sábado, 28 de fevereiro de 2015

ORAÇÃO DO BEBÊ...

         


Um mês e o tempo voa
Eu já sou
E você nem descobriu

São dois e chega perto
Mas eu ainda sou
Pequeno demais, viu

Três meses e o tormento
Esse que é o sofrimento
Eu também já posso sentir
Vê se aquieta o coração
Pra quando eu sair daqui
Talvez eu dê trabalho

Uma vida de despesas
Mais por favor me deixa ficar
E se por um acaso eu não tiver seus olhos
Você ainda vai me amar
Eu sei que ansiedade
É quase uma inimiga
Mas eu não quero ser confusão
Então por favor me deixa na sua vida
Mas vê se aquieta o seu coração

Se é tempestade todo medo se for arrependimento
Por favor tira daí
Você ainda não me tem inteiro
Nem me conhece direito
Mas já posso te ouvir
E quando a barriga for crescendo
Você ainda vai ser linda
E eu nem preciso te ver
Seque o choro e fique aqui comigo
Que até assim tristinha
Eu já sei que eu amo você

Quatro meses tempo
Eu te imploro paciência
Eu vim do céu por causa do amor
Com cinco faltam quatro
E eu aposto que os presentes
Já tão vindo em rosa ou azul

E quando chega o sexto
Todo mundo já viu
Que você não anda sozinha
No sétimo eu já tenho lencinhos
Com meu nome
Desculpa pai mas ela é só minha

Se é tempestade todo medo se for arrependimento
Por favor tira daí
Você ainda não me tem inteiro
Nem me conhece direito
Mas já posso te ouvir
E quando a barriga for crescendo
Você ainda vai ser linda
E eu nem preciso te ver
Seque o choro e fique aqui comigo
Que até assim tristinha
Eu já sei que eu amo você

Oitavo mês aguenta
Que eu já tô chegando
Só quero um jeito de te encontrar
No nono vem a pressa
A dor, o choro, a gente
Desculpe você ter que sangrar

E por mais uns anos
Você vai fazer planos
Pensando se eles servem pra mim
E eu vou te acordar
Bem de madrugada
Você vai me amar mesmo assim

O meu primeiro passo
Vai ser no teu abraço
Me segura quando eu cair
E no final do dia
É só a tua voz
Que vai poder me fazer dormir

Se é tempestade todo medo se for arrependimento
Por favor tira daí
Você ainda não me tem inteiro
Nem me conhece direito
Mas já posso te ouvir
E quando a barriga for crescendo
Você ainda vai ser linda
E eu nem preciso te ver
Seque o choro e fique aqui comigo
Que até assim tristinha
Eu já sei que eu amo...

Se é tempestade todo medo se for arrependimento
Por favor tira daí
Você ainda não me tem inteiro
Nem me conhece direito
Mas já posso te ouvir
E quando a barriga for crescendo
Você ainda vai ser linda
E eu nem preciso te ver
Seque o choro e fique aqui comigo
Que até assim tristinha
Eu já sei que eu amo você 
                                         
                                         Autor desconhecido.

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel.

PREVENÇÃO DA OSTEOPOROSE PRECISA COMEÇAR NA INFÂNCIA, DIZ ORTOPEDISTA...

FONTE: *** Do UOL, em São Paulo (noticias.uol.com.br).
Os cuidados para prevenir a osteoporose devem ter início ainda na infância, recomenda o diretor de Relações Institucionais do Comitê de Doenças Osteometabólicas da Sociedade Brasileira de Ortopedia (Sbot), Márcio Passini.

"O nosso esqueleto vai sendo trocado sistematicamente porque a gente vai crescendo", diz ele.

Segundo Passin, na infância, esse processo é mais rápido. Depois, na idade madura, pelo menos 6% do esqueleto é trocado por ano. Quando a pessoa faz uma atividade física, isso estimula o osso a ser mais forte.

O diretor lembra, entretanto, que esse processo não ocorre da noite para o dia e que é preciso um tempo para que o esqueleto se adapte à nova necessidade.

População está perdendo massa óssea.

O exame chamado densitometria, surgido em 1992, passou a medir a densidade mineral óssea, isto é, a quantidade de cálcio. "Foi um divisor de águas, porque passou a permitir que as pessoas que estavam se tratando de osteoporose soubessem se estavam melhorando. Com isso, foi possível verificar quais medicamentos funcionavam bem."

Em 1994, vários países fizeram padrões para a densitometria de acordo com a sua população. Um estudo foi feito por médicos italianos com um conjunto de pessoas de 35 anos de idade para mostrar quais eram os padrões. Em 2004, repetiram o estudo, com uma população semelhante à anterior.

"E levaram um susto, porque viram que, em dez anos, a nova população tinha 10% menos massa óssea do que a população anterior. Dez por cento [em dez anos] significa 1% ao ano", ressalta Passini.

Hábitos da infância criam problemas na velhice.

Segundo o ortopedista, a população idosa está evoluindo, mas a população osteoporótica cresce mais ainda. "Tem mais idoso com osteoporose do que tinha há dez ou 20 anos".

De acordo com ele, essa transformação está relacionada aos hábitos cultivados desde a infância e a juventude, conhecidos como hábitos deletérios. É o caso da criança que parou de tomar leite e passou a consumir mais refrigerante.

Passini disse que uma das preocupações, entretanto, está na adolescência, etapa em que a pessoa forma massa muscular que, ao se  desenvolver, força o osso a ter uma qualidade melhor.

O médico lembra que, antigamente, havia muitas fraturas em crianças, até os 12 anos de idade, e depois só fraturas por acidentes graves, porque o osso ia ficando cada vez mais forte.

De acordo com o especialista, hoje o quadro é outro. Ele destaca que os adolescentes pararam de competir em quadras esportivas e passaram a competir em jogos de computador.

Na população idosa, está havendo um crescimento de osteoporose em torno de 10%, estima Passini. "A gente vai ter, no futuro, praticamente todos os idosos osteoporóticos, o que poderá levar a uma situação de calamidade pública".

Apesar da expansão do tratamento da osteoporose, o número de fraturas osteoporóticas vem aumentando. A doença, frisou o médico, é desproporcional ao crescimento da população com mais idade.

Embora não haja números estatisticamente suficientes, Passini diz que, em função dos hábitos adquiridos a partir da infância, está aumentando a proporção de pessoas que têm osteoporose acima dos 50 anos.

"Não atingimos ainda o nível de desenvolvimento de populações mais idosas como existe no Japão. Mas a gente acredita que a nossa população osteoporótica vai crescer e  vai se igualar à de outras partes do mundo."


*** Alava Gandra; da Agência Brasil.

SAIBA COMO PREVENIR A CISTITE...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.
A cistite é uma inflamação da bexiga causada, na maioria das vezes, por uma infecção bacteriana. Homens, mulheres e crianças estão sujeitos à doença, que, no entanto, é prevalente no sexo feminino, já que as características anatômicas das mulheres favorecem sua incidência.
“A cistite apresenta sintomas inconvenientes e desconfortáveis, como necessidade urgente de urinar com frequência; escassa eliminação de urina e ardor em cada micção; dores na bexiga, nas costas e no baixo ventre; febre; e sangue na urina (em casos mais graves). Além disso, algumas mulheres ainda sofrem por desenvolver cistites repetidas”, explica o urologista Raphael Moreira.
Mais de 80% dos casos de cistite são causados por uma bactéria que vive no nosso intestino, chamada Escherichia coli. Eles ocorrem quando estas bactérias, que deveriam permanecer no trato intestinal, conseguem colonizar a região ao redor da vagina.
“Muitas mulheres têm vergonha de apresentar cistite, pois relacionam a doença a maus hábitos de higiene. Sim, é importante redobrar os cuidados com a higiene pessoal, mas essa não é necessariamente a causa da cistite”, explica.
O tratamento da cistite deve ser feito por meio de antibiótico, para evitar a evolução da doença e também recorrências. Dr. Raphael Moreira afirma que se o tratamento for seguido à risca, a probabilidade de cura é grande. “No entanto, é fundamental tomar os medicamentos respeitando o tempo recomendado pelo médico, mesmo que os sintomas tenham desaparecido com as primeiras doses”.
Para evitar as dores e o desconforto gerados pela cistite, o especialista dá algumas dicas para que as mulheres evitem a doença. A primeira delas é beber muita água e outros líquidos. Urinar com frequência ajuda a expelir as bactérias da bexiga.
“Não é indicado reter a urina na bexiga por longos períodos. Além disso, certifique-se de esvaziou a bexiga a cada ida ao banheiro. Outra recomendação importante é urinar depois das relações sexuais, o que favorece a eliminação das bactérias que se encontram no trato urinário”.
Outras recomendações importantes são evitar roupas intimas muito justas ou que retenham calor e umidade, porque facilitam a proliferação das bactérias; e cuidar da higiene íntima pessoal, principalmente depois de evacuar e na troca de absorventes higiênicos.

“E deve-se sempre procurar um médico para ter o diagnóstico correto e a indicação do tratamento mais indicado. Vale lembrar que a automedicação é sempre perigosa”, finaliza o urologista.

CHINESA É PRESA APÓS TORTURAR E AGREDIR EMPREGADA POR 8 MESES...

FONTE: CORREIO DA BAHIA (redacao@correio24horas.com.br).
Ela teve os dentes quebrados e apanhava. Chinesa colocou um tubo de aspirador de pó na boca da jovem, que passava fome.
Uma mulher foi condenada a seis anos de prisão, acusada de agredir e torturar sua empregada, uma imigrante da Indonésia, na sexta-feira (27). O caso gerou grande repercussão pela brutalidade. Law Wan-tun foi condenada por agressão e danos corporais graves contra Erwiana Sulistyaningsih, 24 anos, que trabalhou na casa de Law por oito meses em 2013.



Quando a sentença foi divulgada, Law não manifestou nenhuma reação. O caso ganhou fama quando imagens dos machucados de Erwiana começaram a circular entre indonésios em Hong Kong. Erwiana teve os dentes quebrados e machucados pelo corpo todo. Law também colocou um tubo de aspirador de pó na boca de Erwiana, que não recebia comida e passava fome.

MAIS DE 1 BILHÃO DE JOVENS PODEM SOFRER DANOS AUDITIVOS POR MÚSICA ALTA...


FONTE: , (noticias.uol.com.br).


Mais de 1 bilhão de jovens se arriscam a sofrer danos auditivos porque ouvem música muito alta, alertou na sexta-feira (27) a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O volume da música dos shows e boates costuma ser muito alto, assim como o som dos fones dos dispositivos de áudio ou smartphones.

Segundo os dados recolhidos pela OMS, cerca de 50% dos jovens de 12 a 35 anos de países com renda média ou alta se expõem a níveis sonoros muito fortes.

"Cada vez mais jovens correm o risco de sofrer danos auditivos. Têm que ser conscientes de que a audição, uma vez perdida, não volta", afirmou nesta sexta-feira a doutora Shelley Chahda, da OMS.

Uma exposição a níveis sonoros muito altos e de forma prolongada pode provocar danos irreversíveis.

Nos locais de trabalho, o ruído não deve superar os 85 decibéis para um máximo de oito horas diárias de exposição.

Para se ter uma ideia, 85 decibéis é o ruído que uma pessoa ouve quando está dentro do carro em meio ao trânsito em horário de pico.

Muitos funcionários que trabalham em boates, bares ou na organização de eventos esportivos enfrentam níveis que chegam aos 100 decibéis.

Segundo a OMS, uma pessoa não deveria se expor a um som como esse mais de 25 minutos por dia.

Visando a Jornada Mundial da Audição, no dia 3 de março, o organismo recomenda simples medidas preventivas.

Os adolescentes devem reduzir o volume de seus dispositivos de áudio e telefones, evitar utilizá-los mais de uma hora por dia, usar tampões nos ouvidos nos locais muito barulhentos e fazer intervalos.

Também devem acompanhar o estado de sua audição e realizar exames regulares.

A OMS também recomenda que os governos imponham rígidas medidas normativas sobre o som nos lugares públicos, e pede que os donos de boates e bares baixem o volume da música.

Cerca de 360 milhões de pessoas sofrem algum tipo de dano auditivo no mundo. Isso ocorre devido a fatores diversos, como doenças infecciosas, genéticas, complicações durante o parto, uso de certos medicamentos, ruído ou envelhecimento.

CONFIRA ALIMENTOS E BEBIDAS QUE REDUZEM OS SINTOMAS DA RESSACA...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.
Cabeça explodindo, gosto amargo na boca, o barulho incomoda, a luz irrita e o estômago reclama. Exagerar na bebida é sinônimo de um dia seguinte repleto de mal-estar causado pelos efeitos do álcool no organismo. 
Segundo o Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (LENAD), o número de brasileiros que ingerem bebida alcoólica frequentemente – uma vez por semana ou mais – aumentou 20% nos últimos seis anos.
De acordo com Flavia Morais, coordenadora de nutrição da rede Mundo Verde, dentre os principais sintomas da ressaca estão: queda de glicose; incômodo estomacal, que vem acompanhado de náuseas, enjoos e vômitos; desidratação, que provoca a dor de cabeça e mal-estar; e o enfraquecimento do fígado. “Para absorver e metabolizar uma grande quantidade de álcool, o organismo tem que se desdobrar e, assim, acaba sobrecarregando todos os órgãos envolvidos no processo”, explica. 
Ainda de acordo com a nutricionista, o consumo excessivo de álcool é prejudicial à saúde e está relacionado com problemas psiquiátricos e cardíacos, como arritmias e hipertensão, além de maior risco de desenvolvimento de câncer.
“Os estragos podem atrapalhar a vida e causar danos irreversíveis para a saúde, como lesões cerebrais, diabetes tipo 2, úlceras e inflamações no estômago e intestino, hepatite, depressão, lesão nos rins, na bexiga, próstata e pâncreas, dentre outras doenças", alerta.
Flavia lista bebidas e alimentos capazes de amenizar os males da ressaca. Confira!

Bebidas:

Água: o álcool, mesmo que em pequenas quantidades, desidrata o organismo e o consumo de água é fundamental para evitar dor de cabeça, um sintoma muito comum da ressaca.

Chás: o chá de camomila  é útil para curar problemas digestivos e náuseas. Adoçado com mel, a bebida ajuda a recuperar os níveis de açúcar no sangue. Já o chá de hortelã ajuda no processo digestivo e também na desintoxicação do corpo.

Suco de frutas: a bebida ajuda a regularizar os níveis de açúcar no sangue, que caem drasticamente após terem aumentado durante a bebedeira. Também repõe sais-minerais perdidos devido ao consumo do álcool.

Frutas:

Banana: a fruta ajuda a recuperar o potássio perdido devido o consumo de álcool. Isso pode causar cansaço excessivo, náuseas, câimbras e ânsias. E para ajudar a evitar esses sintomas, uma banana pode ser uma boa aliada.

Tomate: rico em vitamina C e glutationa, substância da qual o corpo necessita para se livrar das toxinas deixadas pelo álcool no organismo.

Temperos:

Alho: antibiótico natural, o alho protege de infecções por fungos, vírus e bactérias. Rico em alicina e ajoeno, propriedades que têm ação anti-inflamatória e auxiliam em problemas digestivos.

Azeite de oliva: o óleo diminui o ritmo de absorção do álcool pelo organismo.

Gengibre: combate a náusea, pois tem ação anti-inflamatória no sistema digestivo.

Grãos:

Integrais: o arroz integral tem alta dose de energia, com a vantagem de conter boa quantidade de vitamina B e proteína. Já os grãos em geral, são ricos em vitamina B e ácidos essenciais e são aliados no processo de desintoxicação, que o fígado coloca em ação para se livrar dos excessos cometidos.

Feijão: fonte de fibra e ácido fólico, além de proteína, é um bom alimento para ajudar na recuperação do corpo.

Quinoa: o grão é repleto de aminoácidos e nutrientes, que são essenciais para a saúde, principalmente em momentos de recuperação.

PISTACHE PROPORCIONA SACIEDADE E É BOM PARA O CORAÇÃO...

FONTE: ***, (www.msn.com).

O pistache é uma oleaginosa muita rica em nutrientes. Possui um perfil de ácidos graxos benéficos para a saúde cardiovascular, assim como proteínas, fibras, potássio, magnésio, vitamina K, y-tocoferol (vitamina E) e inúmeros fitoquímicos. A sua coloração verde e roxa é resultado da presença de luteína e antocianina. Entre as castanhas, o pistache contém maior teor de potássio, y-tocoferol, vitamina K, fitosteróis e carotenóides. 

Estudos sugerem que o pistache ajude na atividade antioxidante e anti-inflamatória, no controle glicêmico e na função endotelial. Quando consumido com moderação ajuda no controle de peso, por causa do seu efeito na saciedade. 

Os antioxidantes protegem o corpo dos danos causados pelos radicais livres. Funções naturais do corpo e o exercício físico produzem radicais livres, que atacam células saudáveis tornando-as suscetíveis a danos. Antioxidantes como a vitamina E e carotenoides (betacaroteno e luteína) ajudam a proteger as células. Quando pistaches são consumidos, os níveis desses antioxidantes sobem no sangue. Eles ajudam a prevenir a oxidação de colesterol LDL, a inflamação e a sua deposição nos vasos causando doenças cardiovasculares, por exemplo. 
A adição de pistache em refeições de alto índice glicêmico poderia diminuir a resposta glicêmica pós-refeição. Pesquisas mostram que o perfil de nutrientes do pistache, incluindo proteínas, gorduras saudáveis e fibras, possa ajudar nesse controle glicêmico. Essa composição de nutrientes também teria efeito na saciedade, pois com os nutrientes sendo absorvidos de forma mais lenta, o tempo de saciedade seria maior. 
Por ser rico em fibras, o pistache também é um alimento muito saudável para o intestino. Uma porção de aproximadamente 30 gramas fornece 3 gramas de fibra dietética, ou aproximadamente 12% da recomendação diária. 
Ainda, a presença da luteína é importante para a saúde da visão e da pele. A retina possui altas concentrações de luteína e zeaxantina, carotenoides envolvidos na fotoproteção dos olhos. E a luteína pode prevenir os danos dos raios ultravioleta na pele. 
Cada tipo de castanha possui uma mistura diferente de nutrientes, portanto o melhor é consumir uma variedade. Não existe uma recomendação para o consumo de pistache. O sugerido seria o consumo de aproximadamente 20 a 30 gramas de castanhas por dia, que pode ser feito nos lanches, por exemplo. 
Na hora da compra, prefira os pistaches com casca, sem sinais de mofo, umidade ou com danos causados por insetos. Assim, o risco de adquirir um pistache contaminado por aflatoxinas é menor. As aflatoxinas são substâncias produzidas por fungos, que contaminam os alimentos, sem modificar o sabor, e se consumidas constantemente em longo prazo podem aumentar o risco de câncer hepático. 

*** Artigo realizado com a colaboração da nutricionista Fabiana Honda da PB Consultoria em Nutrição.  

PREÇO DE REMÉDIOS PASSA POR REAJUSTE, MAS SUBIRÁ MENOS QUE INFLAÇÃO...

FONTE: CORREIO DA BAHIA (redacao@correio24horas.com.br).

A expectativa é que o percentual médio de reajuste fique abaixo da inflação neste ano.
O Ministério da Saúde (MS) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciaram, na sexta-feira (27), mudanças no cálculo do reajuste de preços dos medicamentos em todo o país. A definição dos novos critérios serve para adequar o índice à realidade do mercado. 

A expectativa é que o percentual médio de reajuste fique abaixo da inflação; que o índice seja menor em relação ao que seria calculado com a regra anterior e que mais medicamentos tenham reajuste menor. Cada um dos três fatores que compõem a fórmula  terá uma data fixa para ser divulgado.
De acordo com o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do MS, Jarbas Barbosa, os três fatores passam a ser definidos conforme a concorrência dos grupos de mercado, classificados como não concentrados, moderadamente concentrados e altamente concentrados.

“Com isso, buscamos dar maior previsibilidade, racionalidade, transparência e segurança”, explicou. Do total, 21,57% dos medicamentos terão o maior reajuste, enquanto a maioria  (51,73%) vai sofrer o menor índice de reajuste.

FADIGA CRÔNICA É UMA DOENÇA BIOLÓGICA, NÃO PSICOLÓGICA...


FONTE:, (noticias.uol.com.br).


A fadiga crônica é uma doença biológica e não psicológica, que pode ser identificada por marcadores no sangue - segundo um estudo publicado na sexta-feira (27) que alimenta as esperanças de descoberta de tratamento.

A descoberta é "a primeira prova física sólida" de que esta síndrome é "uma doença biológica e não uma desordem psicológica" e que a enfermidade comporta "distintas etapas", afirmam os autores da pesquisa realizada pela Escola Mailman de Saúde Pública, na universidade de Columbia.

O estudo foi publicado na revista especializada Science Advances.

Sem causa nem tratamento conhecidos, a síndrome da fadiga crônica, conhecida como encefalomielitis (ME/CFS), deixa os cientistas perplexos há tempos.

Além de um cansaço constante, provoca dores de cabeça e musculares e dificuldades para se concentrar.

"Agora temos a confirmação de algo que milhões de pessoas que sofrem com a doença já sabiam: a ME/CFS não é psicológica", afirma Mady Hornig, professor associado em epidemiologia da Escola Mailman e principal autor do estudo.

"Nossos resultados devem acelerar o processo para estabelecer um diagnóstico (...) e descobrir novos tratamentos, já que pode se concentrar nesses marcadores sanguíneos", acrescentou.

Os pesquisadores examinaram os níveis de 51 marcadores do sistema imunológico no plasma de 298 pacientes e 348 pessoas saudáveis.

Descobriram que o sangue dos pacientes que sofrem de fadiga crônica há três anos ou menos apresentavam níveis mais elevados de moléculas chamadas citoquinas, o que não ocorre com quem não tem a doença.

IDENTIDADE DO TERRORISTA DO ESTADO ISLÂMICO QUE APARECE EM VÍDEOS É REVELADA...

FONTE: CORREIO DA BAHIA (redacao@correio24horas.com.br).
Terrorista é Mohammed Emwazi, um britânico nascido no Kuait, tem cerca de 27 anos e morava no oeste de Londres.
O homem de sotaque britânico que aparece nos vídeos de decapitações do grupo terrorista Estado Islâmico, mais conhecido como "John Jihadista", foi identificado por investigadores no Reino Unido. O terrorista é Mohammed Emwazi, um britânico nascido no Kuait, tem cerca de 27 anos e morava no oeste de Londres.
Emwazi já era conhecido pelas agências de segurança britânicas, mas até o momento, seu nome não havia sido revelado por razões operacionais. O terrorista já apareceu em mais de sete vídeos do grupo.
Segundo o jornal 'The Washington Post', Emwazi cresceu no seio de uma família de classe média-alta e licenciou-se em programação informática na universidade, em 2009. Ele teria viajado para a Síria em 2012, onde se juntou ao grupo de estrangeiros dos extremistas islâmicos, estando desde essa altura debaixo dos radares das secretas.
"Não tenho dúvida de que Mohammed é 'Jihadi John'", afirmou um amigo próximo do terrorista britânico em uma entrevista ao 'The Washington Post'. "Era como um irmão para mim", acrescentou. Fontes informaram ao jornal 'The Guardian' que Emwasi "era um rapaz educado, de boas maneiras e gostava de se vestir com roupas de marca".

Até ao momento, acreditava-se que o homem se tratava do rapper Abdel-Majed Abdel Bary, também da mesma zona da capital britânica, mas a informação nunca foi confirmada pelo MI5, o serviço de segurança britânico.
Vídeos.
A primeira aparição em vídeo do extremista ocorreu em agosto de 2014, quando ele aparentemente assassinou o jornalista americano James Foley. Vestindo uma túnica preta, Emwazi usava uma máscara deixando apenas os olhos e o nariz à mostra.
O homem mascarado parece estar presente também em outros vídeos filmados pelo grupo, onde outros reféns, como o jornalista americano Steven Sotloff, o agente humanitário britânico Savid Haines, o taxista britânico Alan Henning e o agente humanitário americano Abdul-Rahman Kassig, conhecido como Peter, são assassinados.

CONTA DE LUZ FICARÁ ATÉ 39,5% MAIS CARA A PARTIR DA PRÓXIMA SEGUNDA...

FONTE: Agência Brasil, TRIBUNA DA BAHIA.
A partir da próxima segunda-feira (02.03), a conta de luz vai ficar mais cara para consumidores atendidos por 58 concessionárias. A revisão tarifária extraordinária para essas empresas foi aprovada na sexta-feira (27.02) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e a previsão é de aumento médio de 23,4%.
Os maiores reajustes serão para as distribuidoras AES Sul (39,5%), Bragantina (38,5%), Uhenpal (36,8%) e Copel (36,4%). Os mais baixos serão aplicados para as distribuidoras Celpe (2,2%) e Cosern (2,8%).
A distribuidora CEA, do Amapá, não pediu a revisão tarifária. Já as empresas Amazonas Energia (AM), Boa Vista Energia e CERR (RR) não terão revisão tarifária porque não participam do rateio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e não estão no Sistema Interligado Nacional.
A Ampla (RJ) também não passou pela revisão, porque seu processo tarifário ocorre em 15 de março, quando todos os efeitos serão considerados.
Os impactos da revisão serão diferentes conforme a região da distribuidora. Para as concessionárias das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o impacto médio será de 28,7% e, para as distribuidoras que atuam nas regiões Norte e Nordeste, de 5,5%. A diferença ocorre principalmente por causa do orçamento da CDE e da compra de energia proveniente de Itaipu.
Também começam a valer na semana que vem os novos valores para as bandeiras tarifárias, que permitem a cobrança de um valor extra na conta de luz, de acordo com o custo de geração de energia. Além da revisão extraordinária, as distribuidoras passarão neste ano pelos reajustes anuais, que variam de acordo com a data de aniversário da concessão.
Segundo a Aneel, a revisão leva em consideração diversos fatores, como o orçamento da CDE deste ano, o aumento dos custos com a compra de energia da Usina de Itaipu - por causa da falta de chuvas -, o resultado do último leilão de ajuste – que aumentou a exposição das distribuidoras ao mercado livre – e o ingresso de novas cotas de energia hidrelétrica.
“No ano passado e neste ano, o custo da energia elétrica tem sido realmente alto, porque o regime hidrológico não está favorável, temos despachado todas as térmicas, que têm um custo mais alto”, explicou o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino.
A revisão extraordinária está prevista nos contratos de concessão das distribuidoras e permite que a Aneel revise as tarifas para manter o equilíbrio econômico e financeiro do contrato, quando forem registradas alterações significativas nos custos da distribuidora, como, por exemplo, modificações de tarifas de compra de energia, encargos setoriais e de uso das redes elétricas.
Na tarde de hoje, a Aneel também aprovou o orçamento da CDE para este ano, que prevê repasse de R$ 22 bilhões para a conta dos consumidores de energia.

Entre dezembro de 2014 e fevereiro de 2015, várias empresas solicitaram a revisão extraordinária, por causa da falta de chuvas e da maior necessidade de compra de energia de termelétricas, que é mais cara.

VOCÊ SABIA QUE AS BARATAS PODEM CAUSAR ALERGIA?...

FONTE: Noelle Marques, Do UOL, em São Paulo (noticias.uol.com.br).

       

Causadora de repulsa, gritos e nojo, a barata pode ir além disso. O inseto também pode causar alergias nas pessoas. Isso se deve porque quando a barata morre, ela passa a ser parte constituinte da poeira.

O médico alergista e especialista da Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia) Martti Anton Antila explica que como o Brasil é um país tropical, a quantidade de baratas é grande na poeira.
"Os sintomas de quem tem o contato com essa poeira, que tem a presença da barata, são muito próximos aos de alergia a ácaros, como coriza, espirro, coceira nos olhos e asma", diz Antila.

Dependendo do ambiente em que elas morrem, o corpo delas vai se decompondo, secando e vai se misturando com a poeira do local. É um processo natural de decomposição, como de qualquer outro animal, afirma o biólogo e vice-presidente da Aprag (Associação dos Controladores de Pragas Urbanas), Sérgio Bocalini.

"A barata possui alguns compostos no organismo que podem provocar processos alérgicos. E isso pode se dar com ela ainda viva, com a liberação de feromônios por onde ela passa. E quando existe a fragmentação pós-morte, se misturando com a poeira do ambiente, e alguém respira, essa pessoa pode ter uma reação alérgica em função da presença desses compostos", diz o biólogo.

Segundo Antila, a presença da barata na poeira não potencializa a alergia, ela apenas acrescenta um possível componente que pode desencadear a doença. "Quem tem alergia ao ácaro, pode não ter a barata e vice e versa".

Prevenção e tratamento.

Para prevenir a presença do inseto na poeira do ambiente, o médico alergista Martti Anton Antila recomenda deixar o ambiente limpo e controlar a umidade do local, pois esta é proporcional a quantidade de ácaros do local.

"Quanto mais úmido o local, a quantidade de ácaros será maior. E a de baratas também, já que elas não gostam de ambientes secos", diz Antila.

Outro método recomendado pelo médico é recorrer a dedetização.

De acordo com Antila, o tratamento é similar ao dos ácaros, isto é, baseado nos sintomas.

"A pessoa pode desencadear uma conjuntivite, então é isso que será tratado, pois cada [sintoma] tem seu tratamento específico", afirma.


Outra saída é a imunoterapia, também chamada de vacina para alergia, onde o tratamento diminui a sensibilidade de pessoas que se tornaram alérgicas a determinadas substâncias. Neste caso, o paciente recebe doses dos alérgeno ao qual é sensível por um determinado período.

HOMEM DIAGNOSTICADO COM TUMOR CEREBRAL DIZ QUE USO DE CELULAR PROVOCOU DOENÇA...

FONTE:, CORREIO DA BAHIA.
Phillips trabalha como gerente de operações de uma grande empresa, o que exigia um grande número de ligações de celular.
O americano Ian Phillips, de 43 anos, foi diagnosticado com tumor mortal e acredita que o motivo do câncer foi ter passado até seis horas diárias falando ao celular. Em entrevista ao DailyMail, o executivo foi ao hospital após fortes dores de cabeça e teve a notícia que tinha um tumor no cérebro do tamanho de um limão e que só teria apenas três anos de vida.
Phillips trabalha como gerente de operações de uma grande empresa, o que exigia um grande número de ligações de celular. Segundo ele, um média de 100 horas mensais de chamadas.  Além da quimioterapia e radioterapia, o executivo passa por um tratamento de medicina alternativa, mudando sua dieta e praticando exercícios regularmente.

Ele também lançou uma campanha para conscientizar as pessoas dos riscos do uso de telefones celulares, que, segundo ele, são particularmente perigosos para as crianças."Eu vou superar o meu tumor, porém, eu preciso passar a mensagem de que os telefones celulares podem ser perigosos e que os receptores de mão podem salvar suas vidas”, finalizou.

"Eu passei a minha vida trabalhando no celular. Minha orelha ficava vermelha quando eu saía do trabalho, no final do dia. Eu não acho que o que estava fazendo era bom para o meu cérebro", disse Phillips em entrevista.

Nos exames, feito no Hospital Universitário de Gales, foi revelado um tumor cerebral de grau 3 e o executivo passou por uma operação de emergência para remover a maior parte. Porém, segundo os médicos, seu câncer de cérebro não poderia ser curado, e ele foi aconselhado a aproveitar ao máximo o pouco tempo de vida que lhe restava.
"Fiquei arrasado. A primeira coisa que eu perguntei aos médicos foi o que causou isso, mas eu sabia desde o início que era devido ao meu uso excessivo de celular. Desde então, passei muito tempo investigando sobre o tema e o número de tumores cerebrais está subindo cada vez mais. Estou realmente preocupado com as crianças que usam celulares, seus crânios são mais sensíveis e a radiação emitida a partir destes dispositivos podem alcançar seus cérebros com mais facilidade”, disse Phillips.

O americano também disse que já investiu em um receptor que se conecta ao celular para fazer e receber chamadas, o que significa não precisar segurar o telefone diretamente no ouvido."Eu comprei um receptor coberto de ouro para chamar a atenção e alertar sobre os perigos de celulares. Estranhos me perguntam por que eu uso um receptor de mão e eu lhes digo que seria pouco se eles tivessem sido diagnosticados com um tumor cerebral”, contou.
                                 

CONHEÇA A CREATINA, UM SUPLEMENTO MUITO POPULAR NAS ACADEMIAS...

FONTE: Dr. Tufi Dippe Jr (portaldocoracao.uol.com.br).

                                            

A creatina é um dos suplementos mais falados entre os praticantes de atividades físicas. É indicado para aumento de força, melhor recuperação e ganho de massa muscular, mas com certa resistência por supostos problemas para a saúde. “A creatina é estocada nos músculos e usada como fonte rápida de energia para o processo de contração muscular”, explica Jomar Souza, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE).

Ela é o conjunto de três aminoácidos (Arginina, Glicina e Metionina) já produzidos pelo organismo – fígado e rins – e armazenados nas células musculares, só que em quantidades baixas. Por isso, muitas vezes há a necessidade da suplementação. “Pessoas com problemas renais e hepáticos devem evitar seu uso, pois pode haver sobrecarga daqueles órgãos”, orienta Souza.

Se consumida adequadamente, não há motivos para se preocupar. Por reter muito líquido, o grande consumo de água é primordial. Consumi-la depois dos treinamentos é o melhor caminho, entre 3 e 5 gramas por dia, sendo possível, ainda, a ingestão junto a outros suplementos, como whey protein e BCAA.

Para corredores, os benefícios se garante apenas há dias de musculação ou de tiros. “Para corridas de meio e fundo, o consumo de creatina não demonstrou nenhum benefício cientificamente comprovado”, diz o especialista.

Indicação: para ganho de massa muscular, aumento de força e recuperação muscular. Para corredores, nos dias de academia ou tiros curtos.

Quando tomar? Preferencialmente após os treinamentos.

Quanto tomar?  A dosagem deve ser de aproximadamente 3 a 5 gramas por dia.

Efeitos colaterais: se consumida adequadamente, não há motivos para se preocupar. Pessoas com problemas reinais e hepáticos devem evitar o uso para não sobrecarregar os órgãos.

Importante: ingestão de muita água, pois a creatina retém bastante líquido.

Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

Dr. Tufi Dippe Jr

O Portal do Coração foi idealizado e é mantido pelo Dr. Tufi Dippe Jr. Clique aqui para conhecer este profissional.


IMPORTANTE: O nosso website aloja anúncios Google e links. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial. 

O nosso website aloja banners publicitários e links. Toda a publicidade é distinguida pela palavra "Publicidade/Anúncios Google". 

OMS QUER A MELHORIA NO AMBIENTE ALIMENTAR PARA COMBATE À OBESIDADE...

FONTE: Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil, TRIBUNA DA BAHIA.

O grupo de trabalho da Organização Mundial da Saúde (OMS) que trata do combate à obesidade infantil publicou no último dia 18 um artigo no jornal 'The Lancet', em que aponta a necessidade de os governos adotarem medidas que conduzam à melhoria da salubridade dos ambientes alimentares.
Um dos autores do artigo é o brasileiro Fábio Gomes, nutricionista do Instituto Nacional de Câncer (Inca) do Ministério da Saúde. O grupo se reuniu em novembro do ano passado e tem um novo encontro agendado para abril, na África do Sul. O objetivo é apoiar a OMS na tomada de decisões sobre as políticas que devem ser adotadas pelos países.
Entre uma reunião presencial e outra, os membros se dividem em subgrupos para avançar em tarefas específicas, como identificar experiências bem-sucedidas e barreiras para implementação de políticas de prevenção de obesidade.
“O foco do grupo de trabalho é na implementação de ações. A gente sabe quais são as causas da obesidade, sabe que há uma série de ações que vão ser efetivas para reduzir a obesidade, mas tem que avançar na implementação dessas ações e em quais políticas a gente deve priorizar para, de fato, ter resultados”, disse Fábio Gomes ontem (27) à Agência Brasil.
Ressaltou, porém, que não se trata apenas de combater a obesidade infantil, uma vez que “a obesidade faz parte de um ciclo de vida”.  No momento, o grupo da OMS está montando um sistema de responsabilização, monitoramento e implementação.
A proposta apresentada por Gomes visa identificar a obesidade como uma expressão de falência no sistema alimentar. A obesidade não é causada pelo fato de as pessoas estarem comendo mal e não praticarem atividade física. “Tem causas por trás disso que fazem com que isso ocorra”.
O grupo está dedicado a mapear essas causas o mais longe possível, até os limites mais macropolíticos, disse o nutricionista do Inca. Isso abrange desde políticas que definem o espaço urbano até a interferência de políticas de preços de alimentos na alimentação mais saudável.
Mapeando desde os elementos mais próximos do indivíduo, relacionados à educação alimentar, até questões mais estruturais, o grupo poderá identificar quais são os atores responsáveis por implementar essas ações e como eles devem atuar para que isso se viabilize.
Do ponto de vista da regulação, Gomes disse que os governos precisam avançar na aprovação de leis que possam, por exemplo, restringir a publicidade de alimentos e o uso de personagens infantis no rótulo de alimentos que estimulam a compra e o consumo pelas crianças.
O trabalho visa também identificar espaços em que a sociedade civil possa expor práticas das indústrias ligadas ao superestímulo do consumo de alimentos não saudáveis, citou. A sociedade deve também se organizar para pressionar que o Congresso avance na aprovação de determinadas leis.
Vários países na América Latina já modificaram rótulos de alimentos para oferecer informações mais claras e advertências sobre consumo e para regular a publicidade, em especial dentro das escolas, destacou. No Brasil, resolução recente do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) caracterizou a propaganda abusiva para alimentos infantis.
Após a criação desse sistema de responsabilização, monitoramento e implementação, a ideia é “propor ao país que quer enfrentar a obesidade o que ele precisa desenvolver e o que a sociedade, o governo e as indústrias têm que fazer para poder avançar as políticas públicas, e regular”.
O grupo pretende revelar ainda o quanto as ações voluntárias das indústrias são eficazes ou não para o tamanho do problema que é a obesidade. “A gente precisa de medidas rigorosas para frear o processo que está acontecendo de forma muito explosiva”.
Gomes acredita que a partir da adoção dessas ações, a salubridade dos ambientes alimentares pode melhorar. “E todo o sistema alimentar é alterado para melhor. Isso impacta na produção e na sua diversidade, e também no meio ambiente”.
Por isso, sustentou que a OMS quer olhar a obesidade como uma das expressões de defeitos no sistema alimentar. Os ajustes sistêmicos podem mostrar um resultado mais realista de correção estrutural do problema, sinalizou.
Na próxima reunião de abril, serão apresentadas as primeiras conclusões do subgrupo de trabalho de combate à obesidade da OMS.

Ele interage com outro subgrupo que avalia as evidências científicas da relação dos fatores de risco para ganho de peso e obesidade e está integrado à comissão para erradicação da obesidade no mundo. A meta é construir um conjunto de recomendações e de politicas no âmbito da OMS.

UM MOMENTO...

      

                           Um Momento - Narrada por Chico Xavier.

Antes de negar-se aos apelos da caridade, medite um momento nas aflições dos outros... Imagine você no lugar de quem sofre. 

Observe os irmãos relegados aos padecimentos da rua e suponha-se constrangido à semelhante situação. 

Repare o doente desamparado e considere que amanhã, provavelmente seremos nós, candidatos ao socorro na via pública. 

Examine o ancião fatigado e reflita que se a desencarnação não chegar em breve, não escapará você da velhice. 

Contemple as crianças necessitadas, lembrando os próprios filhinhos. 

Quando a ambulância deslize rente ao seu passo, conduzindo o enfermo anônimo, pondere que talvez um parente nosso extremamente querido se encontre a gemer dentro dela. 

Escute pacientemente os companheiros entregues à sombra do grande infortúnio e recorde que em futuro próximo, é possível estejamos na travessia das mesmas dificuldades. 

Fite a multidão dos ignorantes e dos fracos cansados e infelizes, julgando-se entre eles, e mentalize a gratidão que você sentiria perante a migalha de Amor que alguém lhe ofertasse. 

Pense um momento em tudo isso!!! 

E você reconhecerá que a caridade para nós todos é simples obrigação!!!


             

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel.