sábado, 30 de julho de 2016

NO DIA DO ORGASMO, ESPECIALISTA ENSINA OS CINCO SEGREDOS DO PRAZER FEMININO...

FONTE: VLADIMIR MALUF, Da Redação (estilo.uol.com.br).


Os poucos e compensadores segundos do auge da transa têm uma data de comemoração: 31 de julho é o Dia do Orgasmo. E, ainda hoje, com o sexo mais liberto, não são poucas as mulheres que não conseguem atingir esse grande momento do prazer sexual. De acordo com com o psicoterapeuta sexual Oswaldo Rodrigues Jr., diretor do Instituto Paulista de Sexualidade, as mulheres estão habituadas a esperar que o prazer venha apenas das relações sexuais e não tocam o próprio corpo. "O segredo do orgasmo consiste em conhecer as próprias necessidades e limites, dedicar-se em pensamento e no ato, experimentar sempre e insistir no que lhe dá prazer". Veja cinco itens que o especialista aponta para que o orgasmo aconteça:

1. Dedique-se ao sexo.
Desenvolva a capacidade de dedicar a atenção e o pensamento às questões sexuais. Isso permite usar a fantasia, conhecer seus limites e descobrir mais sobre o próprio comportamento sexual. "Invista diariamente nesta atividade interna. Ao se exercitar, pensar e fantasiar, a mulher poderá reconhecer o que lhe envolve, o que lhe excita, o que lhe produz desejo e motivação, assim como o que deverá ser evitado", afirma Oswaldo.

2. Explore seu corpo.
Reconheça como o corpo pode e deve receber estímulos táteis que sejam importantes para a atividade sexual. A masturbação é essencial para facilitar o orgasmo depois, durante uma transa. "Se as mulheres desejam que o orgasmo ocorra com a penetração, é necessário que treinem desta mesma forma. A maioria das mulheres que se masturba aprende a ter orgasmos apenas com estimulação clitoriana e, assim, habitua-se à prática. Depois, não sabem como ter orgasmos nas relações sexuais de penetração", explica Oswaldo.

3. Combata a timidez.
A mulher deve aprender a mostrar o que sente e dizer isso ao parceiro. Muitas consideram que não devem e nem precisam contar o que querem ou precisam ao homem. "Falar, com todas as palavras, sem usar formas infantilizadas, facilita que os prazeres do sexo ocorram", diz o especialista.

4. Não desvie a atenção.
Pensar em questões que produzem ansiedade ou distraem é um problema. Seja por imaginar que um filho pode entrar no quarto ou ficar preocupada sua forma física, por exemplo. Aprenda a lidar com as suas inseguranças. Mas, se perceber que não consegue isso sozinha, pense se não é a hora de procurar um acompanhamento psicológico.

5. O papel do homem.
O homem não pode ser considerado como o responsável por dar prazer à mulher. Ele tem o seu papel, que é importante, mas um orgasmo não depende só dele. "O parceiro deve estar atento ao que a mulher diz para que saiba o que fazer. O homem precisa compreender que precisa dedicar-se emocionalmente ao momento e saber quais são os objetivos de ambos estarem juntos. A parceira reconhecerá no seu toque a sua disponibilidade", afirma Oswaldo.




Para auxiliar homens e mulheres a conhecerem melhor o corpo um do outro e, com isso, ter mais prazer, o
UOL Comportamento preparou um infográfico que indica quais são os principais pontos erógenos dos corpos do feminino e masculino. Navegue pela imagem e descubra onde e como estimular cada área e, assim, ter uma transa mais gostosa.

UMA HORA DE ATIVIDADE FÍSICA COMPENSA OITO HORAS SENTADO...

FONTE: Redação, CORREIO DA BAHIA.


Tá sentado em casa sem fazer nada? Se ligue!
Uma hora de atividade física moderada diária, como uma caminhada acelerada ou uma pedalada casual, seria o suficiente para compensar os malefícios à saúde trazidos por passar oito ou mais horas sentado durante o dia, rotina comum de muitos trabalhadores ao redor do planeta. A conclusão é de um estudo publicado esta semana na prestigiada revista médica “The Lancet” como parte de nova série especial que mostra o fardo global do sedentarismo tanto no bem-estar pessoal quanto na economia global.
Lançada às vésperas do início das Olimpíadas no Rio, onde milhares de atletas do mundo inteiro vão exibir os resultados de vidas dedicadas ao esporte, a série revisita o tema da inatividade - que aumenta as chances de desenvolvimento de diversas doenças como problemas cardiovasculares, cânceres e diabetes do tipo 2 e é apontada como fator de risco à saúde modificável tão importante quanto a obesidade e o tabagismo – quatro anos depois da publicação da sua primeira edição na revista, pouco antes dos Jogos de Londres em 2012, quando o sedentarismo foi apontado como uma “epidemia global” responsável por estimadas 5,3 milhões de mortes anuais.

Segundo outro dos estudos na nova série, que contabilizou pela primeira vez os custos globais do sedentarismo, a inatividade da população em geral acarreta em prejuízos de pelo menos US$ 67,5 bilhões anuais e a perda de 13,4 milhões de anos de vida saudável. Já um terceiro levantamento aponta que os governos o redor do mundo incrementaram a confecção e implantação de políticas de incentivo às atividades físicas nos últimos quatro anos, mesmo que os resultados delas ainda sejam incipientes, com 23% da população adulta global e 80% dos adolescentes nas escolas não cumprindo o mínimo de 150 minutos de exercícios moderados semanais recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
Assim, ganham força e importância a adoção de “estratégias inteligentes” que estimulam ou até obriguem as pessoas a serem mais ativas, com exemplos que são destaques do quarto e último artigo da nova série. Entre eles está o sistema BRT de Curitiba, em que as estações um pouco mais afastadas umas das outras que os pontos de ônibus “normais” fazem os usuários caminharem mais na sua rotina diária.
“O mundo precisa levar a sério a atividade física”, alertam Pamela Das e Richard Horton, respectivamente editora-executiva da série e editor-chefe da “Lancet”, em comentário que acompanha os estudos na revista. “E isso significa dinheiro – para capacitação dos departamentos de saúde pública realizarem a vigilância adequada, parcerias entre setores, intervenções, monitoramento de políticas e pesquisas, em especial sobre o custo-benefício das intervenções. Há grandes evidências da necessidade de ação para aumentar a atividade física, quais ações são mais promissoras e quem precisa estar envolvido. Mas a capacitação e o investimento continuam insuficientes, pois a atividade física não é levada a sério o bastante para subir ao topo das prioridades de financiamento”.
E um exemplo do tipo de trabalho neste sentido é justamente o primeiro estudo da série. Após um extenso levantamento nas principais bases de dados de pesquisas relacionadas à saúde no mundo, cientistas liderados por Ulf Ekelund, da Escola Norueguesa de Ciências Esportivas e da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, identificaram apenas 16 estudos com informações sobre a quantidade de tempo que as pessoas passavam sentadas no dia, o quão ativas elas eram e um acompanhamento posterior que variou de dois a 18 anos.
Ao todo, os cientistas analisaram dados sobre pouco mais de 1 milhão de pessoas, das quais quase 85 mil morreram nos períodos das respectivas pesquisas. Eles então harmonizaram os dados dos 16 estudos e separaram o conjunto total de pessoas em quatro grandes grupos (quartis) de mesmo tamanho em duas categorias: as que passavam mais e menos tempo sentadas durante o dia, entre menos de quatro horas a de quatro a seis horas, seis a oito horas e mais de oito horas; e seu nível de atividade física, expressada numa unidade de horas de tarefa metabólica equivalente por semana (MET-h por semana).

Cruzando as informações sobre estes grupos e a mortalidade, os pesquisadores observaram que pessoas que passavam oito ou mais horas do dia sentadas mas que também estavam no topo do ranking das mais ativas, com 35,5 MET-h semanais ou mais - o equivalente a atividades moderadas como caminhar a uma velocidade de 5,6 km/h ou andar de bicicleta a 16 km/h de 60 a 75 minutos diários -, tinham um risco de morte muito inferior ao de pessoas que ficavam sentadas por menos horas mas eram sedentárias. Segundo os cientistas, as análises sugerem que a atividade física é importante independente da quantidade de tempo que se passa sentado durante o dia, com a alta no risco de morte associada a longos períodos sentado sendo eliminada nas pessoas que faziam um mínimo de 60 minutos de atividades moderadas diárias.

"Há uma grande preocupação com os riscos associados aos estilos de vida mais sedentários de hoje", lembra Ekelund. - Mas nossa mensagem é positiva: é possível reduzir, ou mesmo eliminar, estes riscos se formos ativos o bastante, mesmo que não pratiquemos um esporte regularmente ou frequentemos uma academia. Para muitas pessoas que vão de casa para o trabalho e do trabalho para casa e têm empregos baseados em escritórios, não há maneira de escapar de ficar sentado por longos períodos de tempo. Para estas pessoas em particular, não podemos deixar de destacar a importância de praticar exercícios, seja saindo para uma caminhada na hora do almoço, correndo de manhã ou indo de bicicleta para o trabalho. Uma hora de atividade física por dia é o ideal, mais se isso não é possível, pelo menos fazer algum exercício diário pode ajudar a diminuir o risco.

PSICÓLOGO APONTA A PALAVRA "MAIS TÓXICA" EM UM RELACIONAMENTO...

FONTE: Redação RedeTV! (www.redetv.uol.com.br).


O psicólogo Jeffrey Bernstein, especializado em crianças, adolescentes e casais, afirmou que existe uma palavra capaz de prejudicar todos os tipos de relacionamentos - principalmente os amorosos - mesmo expressa apenas em pensamento.

Segundo ele escreve em artigo publicado na "Psychologic Today", as pessoas precisam abandonar o verbo "deveria", que demarca uma cobrança, quando iniciarem uma discussão e até mesmo pensarem sobre as atitudes de alguém. 

Para Bernstein, mesmo quando a pessoa não expressa essa cobrança em voz alta, aos poucos ela se torna visível nas atitudes. Ele explica o porquê: "Pensar que alguém que você ama 'deveria' (fazer, dizer, saber algo) cria uma energia negativa que, com o tempo, pode ser tóxica para os relacionamentos".

De acordo com Bernstein, que afirma já ter excluído o verbo "deveria" de seu vocabulário, é dessa forma que nascem muitos pensamentos prejudiciais a um relacionamento.


"Fico assustado como os pensamentos tóxicos em casais ocorrem com tanta frequência", constata ele. "Usar esse tempo para estar atento, pegar seus pensamentos tóxicos mudá-los levará você e seu parceiro para um lugar muito melhor no relacionamento", finaliza.

POR QUE A CIÊNCIA AINDA NÃO CONSEGUIU DESVENDAR O MISTÉRIO DO DESEJO FEMININO...

FONTE:, (estilo.uol.com.br).


O que as mulheres querem? Trata-se de uma questão que desafiou até Sigmund Freud e esteve no centro de inúmeros livros, artigos e blogs.

Mas apesar de décadas de esforços para decifrar este enigma, cientistas ainda não conseguiram chegar a um acordo sobre uma definição unificada de desejo feminino. E estão longe de compreender de forma significativa como ele funciona.

Ainda assim, a ciência fez progressos em comparação com noções do passado, que podiam ir de um oposto a outro --mulheres podiam ser vistas como insaciáveis ou se achava que não tinham desejo.
Cientistas agora estão começando a perceber que o desejo feminino não pode ser resumido em termos de uma simples experiência: ele varia de acordo com os indivíduos e ocorre em manifestações amplamente diversas.

"Toda mulher quer algo diferente", diz Beverly Whipple, professora da Universidade Rutgers, nos EUA.

Estamos começando a entender também que o desejo feminino não difere tanto assim do masculino. Por muito tempo, a ciência aceitou percepções sociais de que homens "tinham mais desejo" que mulheres e diversos estudos mais elaborados comprovaram este "fato".

Evidência mais recente, porém, revela que as diferenças entre os sexos são bem mais tênues ou mesmo não-existentes, dependo de como alguém define e tenta medir desejo. Alguns estudos até descobriram que homens em certos relacionamentos tendem tanto quanto mulheres a ser o membro do casal com o menor nível de desejo sexual.

Estudos no passado tipicamente perguntavam aos participantes coisas como "No mês passado, quanto desejo você sentiu?". A este tipo de pergunta, as respostas parecem indicar resultados mais altos de homens. Mas quando a pergunta é mais específica para sentimentos de momento, como o desejo no meio de uma relação sexual, cientistas não conseguem encontrar diferenças entre homens e mulheres.
"Isso desafia o estereótipo de passividade das mulheres", diz Lori Brotto, professora de obstetrícia e ginecologia da Universidade de British Columbia, no Canadá. "E também sugere que os fatores que estimulam o desejo momentâneo podem ser igualmente potentes para homens e mulheres".

Outros estudos concluíram que o desejo feminino obedece ao ciclo menstrual. "A motivação sexual feminina é tão intensa quanto a masculina em períodos próximos à ovulação", explica Lisa Diamond, professora de psicologia e estudos de gênero na Universidade de Utah (EUA). "As mulheres não têm sexualidade mais baixa que os homens, mas sim padrões mais variáveis".

Isso faz muito sentido quando pensamos em termos da finalidade primordial do sexo: a reprodução. Foi apenas na era moderna que sexo e reprodução deixaram de ser tão ligados.

Médicos de décadas passadas pensavam que o hormônio masculino testosterona poderia estar ligado ao desejo feminino. Na prática, isso não parece acontecer.

Diversos estudos não encontraram diferença alguma nos níveis de testosterona em mulheres com altos níveis de desejo e outras diagnosticadas com problemas nessa área. Apesar disso, mulheres ainda pedem testosterona como tratamento para pouco desejo --e médicos continuam receitando.
Outro estudo descobriu que a relação entre desejo e testosterona é indireta, e que o sexo influencia mais os hormônios do que os hormônios influenciam o sexo.

A variedade de sentimentos durante o sexo têm sido negligenciada: mulheres não necessariamente passam pela mesma progressão que os homens - excitação, auge, orgasmo e resolução. "Para mulheres, a excitação genital e física frequentemente precede a experiência psicológica do desejo, ao passo que nos homens o desejo precede a excitação", diz Sari Van Anders, da Universidade de Michigan.

Sendo assim, o desejo não necessariamente leva ao sexo. Cada mulher é diferente em termos de preferências e elas podem mudar em cada situação.

Mulheres por vezes podem querer apenas masturbação solitária e algumas podem chegar ao orgasmo puramente pelo pensamento, sem qualquer contato físico. Outras podem querer atividade sexual com um parceiro, mas sem penetração ou mesmo orgasmo.

"Desejo depende de contexto, da pessoa, da época de sua vida, de fatores de relacionamento ou de quem está disponível", completa Anders.

Mulheres também relatam uma diversidade bem maior de fatores ou coisas que as excitam. Algumas preferem estimulação do ponto G, ou que o parceiro chupe os dedos do pé. Algumas gostam de dominar, ou simplesmente de serem afagadas.

"Em geral, a estimulação do clítoris é equiparada com o que ocorre nos homens, mas no laboratório estamos vendo que as mulheres respondem a várias outras coisas", diz Whipple. "Temos de ensinar mulheres e dar-lhes permissão para experimentar o que lhes dá prazer e deixar claro que elas não têm de se conformar em encaixar em determinado padrão ou modelo de desejo e prazer sexual".

E esse diversidade se reflete hoje na pornografia. Até os anos 80, os filmes adultos era amplamente dirigidos para uma audiência masculina. Mas a popularidade do home vídeo fez com que a pornografia deixasse de ser mostrada apenas em cinemas e a deixou mais acessível ao publico feminino.

Pensando nisso, diretoras mulheres começaram a criar filmes direcionados para mulheres, cujas histórias têm uma abordagem mais suaves, sem violência alguma, por exemplo. A indústria evoluiu e criou uma diversidade que reflete, segundo acadêmicos, o fato de que "mulheres também gostam de sacanagem".

Não temos a menor ideia de como o desejo funciona, mas conhecemos as razões por trás de sua ausência ou perda. Todo mundo que já esteve em um longo relacionamento vai concordar que o desejo não é estático.

Estudos confirmam que ele tende a diminuir com o tempo, mas que no caso das mulheres a perda é normalmente mais severa - nos homens, a testosterona serve como uma "proteção" contra os efeitos de estresse e fadiga, por exemplo.

Felizmente, a perda de desejo nem é garantida nem permanente, de acordo com estudos. No ano passado, o Addyi, a versão feminina do Viagra foi aprovada por autoridades de saúde dos EUA.

Mas enquanto a versão masculina do produto resolve um problema de fluxo sanguíneo para o pênis, o Addyi trabalha com hormônios do cérebro. Testes, porém, mostram que a droga tem efeito modesto no aumento de desejo sexual em comparação com o placebo. Anders, por exemplo, compara a droga com um antialérgico "que reduz apenas um espirro por mês".

Para complicar, um quinto dos pacientes sofreram efeitos colaterais, de náuseas a quedas severas de pressão. E quem toma Addyi não pode consumir álcool.

Pesquisadores como Diamond sugerem que cuidar de questões psicológicas envolvendo o desejo pode ser muito mais efetivo do que qualquer droga.

Mas nem toda mulher está incomodada pela falta de desejo. Cerca de 1% da população britânica, por exemplo, define-se como assexuada. Muita gente segue assexualidade como orientação para a vida, outros passam por fases de assexualidade. "Isso faz parte do que elas são, não é um problema médico", diz Anders.

E há os casos de mulheres que sofrem imposições de parceiros com níveis de desejo mais altos - e que fazem suas parceiras se sentirem culpadas por causa disso.


Se há alguma coisa que pesquisadores sabem sobre desejo, é que a variedade é a norma. Seja em homens ou mulheres, o desejo pode se manifestar em uma infinidade de formas e pode até ser inexistente. Não existe desejo certo ou errado. "Precisamos ter mais tolerância com essa diversidade", diz Diamond.

PARANÁ COMEÇA VACINAÇÃO CONTRA A DENGUE EM 13 DE AGOSTO...

FONTE: Redação RedeTV! (www.redetv.uol.com.br).

O Paraná será o primeiro Estado brasileiro a realizar uma campanha de vacinação contra a dengue. A ação, anunciada pelo governador Beto Richa, começa em 13 de agosto e seguirá até o dia 31. Trinta cidades estarão no radar do programa.

A vacina tem três doses. Cada uma delas deve ser tomada a cada seis meses. O público-alvo é formado por pessoas entre 15 e 27 anos. 

Serão gastos R$ 50 milhões para a compra de 500 mil doses da vacina.

O Paraná tem 55.640 casos confirmados de dengue desde agosto de 2015, com 61 mortes causadas pela doença somente neste ano. Oitenta e nove cidades estão com epidemia de dengue. 

A Anvisa anunciou que a Dengvaxia vai custar de R$ 132,76 a R$ 138,53. O medicamento poderá comprado por hospitais e clínicas particulares. O consumidor deverá desembolsar um valor adicional em razão da aplicação do produto.


Segundo o Ministério da Saúde, ainda não há previsão de compra para o Sistema Único de Saúde.

PENSAR SOBRE A MORTE AJUDA A LEVAR UMA VIDA MELHOR...

FONTE: Beatriz Vichessi, Colaboração para o UOL, em São Paulo (estilo.uol.com.br).


Morrer, um dia, todo mundo vai. Mas pouca gente pensa sobre isso, já que o tema ainda é um tabu na sociedade. Há quem diga que falar sobre o assunto atrai coisas ruins. Também não é raro encontrar os que julgam que esse papo é para quem está envelhecendo ou muito doente. No entanto, falar sobre a morte não é tão desagradável, baixo astral e improdutivo quanto se imagina.

Refletir sobre a brevidade da vida e encarar a finitude dá mais força para realizar sonhos e contribui para o autoconhecimento. “Morte significa o fim de um processo, como tantos outros pelos quais passamos”, diz Denise Tiemi Noguchi, oncopediatra e médica do grupo de Medicina Integrativa do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Dentre esses processos, ela cita a mudança de emprego, escola e o casamento. “Quando encaramos esses acontecimentos, pensamos sobre eles antes que aconteçam e os aceitamos como parte da vida, saímos do automático, aprendemos a refletir sobre o que passamos e a encarar as despedidas que vivenciamos”, afirma.

De acordo com Clarissa de Franco, psicóloga da UFABC (Universidade Federal do ABC) e doutora em Ciências da Religião, desde os primórdios, o homem pensa sobre a morte, mas o estilo de vida da sociedade tem dado cada vez menos tempo para elaborar o luto. Tanto que, atualmente, os rituais fúnebres são mais rápidos que os de antigamente. Com isso, as pessoas se distanciam cada vez mais do tema, a ponto de nem saberem mais como lidar com a situação. “A sociedade busca eliminar o que causa sofrimento”, explica Clarissa.

Morte X brevidade da vida.
Quem se dispõe a lidar com o assunto de modo leve e cotidiano pode dar um impulso na vida, buscar realizações, encontrar energia para realizar sonhos. No livro “A negação da morte” (Ed. Record), o psicanalista Ernest Becker, afirma que “a ideia da morte, o medo que ela inspira, persegue o animal humano como nenhuma outra coisa; é uma das molas mestras da vida humana.”

Pensar sobre morrer tem relação direta com pensar na vida. Como os dias estão sendo vividos? Por que se tem brigado muito por tão pouco? O que está sendo deixado para trás? O que poderia ser feito? Como recuperar o que ficou perdido? Por que não reatar laços desfeitos? É necessário reavaliar os valores familiares, profissionais e pessoais? Qual o objetivo de trabalhar tanto? O que realmente faz uma pessoa feliz? Como administrar bem o tempo? Ao mesmo tempo, pensar na vida e se dedicar a todas essas reflexões revela que o ser humano é falível e, por mais que planeje muito, não tem controle de quase nada.

Denise também aponta a validade de encontrar sentido nas pequenas coisas do cotidiano e de conhecer a si próprio melhor. “Muita gente pensa que é fragilidade pensar na morte. Pelo contrário, é sinal de força, de consciência sobre a própria existência”, fala.

Encarar frustrações e perdas.
Falar abertamente sobre morte também ajuda a se preparar para as frustrações e perdas ao longo da vida. “Quanto mais a sociedade se cala e faz do assunto algo proibido ou desagradável, mais produz adultos frágeis, que não conseguem lidar com o que causa sofrimento. Se nos afastamos e nos negamos a tratar de sentimentos e assuntos normais, produzimos a ideia de que quem fala sobre isso e se permite ficar triste, viver o luto, está doente, deprimido”, diz Elaine Alves, fundadora da empresa Prestar Cuidados - Psicologia do Luto e membro do Laboratório de Estudos da Morte, da USP (Universidade de São Paulo).

Por isso, crianças e adolescentes não devem ser poupados diante de situações que envolvem o morrer. Elaine defende que eles precisam ser educados para isso, para aprender a encarar o fato em si como algo natural e a lidar com as muitas despedidas e mudanças da vida. “A sociedade planeja casamentos e formaturas, mas não a morte. Ao analisar bem, esses dois eventos têm a ver com morrer. Quando alguém se casa, é a morte da fase de solteiro. Quando alguém se forma na faculdade, é a morte do estudante, porque nasce o profissional”, fala.


De modo prático, se o assunto não é encarado como tabu, é normal e tranquilo refletir sobre o que pode acontecer quando chegar a sua hora. O que será feito com o corpo, quais os rituais serão planejados, quem será convidado, o que será deixado para amigos e familiares? “Pensar nessas questões burocráticas é cuidar de si e das pessoas do entorno, afinal, tira o ônus dos familiares e amigos próximos de terem de tomar decisões em um momento de tristeza”, explica Elaine.

ABSORVENTE DE MACONHA PROMETE MINIMIZAR CÓLICAS MENSTRUAIS...

FONTE: Redação/RedeTV! (www.redetv.uol.com.br).


Uma empresa chamada "Foria", que utiliza a cannabis sativa para fazer todos os seus produtos, criou algo que promete minimizar as dores das cólicas menstruais: um absorvente interno feito de maconha. 

Segundo a marca, o produto alivia as dores entre 15 e 20 minutos após ser colocado, graças à substância que contém no produto.

"A Cannabis tem uma história longa de uso como ajuda natural para aliviar os sintomas associados à menstruação", diz o site da empresa . "Nossa intenção é compartilhar as poderosas propriedades medicinais desta planta, utilizando técnicas de extração modernas para padronizar pureza e potência, garantindo assim uma experiência segura e acessível para todas as mulheres."


Uma caixinha que contém quatro tampões custa US$ 44 (cerca de R$ 144). 

MODELO PLUS SIZE EMAGRECE E É ATACADA NA WEB: 'TRAIU MUITAS PESSOAS'...

FONTE:, CORREIO DA BAHIA.


A foto que causou a polêmica foi publicada na semana passada e mostra Ashley sem as curvas.
A modelo plus size norte-americana Ashley Graham, internacionalmente conhecida no seu ramo, está sendo criticada nas redes sociais por ter perdido peso. Ashley, que diz vestir o número 44, publicou uma imagem no Instagram em que parece mais magra. 
A foto que causou toda essa polêmica foi publicada na semana passada e mostra Ashley com um casaco, um top e uma saia, e sem as curvas a que o seus seguidores estavam habituados. Ela foi imediatamente questionada nos comentários: “Cadê suas curvas?”, “Você perdeu muito peso”, “Não sou mais seu fã. Você traiu muitas pessoas”, “Orgulho de ser plus size? Você está brincando comigo?”.

Ashley também ficou conhecida após ser a primeira mulher curvilínea a aparecer de biquíni na tradicional revista 'Sports Illustrated'. Até agora ela não se pronunciou sobre o assunto. 

sexta-feira, 29 de julho de 2016

CID TEIXEIRA DEIXA O RÁDIO JEQUIÉENSE DE LUTO...

        


No inicio da tarde de ontem (quinta feira, 28 de julho 2016), fui pego de surpresa com uma noticia triste (mais uma em pouco tempo) o falecimento do senhor CID CARVALHO TEIXEIRA (FOTOS), que por mais de 30 anos dirigiu os destinos da extinta e saudosa RÁDIO BAIANA DE JEQUIÉ, meu pai como eu gostava de me referi a ele teve sua vida voltada para os destinos desta empresa que por muitos anos esteve sozinha nos meios radiofônicos da cidade, uma das primeiras rádios do interior a Rádio Baiana ou RBJ como muitos gostavam de chamar teve os irmãos TEIXEIRA (CID E GERALDO) em seu quadro de funcionários o primeiro como diretor geral e o segundo como diretor artístico.

Considerado por uns como um pai e por outros como “linha dura”, na verdade o senhor CID fazia com que seus funcionários não andassem fora da linha como ele mesmo dizia só que seu coração mole aparecia quando era levado por uma boa conversa. Gostava de tomar sua cervejinha de leve e promovia sempre encontros esportivos com os funcionários da emissora e não deixava ninguém sozinho quando se tratava de uma transmissão externa principalmente quando se tratava dos velhos e bons carnavais.

Na época que a transmissão era através de linha sempre que dava um vento forte ou chovia na cidade e a Rádio saia do ar era muito comum encontrar o senhor CID acompanhado de VAVÁ eletricista a pé com uma enorme escada correndo os locais por passavam os fios de transmissão para encontrarem ou estava partido para recolocar a rádio no ar, a Baiana era sua segunda paixão, já que a primeira era sua família.

Nascido na cidade de amargosa em 08 de dezembro de 1923, por tanto iria completar no final do ano 93 anos, cidade amava Jequié, onde fez grandes e bons companheiros e sua família residia. Do seu casamento com a senhora DINA (in momemorian) nasceu CID ROBERTO TEIXEIRA, a quem eu tenho como um irmão.

O senhor CID TEIXEIRA era um amante do rádio em especial da Rádio Baiana, seu sonho era ganhar na loteria e comprar a concessão da mesma de volta e formar outra vez o quadro de funcionário que ele comando por muitos anos e dizia sempre que nunca iria deixar ninguém sair de lá e todos se aposentariam com ele como paitrão (isto mesmo paitrão) e amigo.

Na época que esteve a frente da rádio vários foram os profissionais que estiveram a seu comando a exemplo de: Dorival Cerqueira, Eutimio Almeida, José Carlos Santana, Luis Laymon Gonzaga, Ary Santana, Mascarenhas Filho, Edisio e Evaldo Santana, João Mendes, Roque Oliveira, Gélia Ferreira, José Mariano Ferreira, Evando Lopes, Wilson Senhorinho, Jota Narcisio, Paulo César Valverde, Tadeu Antonio, Carlos Santana, Humberto Oliveira, Innaldo Sardinha, Ary Moura, Walter Santana e tantos outros.

Quando a Rádio Baiana foi vendida era muito fácil encontrar o senhor CID na loteria existente da Rua 2 de Julho ou na Loja Maçonica (ele era Maçon) sempre com uma palavra de incentivo e carinho ele tinha para todos que o procuravam.

Se eu hoje sou reconhecido na cidade em primeiro lugar agradeço a DEUS e em segundo a esta pessoa que nos deixa, já que enfrentou muita coisa e apostou em mim. Palavras não expressam o que estou sentindo neste momento.

Em um rápido momento de reflexão busco no meio daqueles que tive como pai/amigo/irmão de RBJ que já se foram, Carlos Santana, Luiz Laymon Gonzaga, Ary Santana, Walter Santana, Paulo Roberto Santana (os três irmãos de Mascarenhas Filho), Geraldo Teixeira, Adauto Cidreira; hoje ainda com vida restam poucos deste que por muitos anos formou o time da Baiana.

Ao meu irmão CID ROBERTO e demais familiares, deixo um abraço e pedindo a DEUS que nos dê muitos anos de vida e que possamos continuar o legado deixado pelo senhor CID.

Boas sementes ele plantou, bons frutos tem dado e com certeza muitos ainda nascerão.

Que o guerreiro descanse em PAZ...




OBS.: As fotos aqui postadas foram fornecidas ao titular deste espaço por CID ROBERTO, a quem agradeço a gentileza do irmão.

COMO MANTER O ORGANISMO NUTRIDO DURANTE TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER...

FONTE: , TRIBUNA DA BAHIA.

Pacientes em tratamento contra o câncer podem manterem-se nutridos redobrando os cuidados com a alimentação.

Pacientes em tratamento contra o câncer podem manterem-se nutridos redobrando os cuidados com a alimentação. "Infelizmente, esses tratamentos não trazem só benefícios, são muitos os efeitos colaterais relatados", explica a nutricionista Alessandra Coelho, apontando entre os mais comuns vômitos, náuseas, diarreia, dificuldades de deglutição, perda do apetite e cansaço.
Muitas vezes o doente deixa de se alimentar adequadamente, contribuindo para que seu quadro geral piore - justamente quando manter a nutrição correta ajudará o organismo a combater a doença. "Isso é fundamental para que o paciente reaja ao tratamento", garante Alessandra. Ela lembra que uma boa alimentação não só auxilia na recuperação como também previne diversos tipos de câncer. "As pessoas precisam ter consciência de que seus hábitos alimentares podem influenciar diretamente em sua longevidade e qualidade de vida". 
Para combater os efeitos colaterais do tratamento do paciente com câncer, a nutricionista separou algumas dicas importantes que podem ajudar a passar por essa fase.
1 - Perda de apetite ? Vários fatores fazem com que o paciente perca o apetite dentre eles náuseas, lesões na boca causadas pela quimioterapia e radioterapia, infecções, estresse, diarreia entre outros. A dica é fazer pequenas refeições ao longo do dia e comer alimentos mais macios, evitando os muito ácidos ou salgados. Sopas, suflês, caldos, frutas e legumes transformados em purês podem ser uma boa alternativa. Além disto, estimulamos o paciente e a família a variar a alimentação e forma de preparo.
2 - Driblar mudanças no paladar - Muitos pacientes mudam a percepção de sabor dos alimentos durante a fase de tratamento e sentem um gosto metálico na boca. A recomendação é enxaguar a boca com água antes das refeições e usar mais temperos naturais no preparo das refeições, dentre eles o cheiro verde, orégano, manjericão, hortelã e outros que costumam usar. E para aliviar a sensação de gosto metálico, uma alternativa simples e muitas vezes eficaz é substituir talheres de metal por de plástico 
3 - Reforçar o corpo com suplementos ? Talvez seja necessário tomar vitaminas, nutrientes e proteínas se você estiver emagrecendo muito rápido, pois além de perda de apetite, o câncer eleva o consumo de energia e pode levar à desnutrição. Ter acompanhamento nutricional com profissional especializado na área é extremamente importante. Existem suplementos que podem ajudar a manter e/ou reestabelecer o quadro nutricional 
4 - Manter-se hidratado - Assim você também combate a diarreia, um dos efeitos colaterais mais frequentes. Abuse dos chás e sucos coados sem açúcar e tome bastante água. Evite leite e derivados e outros alimentos que soltem o intestino 

5 - Variar o cardápio - Tente variar bastante o cardápio nessa fase, consumindo alimentos saudáveis e experimentando novidades que façam com que tenha prazer de comer Mas atenção: evite consumir alimentos crus que podem contribuir para infecções e outros problemas. Até mesmo as frutas podem ser cozidas e consumidas sem casca, no caso da maçã, por exemplo. 

MÚSICA FAZ CERVEJA FICAR MAIS GOSTOSA, MOSTRA PESQUISA...

FONTE: *** Jairo Bouer (doutorjairo.blogosfera.uol.com.br).

Uma música pode interferir no gosto da cerveja, segundo estudo publicado no periódico Frontiers in Psychology. Pesquisadores descobriram que informações multissensoriais, como sons, formas e cores, podem influenciar a maneira como percebemos os sabores.

O trabalho teve como pano de fundo um projeto de cervejeiros belgas, que criou uma bebida a partir da identidade musical e visual da banda britânica The Editors, A partir disso, um grupo de pesquisadores da Universidade Vrije Bruxelas e da Universidade Católica Leuven, ambas na Blélgica, realizaram um experimento com 231 consumidores.

Os participantes foram divididos em três grupos. O primeiro, que servia de controle, experimentou a cerveja sem ver o rótulo e sem ouvir qualquer música. Já o segundo grupo visualizou apenas a embalagem enquanto experimentava o produto. E o terceiro viu o rótulo e ainda ouviu uma música da banda enquanto degustava a bebida. Todos escreveram sobre suas expectativas em relação à cerveja antes do teste, e, depois, relataram o quanto haviam gostado dela.

Conclusão? Os consumidores que contaram com as informações visuais e a música foram os que mais apreciaram a cerveja, e os que não viram nem o rótulo foram os que deram os depoimentos menos entusiasmados.

Os autores pretendem, no futuro, ir mais a fundo e tentar descobrir o quanto os sons podem interferir na percepção de diferentes sabores, como o amargo ou o doce. Eles também querem saber se a música pode fazer as pessoas fazerem escolhas mais saudáveis de bebida e comida, por exemplo.

A pesquisa é interessante para quem trabalha com marketing, mas também dá uma ideia do quanto uma festa regada com boa música e um rótulo atraente podem fazer você gostar mais de uma bebida alcoólica.

       

PRÊMIO DA MEGA-SENA ESTÁ ACUMULADO EM R$ 27 MILHÕES PARA O DIA 30/7...

FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.

Sorteio será realizado no Caminhão da Sorte, que está em Anápolis (GO).
O sorteio do concurso 1.842 será realizado às 20h, no Caminhão da Sorte, estacionado em Anápolis (GO).
Aplicado na Poupança, o prêmio renderia mensalmente pouco mais de R$ 190,4 mil. Para aproveitar o final do mês de férias e viajar pelo mundo, o ganhador também poderia embarcar numa viagem com mais 154 pessoas para a Disney, realizar um circuito com 19 diárias pelos países mais visitados da Europa e fazer um desses trajetos a bordo do melhor voo de primeira classe do mundo. 
A aposta mínima na Mega-Sena é de R$ 3,50 e pode ser feita em qualquer lotérica do país. 
A aposta múltipla (jogos com 7 a 15 números) aumenta a probabilidade de acerto.

Apostadores podem somar forças com amigos e familiares com a opção Bolão CAIXA, em que o valor da aposta é dividido pelo grupo, assim como o prêmio – em caso de acerto nas faixas de premiação.

O apostador também pode comprar cotas de bolões organizados pelas lotéricas. Neste caso, poderá ser cobrada uma tarifa de serviço adicional de até 35% do valor da cota.

FIBRAS ALIMENTARES: GRANDES ALIADAS DA SUA SAÚDE...

FONTE:, (www.msn.com).

Muito associadas ao bom funcionamento do intestino, as fibras estão presentes nas refeições de quem busca uma alimentação saudável. Os benefícios delas não são apenas o de fazer o intestino funcionar: as fibras também evitam uma série de doenças, inclusive as cardiovasculares, diabetes e auxiliam no emagrecimento.Elas se dividem em fibras solúveis e insolúveis.

As fibras solúveis se ligam às gorduras e ao açúcar e depois são eliminadas através das fezes. São essas que ajudam a prevenir a diabetes e reduzir o colesterol. Elas formam uma espécie de gel quando ingeridas, pois se misturam com água.

Aveia - Rica em magnésio, responsável pela produção de proteínas, limpeza das artérias e diminuição dos radicais livres, a aveia possui uma série de benefícios além da proteção intestinal. Você pode consumi-la apenas salpicando em frutas, ou em receitas mais elaboradas, como em forma de mingau, bolo ebiscoitos

Mandioca - Rica em vitamina C e potássio, a mandioca é ótima para retardar o envelhecimento precoce e regular os líquidos do organismo. Além disso, ajuda a manter a saúde dos pulmões, cabelos e pele. Mas, atenção: evite consumi-la frita, pois a alta temperatura do óleo pode reduzir esses benefícios. Prefira consumir assada ou cozida, ou em preparações como em bolos , caldos e purês.

Frutas como maçã, maracujá, abacate, goiaba, pera - Ricas em vitaminas, as frutas também evitam uma série de doenças. Sempre que possível, não despreze as cascas, especialmente da maçã, uva, pera e goiaba, já que a concentração de fibras é maior ali do que na polpa. Prefira consumir frutas in natura ou em forma de sucos e com grãos, como aveia, chia ou linhaça, para que a sensação de saciedade dure mais.

As fibras insolúveis, por sua vez, oferecem sensação de saciedade (o que reduz a fome) e também o risco de câncer no intestino. A recomendação diária é de 25 a 35 gramas.

Ervilhas e lentilhas - Ervilhas equilibram o sódio e o colesterol, possuem ação antioxidante e previne doenças cardíacas. Já as lentilhas diminuem a TPM, previnem a diabetes e desintoxica o organismo. Além disso, são ótimas opções para substituir o feijão, já que você pode investir nos caldos de ervilha e lentilha, além de sopas e saladas.

Uva passa - Não tem meio termo: ou você ama ou odeia uva passa! Mas uma coisa é incontestável: ela é cheia de benefícios! É rica em cálcio, ferro, cobre, zinco e possui ação anti-inflamatória. Ou seja: as uvas passas previnem infecções, além de fortalecerem o sistema imunológico. Para quem ama, elas combinam com tudo (e não só no natal): saladas, sanduíches e até arroz de forno ficam uma delícia com elas.

Trigo, linhaça - São inúmeros os benefícios da linhaça! O trigo também é incrível, já que é rico em manganês, cobre, zinco, cálcio e ajuda a eliminar o açúcar do sangue. O ideal é consumir esses grãos sobre os alimentos ou em sucos.


Verduras e legumes - Folhas verde escuras, abóbora, milho fazem muito bem à saúde e oferecem desde proteção ao sistema imunológico até combate à anemia. Legumes como a abóbora e batata doce são queridinhos por quem busca uma vida mais leve e saudável e pratica exercícios físicos, já que eles são ótimas fontes de carboidratos "do bem". Invista em pratos coloridos e cheios de vegetais para uma refeição repleta de fibras e nutrientes fundamentais à sua saúde!

EM REDE SOCIAL, MÉDICO DEBOCHA DE PACIENTE QUE FALA ERRADO: 'NÃO EXISTE PELEUMONIA'...

FONTE: CORREIO DA BAHIA  (redacao@correio24horas.com.br).

A atitude provocou revolta entre amigos e parentes do mecânico atendido.
Um médico do Hospital Santa Rosa de Lima, em Serra Negra, interior de São Paulo, foi afastado do trabalho após debochar de um paciente diagnosticado com pneumonia.
Segundo informações do portal G1, na quarta-feira (27), Guilherme Capel Pasqua atendeu o mecânico José Mauro de Oliveira Lima, 42 anos. Ao saber do diagnóstico, o mecânico teria perguntado qual o tratamento para a doença, porém, ele teria pronunciado a palavra errado.  
"Quando meu padrasto falou pneumonia e raios X de forma errada, ele deu risada. Na hora, não desconfiamos que ele iria debochar depois na internet. O que ele fez foi absurdo", desabafou o enteado do mecânico, Claudemir Thomaz Maciel da Silva, 25 anos, que o acompanhou na consulta.

Após o atendimento, o médico compartilhou nas redes sociais a foto de um papel com a frase: Não existe peleumonia e nem raôxis”.
O enteado de José Mauro disse ao G1 que o padrasto não sabe falar direito porque não teve estudo. "Ele vai ficar muito triste quando souber o que aconteceu, estamos evitando contar, mas ele vai acabar descobrindo".
Outros parentes e amigos da família também ficaram indignados com a postagem do médico e começaram a reproduzir a foto. As críticas foram dirigidas ainda a outras duas funcionárias do hospital, que costumam debochar da forma como os pacientes falam.

Em entrevista à EPTV, o médico disse que não teve intenção de ofender e pediu desculpas. O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) informou que vai instaurar uma sindicância para avaliar a postura do profissional.

DORMIR COM VENTILADOR LIGADO PODE TRAZER RISCOS À SAÚDE; SAIBA MAIS...

FONTE:,, (www.msn.com).


O ventilador é o melhor amigo de muitas pessoas durante o dia e na hora de dormir. Apesar de parecer inofensivo, este aparelho pode trazer alguns problemas para a saúde. 

Primeiro, como explica o site She Finds, o ventilador 'seca' o ar, fazendo com que a sua boca e a sua traqueia também sequem, dificultando ainda mais a sua noite de sono. E ainda se arrisca a ficar constipado.

Em segundo lugar, os ventiladores que não são usados com frequência durante o dia acumulam pó, portanto quando liga o aparelho, pode encher o ar (e a si mesmo) de pó. Além de desagradável, isso pode aumentar o risco de sinusite, infecções respiratórias, resfriados, etc. Para evitar estas questões, o melhor é limpar o seu ventilador com alguma frequência.


Passar a noite toda recebendo vento do ventilador também pode debilitar o seu sistema imunológico, deixando-o menos capaz de combater bactérias e vírus.