Álvaro e Juan; Williams, Airton, Toró e Petkovic (Fierro); Zé Roberto e Bruno Mezenga (Denis Marques). Técnico: Andrade
Local: Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR) - Assistentes: Alessandro Rocha Matos (BA) e Altemir Hausmann (RS)
Cartões amarelos: Álvaro, Toró e Petkovic (FLA), Moradei, Souza, Chicão, Elias, Escudero e Dodô (COR)
Expulsos: Mano Menezes e Chicão (COR)
Gols: Zé Roberto, aos 26 min do primeiro tempo, e Léo Moura, aos 48min do tempo.

GOIÁS VENCE, ESTRAGA A FESTA DO HEPTA E SÃO PAULO CAI PARA QUARTO LUGAR...

FONTE: Carlos Padeiro, em Goiânia (GO) (UOL ESPORTE).
GOIÁS 4 x 2 SÃO PAULO
GOIÁS: Harlei; Rafael Toloi, Ernando e Leandro Euzébio; Vítor, Rithelly (Amaral), Fernando, Léo Lima e Douglas (Julio Cesar); Iarley e Fernandão (Romerito). Técnico: Hélio dos Anjos
SÃO PAULO: Rogério Ceni; Renato Silva, André Dias e Rodrigo (Marlos); Jean, Arouca (Henrique), Hernanes, Jorge Wagner (Oscar) e Junior Cesar; Hugo e Washington. Técnico: Ricardo Gomes
Local: estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR) - Assistentes: Roberto Braatz (PR) e Carlos Berkenbrock (SC), ambos da Fifa
Público: 28.574 - Renda: R$ 1.185.865,00
Cartões amarelos: Fernando (G), Rithelly (G), Douglas (G), Iarley (G), Julio Cesar (G); Hugo (SP)
Gols: Washington (SP), aos 16min, Vítor (G), aos 22min, Rithelly (G), aos 37min do primeiro tempo; Fernandão (G), aos 22min, Washington (SP), aos 26min, Leo Lima (G), aos 27min do segundo tempo.

DIEGO SOUZA MARCA GOLAÇO, PALMEIRAS SE REDIME CONTRA ATLÉTICO-MG E SEGUE NA BRIGA...

FONTE: Rodrigo Farah, em São Paulo (UOL ESPORTE).
PALMEIRAS 3 x 1 ATLÉTICO-MG
PALMEIRAS: Marcos; Figueroa, Maurício Ramos (Marcão), Danilo e Wendel; Edmílson, Sandro Silva, Deyvid Sacconi e Cleiton Xavier (Souza); Diego Souza (Ortigoza) e Vagner Love. Técnico: Muricy Ramalho
ATLÉTICO-MG: Carini; Carlos Alberto, Werley, Benítez e Thiago Feltri (Rentería); Jonílson, Renan, Márcio Araújo (Correa) e Evandro; Diego Tardelli e Éder Luís (Ricardinho). Técnico: Celso Roth
Local: estádio Parque Antarctica, em São Paulo (SP)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF) - Assistentes: Erich Bandeira (PE) e Ênio Ferreira de Carvalho (DF)
Público: 25.402 torcedores - Renda: R$ 583.961,00
Cartões amarelos: Sandro Silva (PAL); Carlos Alberto 2, Thiago Feltri, Rentería, Ricardinho (ATL)
Cartão vermelho: Carlos Alberto (ATL)
Gols: Cleiton Xavier, a 1min, Diego Tardelli, aos 12min, Diego Souza, aos 16min, Vagner Love, aos 45min do primeiro tempo.

INTER VENCE O SPORT DE VIRADA E CHEGA NO FINAL COM CHANCES DE TÍTULO...

FONTE: UOL Esporte, em Porto Alegre.
SPORT 1 x 2 INTERNACIONAL
Sport: Magrão; Igor, César e Durval; Freire, Fabiano (Isael), Zé Antônio, Fininho (Lincon Maranhão) e Dutra; Wilson e Vandinho (Eduardo Silva). Técnico: Levi Gomes
Internacional: Lauro; Danilo Silva (Glaydson), Índio, Bolívar e Kléber; Sandro, Guiñazu, Giuliano e D'Alessandro (Andrezinho); Marquinhos (Edu) e Alecsandro. Técnico: Mário Sérgio
Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa/SP) - Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e Vicente Romano Neto (SP)
Cartões amarelos: Zé Antônio, Freire, Eduardo Silva (Sport); Sandro, Guiñazu, Glaydson (Inter)
Gols: Vandinho, aos 40min do primeiro tempo. Kléber, aos 22min; Andrezinho, aos 38min do segundo tempo.

BEBEL GILBERTO REAFIRMA NOVO ESTILO DA BOSSA NOVA EM RECENTE DISCO...

FONTE: *** Hagamenon Brito (CORREIO DA BAHIA).
Bebel Gilberto, 43 anos, está muito bem com a vida. Estreando na lendária gravadora americana Verve, a mesma que em 1963 propagou a bossa de seu pai, João Gilberto, pelo mundo e também produziu o clássico Getz/Gilberto, ela canta na primeira faixa do CD All in one: “Sonhando acordada/ Lembrando do que então seria/ Estar com você por um da/Ou pra sempre.../É o meu amor/ É o meu amor/ Eu só quero cantar pra você” (Canção de amor).
Os versos valem tanto para o engenheiro de som Didiê Cunha, com quem Bebel vive há dois anos, como para o seu público que, apenas no exterior, comprou 2,5 milhões de cópias dos seus três álbuns anteriores. Sim, nascida em Nova York, criada no Rio ao lado do amigo Cazuza (1958-1990) e radicada nos EUA no começo dos anos 90, a cantora é a mais internacional de todas as intérpretes brasileiras desde Carmen Miranda (1909-1955) e Astrud Gilberto, a primeira mulher de João (a mãe de Bebel é Miúcha, irmã de Chico Buarque).
“Estou realmente feliz, apaixonada, e esse disco reflete isso, você não acha?”, pergunta ao repórter, por telefone, com um risinho gostoso. De fato, All in one é ainda mais solar do que o marcante Tanto tempo (2000), o álbum que disseminou a bossa eletrônica pelo planeta e transformou Bebel em musa moderna da MPB e artista pop internacional.
JAMAICA E BAHIA
Mas o que esperar de um disco que começou a ser gravado naJamaica, onde Bebel fez uma versão não-reggae em português de Sun is shining (do rei Bob Marley), e que depois desembarcou em praias baianas? Mais precisamente, no estúdio Ilha dos Sapos, de Carlinhos Brown, marido de Helena Buarque, prima querida da cantora.
“Esse disco é resultado de várias emoções e coisas boas. As temporadas na Jamaica e na Bahia foram maravilhosas. Na Jamaica, estávamos também de férias, apaixonados. A gente ficava no estúdio, mergulhava, aquele mar lindo, fumava (risos). Em Salvador, em abril deste ano, Carlinhos nos recebeu com o carinho habitual e abraçou de corpo e almao trabalho”, conta.
Além de trabalhar em duas das composições feitas na Jamaica, Brown produziu as faixas Nossa Senhora (dele e de Paulo Levita, da dupla Palmyra & Paulo Levita), Ela/On my way (parceria com Bebel), Secret/Segredo (Bebel e Thomas Barlett), All in one (de Bebel e Cézar Mendes) e Chica chica boom chic.
Sucesso de Carmen Miranda em 1941, Chica chica boom chic ressurge com tempero eletrônico, percussão baiana, participação vocal de Brown e está na trilha da novela Viver a vida (Globo).

O PAI JOÃO
Um dos destaques do trabalho é a releitura de Bim bom (João Gilberto), gravada em Nova York e com participação de Daniel Jobim, neto do maestro Tom Jobim (1927-1994), no piano e no vocal. Pela primeira vez, Bebel gravou uma composição do seu genial pai.
E o que João achou da gravação? “Ele escutou por telefone, mas prefiro não comentar o que ele achou (risos). Foi coragem minha gravar Bim bom. Adoro meu pai, mas ele tem o jeito dele”, afirma a cantora. Com Momento (2007) e o novo álbum, Bebel reafirma um estilo próprio (de pop moderno com influência da bossa, algo nu jazz), depois que a sua bossa eletrônica do começo da década virou referência para muitas intérpretes e provocou o surgimento de clones em todo o mundo.
Ela, porém, não ficou chateada com a clonagem. “All in one tem pouca programação eletrônica, mas eu não liguei para os clones (risos). Música é mesmo algo reciclado o tempo todo. Depois, eu não me vejo em nenhuma outra cantora. Eu já te disse: sou inimitável, meu querido (risos)”, explica Bebel, que credita o sucesso internacional de sua música ao esforço do seu investimento, ao que ela vem fazendo nos Estados Unidos e na Europa (Inglaterra, sobretudo) desde o começo da década.
SHOWS NO BRASIL
“Minha base é em Nova York e em Londres. Me dedico muito mesmo, faço três turnês por ano no mesmo país. Musicalmente, eu não teria criado meu estilo se tivesse ficado no Brasil”, afirma, segura.
O time de produtores de All in one reflete bem o multiculturalismo da arte de Bebel Gilberto: além de Carlinhos Brown, tem Didi Gutman (argentino radicado nos EUA e integrante do grupo Brazilian Girls), Mario Caldato (brasileiro-americano), Mark Ronson (colaborador de Amy Winehouse e Lily Allen) e John King (dos Dust Brothers, responsáveis por álbuns de Beastie Boys e Beck).
Já na estrada, a cantora planeja shows no Brasil entre março e abril: “Adoraria cantar em Salvador. É quase que inacreditável, mas ainda não conseguir fazer uma turnê pelo Nordeste”.
CONFIRA ALGUNS VPIDEOS DE BEBEL GILBERTO.