terça-feira, 31 de julho de 2012

ESTIGMA AINDA BARRA AVANÇO CONTRA A AIDS...



FONTE: RAFAEL GARCIA, EM WASHINGTON (www1.folha.uol.com.br).

As campanhas de distribuição de medicamentos antirretrovirais e de prevenção do HIV podem acabar com as novas infecções algum dia, mas pesquisadores alertam para o risco de que a epidemia permaneça num enclave: o dos soropositivos estigmatizados pela doença e dos grupos vulneráveis --usuários de droga injetável, gays e prostitutas.

"O impacto da discriminação é mais nocivo hoje do que no passado", disse à Folha Luiz Loures, diretor do escritório executivo da Unaids, programa da ONU (Organização da Nações Unidas) para combate ao HIV. "Antigamente, as drogas eram menos eficazes. Hoje há muitas ferramentas de prevenção, mas é preciso que tudo seja oferecido de forma equitativa."

Segundo a Unaids, 8 milhões de pessoas estão em tratamento antirretroviral nos países em desenvolvimento. A meta da ONU para 2015 é que o número chegue a 15 milhões. Para que a epidemia acabe, será preciso que 25 milhões de pessoas sejam tratadas em países pobres, o que pode ocorrer até 2025, diz Loures, desde que as barreiras de acesso a tratamento e prevenção sejam superadas.

Durante a Conferência Internacional da Aids, na semana passada, em Washington, estimativas como essa foram condicionadas à solução de três problemas: dinheiro, discriminação e estigma.

A Unaids estima que, em 2015, US$ 24 bilhões de dólares estarão investidos no combate ao HIV. Seriam necessários US$ 31,2 bilhões. E mesmo que essa carência seja suprida, problemas legais podem impedir programas de tratamento de chegar a todos.

Em pelo menos 80 países, sobretudo no Oriente Médio e na África, a homossexualidade é crime. Nesses mesmos lugares, a prostituição é punida, bem como na maior parte da Ásia. E no leste europeu e na Rússia, onde o maior motor da epidemia é o uso de drogas injetáveis, governos não distribuem agulhas.

Segundo Mariângela Simão, diretora da Unaids para questões de gênero, direitos e mobilização comunitária, essas condições impedem que profissionais de saúde avaliem os riscos da doença na população.

"Em inúmeros países, as profissionais do sexo relatam não poder carregar muitas camisinhas na bolsa porque é isso que os policiais usam para identificá-las como prostitutas e prendê-las."

Países na África recentemente participaram de testes sobre a eficácia de drogas antirretrovirais, e uma das barreiras foi o medo de se identificar como soropositivo.

"Muitos não tomam os remédios porque não querem que os outros saibam que eles têm HIV", diz Nelly Mugo, médica do Hospital Nacional Kenyatta, no Quênia.

O medo não é sem razão. Uma pesquisa da Unaids na Zâmbia mostrou que 38% dos portadores de HIV perderam o emprego em razão da infecção, 27% foram excluídos da família e 33% agredidos. "O estigma e a discriminação sabotam nossos esforços para tratamento e prevenção."

                          

MÚSICA ALTA PODE AFETAR MEMÓRIA E APRENDIZAGEM...


FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.

Muitos adolescentes gostam de ouvir música alta, especialmente durante os estudos, costume que tem sido criticado pelo pais através de gerações.

Agora, cientistas da Argentina mostraram que a reclamação dos progenitores não é pura chateação: através de um experimento com ratos, eles descobriram que o som alto pode afetar a memória e os mecanismos de aprendizagem de animais em desenvolvimento.

O trabalho, publicado na revista Brain Research, foi realizado utilizando camundongos com idade entre 15 e 30 dias, o que corresponde a uma faixa etária entre 6 a 22 anos nos humanos. 'Nós usamos ratos pois eles têm um sistema nervoso semelhante aos seres humanos', disse à BBC Mundo Laura Guelman, coordenadora do projeto e pesquisadora do Centro de Estudos Farmacológico e Botânico (Cefybo) da Universidade de Buenos Aires (UBA).

Os pesquisadores expuseram os animais a intensidades de ruído entre 95 e 97 decibéis (dB) mais altos do que o patamar considerado seguro (70-80 dB), porém abaixo da intensidade de som que produz, por exemplo, um show de música (110 dB).

Concluído o experimento, eles descobriram que, depois de duas horas de exposição, os ratos sofreram danos irreversíveis nas células cerebrais. Segundo os pesquisadores, foram identificadas anormalidades na área do hipocampo, uma região associada com os processos de memória e aprendizagem.

'Tal evidência sugere que o mesmo poderia ocorrer em humanos em desenvolvimento, embora seja difícil de provar, porque não podemos expor as crianças a este tipo de experiência', disse Guelman.

Danos - Já era sabido que a exposição ao som alto pode causar deficiência auditiva, cardiovascular e do sistema endócrino (além de stress e irritabilidade), mas Guelman afirmou que é a primeira vez que tais alterações morfológicas são detectadas no cérebro.

'Pode-se supor a partir dessa descoberta que os níveis de ruído a que as crianças são expostas nas 'baladas' ou ouvir música alta com fones de ouvido podem levar a déficits de memória e cuidados de longa duração', disse Maria Zorrilla Zubilete, professora e pesquisadora da Faculdade de Medicina da UBA.

Uma das curiosidades relevadas pelo estudo é que, para as crianças, uma única exposição a ruídos altos pode ser mais prejudicial do que uma exposição prolongada.

Durante a experiência, dois grupos de ratos foram analisados: o primeiro foi exposto uma única vez a duas horas de ruído e o segundo recebeu o mesmo estímulo, mas uma vez por dia durante duas semanas.

Após 15 dias, os ratos que tinham sido submetidos a uma única exposição no início da experiência mostraram sinais de danos mais contundentes.

Os cientistas atribuíram tal fato à chamada 'plasticidade neural' existente durante os anos de desenvolvimento, quando o sistema nervoso ainda está em formação.

A BOFETADA SE APRESENTARÁ EM JEQUIÉ DE 02 A 05 DE AGOSTO...

                  


Com um público de mais de um milhão e meio de espectadores e um repertório de sete espetáculos (“Abafabanca”, “A Bofetada”, “Noviças Rebeldes”, “3 em 1”, “A Vaca Lelé”, “Capitães da Areia” e “Siricotico”), a Companhia Baiana de Patifaria celebra um quarto de século nos palcos em 2012 e escolheu alguns dos principais pólos culturais da Bahia para fazerem parte de sua Turnê Nacional, que segue rumo ao Rio e São Paulo, ainda no segundo semestre.

Em 2012, “A BOFETADA”, segunda montagem da trupe, também, comemora aniversário, são 24 anos desde sua estréia, em 1988. O elenco, formado por Nilson Rocha, Alexandre Moreira, Jarbas Oliver e Lelo Filho, que também assina a direção, estabelece uma relação direta e de grande empatia com a platéia tornando cada apresentação imprevisível. Os “patifes” da Cia Baiana retornam com “A BOFETADA” a Jequié depois de 6 anos que foi apresentada na cidade e anunciam trazer em breve “Siricotico, uma comédia do balacobaco”, sua mais recente montagem.

A curta temporada de “A BOFETADA” em Jequié terá 4 ÚNICAS APRESENTAÇÕES no Centro de Cultura ACM, dias 02, 03, 04 e 05 de agosto de 2012, quinta a domingo às 20h.

TRABALHADOR PODE EVITAR DONÇAS DE COLUNA LEVANTANDO PESO DE ACORDO COM SUA CAPACIDADE...


FONTE: Agência Brasil, TRIBUNA DA BAHIA.

As doenças de coluna correspondem a cerca de 30 casos de aposentadorias para cada grupo de 100 mil beneficiários da Previdência Social, além de estar entre as principais causas de licenças médicas. A maioria dos afetados são homens, principalmente de idade mais avançada. A forma de levantar um peso e a massa do trabalhador com relação à do objeto devem ser observadas para se evitar danos à coluna.

Enquanto alguns ortopedistas recomendam que uma pessoa deve levantar no máximo o equivalente a 50% do seu peso, outros preferem uma recomendação menos genérica, que individualize a capacidade do ser humano para carregar determinado peso, de acordo com as suas condições físicas e da saúde em geral. Há ponderação, nessas recomendações, no que se refere às mulheres, pois normalmente são tidas como menos fisiologicamente formadas para tarefas pesadas.

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) estabelece que o trabalhador pode carregar até 60 quilogramas (kg), mas no âmbito internacional a Niosh (National Institute for Ocupational Safety and Health), órgão internacional que fixa normas para a questão, determina o limite de 25 kg no exercício das tarefas laborais. Esse é o critério seguido nos países europeus.

Projeto de Lei (PL 5.746/05) que foi aprovado no Senado e encaminhado para a Câmara dos Deputados reduz de 60 kg para 30 kg a carga máxima que um trabalhador pode carregar individualmente, alterando o artigo 198 da CLT que trata desse limite. Os 60 kg fixados na legislação brasileira foram adotados há mais de um século.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) não fixam patamares para os equipamentos em função da força física do trabalhador. A explicação das assessorias de imprensa dos dois órgãos é de que as comissões internas de prevenção a acidentes de trabalho das empresas "cuidam dessas questões de interesse dos empregados".

A Norma Técnica 17, do Ministério do Trabalho e Emprego, que trata de ergonomia, estabelece que todos os equipamentos colocados à disposição do trabalhador devem estar adequados às características psicofisiológicas destes e à natureza do trabalho a ser executado. O uso de equipamento mecânico de ação manual para levantamento de material "deve ser executado de forma que o esforço físico seja compatível com a capacidade de força e não comprometa a saúde ou a segurança" de quem o executa.

O presidente da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt), Carlos Campos, que é médico e ergonomista, opina que "há um conjunto de condições que precisam ser observadas" para se avaliar o peso que uma pessoa deve carregar "sem prejudicar a saúde".

Isso inclui, conforme explica o médico, uma série de situações ligadas às condições da pessoa e ao tipo da carga: o tempo que vai ser empregado para o seu deslocamento; o esforço que vai ser feito para retirá-la de onde está colocada, e a forma com que ela vai ser conduzida pelas mãos, além da observância de detalhes sobre a manipulação com o auxílio de equipamentos.

Além disso, diz Carlos Campos, "tudo vai depender de onde está o peso, se está no solo, a que distância do corpo de quem vai carregar, quanto se vai ter que encurvar a coluna para pegá-lo”. Segundo ele, “quanto mais perto do corpo o peso estiver, tanto melhor será para o conforto de quem vai transportá-lo". Para o especialista, é preciso levar em conta também quanto tempo levará a tarefa e com que frequência será executada ao longo do dia.

O pedreiro Natalino Souza (50 anos) diz que "quem mexe com construção tem que ser ‘pau pra toda obra’". Ele recomenda que se deve ter "técnica para cuidar de peso”. Segundo explica, "se um saco de cimento [que tem 50 kg] é pesado para uma pessoa, ela deve cortá-lo no meio com a enxada e assim pegar 25 quilos de cada vez”.

Natalino recomenda também que o trabalhador sempre se agache para pegar um objeto pesado. No caso da caixa de cerâmica, peso também comum às suas atividades, “da mesma forma que o cimento, o melhor é que ela não esteja no chão, para não precisar encurvar o corpo na hora de transportar".

Antônio Geraldo Barbosa (53 anos), que transporta mudanças, diz que não enfrenta problema de coluna - "crônico, pelo menos" - mas que tem duas hérnias inguinais. "Enquanto puder, vou continuar trabalhando. Escolho ajudantes mais pela habilidade do que pela idade, e que tenham a mesma força minha. O cuidado deve ser na forma de carregar [o peso], porque, para subir ou descer uma escada, por exemplo, não se pode deixar o móvel escorregar ou cair, para não estragá-lo".

Para Deocleciano Siqueira da Silva (47 anos), que trabalha com madeira há 12 anos, "quando o peso é muito grande, o melhor é utilizar a ajuda de algum equipamento mecânico". Ele mostrou peças de madeira em um armazém no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA) que, segundo calcula, "devem pesar em torno de 250 quilos” e que só podem ser transportadas por três pessoas. Ele disse que conhece muita gente que já mudou de profissão "para não ter que pegar nada pesado".

O trabalhador Francisco de Assis (45 anos) transporta mercadorias na Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa) e diz que em geral são embalagens que pesam em torno de 20 quilos. Devido ao peso, diz que "não há nenhum problema" em colocá-las no caminhão. O aposentado Clarindo Florêncio Santos (67 anos) faz trabalho autônomo no local e diz que evita levantar botijão de gás ou garrafão de água. "Não sinto dor porque me previno e aqui uso carrinho para levar embalagens do caminhão até os boxes da Ceasa".

UMA EM TRÊS BRASILEIRAS DIZ TER FALTA DE DESEJO SEXUAL, SEGUNDO ESTUDO...


FONTE: DE SÃO PAULO (www1.folha.uol.com.br).

Hoje (31) é comemorado o Dia Mundial do Orgasmo. A data foi criada por uma rede britânica de sex-shop. Segundo pesquisas encomendadas pelos donos dessas lojas, 80% das mulheres no Reino Unido não chegam ao clímax no ato sexual.

As brasileiras, aparentemente, têm mais prazer. Em uma pesquisa do Datafolha de 2009, 39% das entrevistadas afirmaram sempre chegar ao orgasmo e 37%, quase sempre. Entre os homens, 76% disseram que sempre 'chegam lá'.

Um outro estudo, realizado pelo Prosex (Projeto Sexualidade) da Universidade de São Paulo, mostrou que 29,3% das brasileiras com mais de 18 anos sofrem com disfunção orgásmica e 34,6%, com a falta de desejo sexual.

As principais causas são fatores psicológicos, segundo Gerson Pereira Lopes, presidente da Comissão Nacional Especializada em Sexualidade da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia ).

Mas fatores fisiológicos também podem impedir o prazer. Por exemplo, uso de medicamentos como inibidores de apetite e antidepressivos, que retardam a ação do sistema nervoso central, dificultando o orgasmo. Disfunção hormonal ou má formação congênita da região genital, também estão entre as causas orgânicas, segundo Hugo Miyahira, vice-presidente da Região Sudeste da Febrasgo.

PRAZER BLOQUEADO.
De acordo com Miyahira, de 15 a 30% das mulheres são afetadas pela anorgasmia, disfunção que bloqueia o orgasmo e pode ser absoluta ou eventual. A anorgasmia pode ser causada por acidentes que atingem a medula, alterações hormonais e anormalidades no formato da vagina, útero ou músculos da região genital. "Mas todos estes problemas são reversíveis com encaminhamento adequado", afirma o médico.

Já na chamada frigidez -- diminuição da libido -- a falta de desejo compromete a lubrificação vaginal, o que torna a relação desprazerosa. Lubrificantes, psicoterapia e reposição hormonal (na menopausa) são possibilidades para tratar o problema.

Outra disfunção é a dispareunia, dor genital durante ou após o coito. Ela pode ser causada por infecções na vulva, herpes genital e outras DSTs, cistites, endometriose e tumores pélvicos.

O que mais leva as mulheres aos consultórios é o vaginismo, apesar de não ser o distúrbio mais comum - afeta de 2% a 6% da população. A disfunção, um espasmo involuntário recorrente que contrai a vagina, impede a penetração ou faz com que ela seja extremamente dolorida. As principais causas do vaginismo são infecção pélvica, cicatrizes no orifício vaginal, lesão por cirurgia ou irritação devido ao uso de preservativos de látex, ducha íntima e espermicidas, além de fatores emocionais.

Os tratamentos das disfunções que dificultam o orgasmo costumam ser breves e eficazes, afirma Gerson Lopes.

APRENDIZADO.
O melhor caminho para chegar ao orgasmo ou perceber que há algo de errado com a sexualidade é conhecer o próprio corpo, afirmam os médicos. "A mulher que se toca, sabe como sentir prazer e não fica tensa na hora da relação. Além disso, ela consegue identificar disfunções sexuais com mais facilidade", diz Lopes.

Nem todas se sentem à vontade para assumir o aprendizado. Na pesquisa do Datafolha, 78% afirmaram não se masturbar. No estudo do Prosex, da USP, 92,1% das brasileiras disseram que não se masturbam frequentemente.

GOZO OBRIGATÓRIO.
No dia do orgasmo ou em qualquer outro, é bom lembrar que satisfação não é sinônimo de clímax. "Em uma relação sexual há outras formas de prazer", diz Gerson Lopes.

Mas a sociedade atual parece impor a obrigação do orgasmo -- a 'orgasmocracia', segundo Lopes. "Esta situação leva muitas mulheres a fingirem, o que as deixa ainda mais frustradas."

Entre as mulheres ouvidas pelo Datafolha, metade afirmou já ter fingido o orgasmo. Mas eles também mentem: 26% dos homens entrevistados também disseram fingir o gozo.

"Tão opressor quanto não conseguir gozar, é se sentir obrigado a fazê-lo", diz o especialista em sexualidade da Febrasgo.

SAÚDE DESTINA R$ 20 MILHÕES A UBS E ACADEMIAS...


FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.

Serão destinados R$ 13,9 milhões para as novas Unidades Básicas de Saúde (UBS) em 17 estados brasileiros.

Na Bahia, os recursos foram autorizados para as cidades de Brumado, Riachão do Jacuípe e Salvador.

As medidas foram publicadas no Diário Oficial da União.

Os outros R$ 6,16 milhões serão aplicados em polos de Academias de Saúde, programa que estimula a criação de espaços para a prática de atividades físicas e recreativas. A Bahia não foi contemplada.

COCA-COLA TERÁ RÓTULOS COM NOMES DE CONSUMIDORES; VEJA MODELOS...



FONTE: CORREIO DA BAHIA.

Serão impressos os 150 nomes mais comuns entre jovens adultos.

Segundo informações da revista Exame, a "Coca-Cola Zero" vai lançar uma edição de embalagens customizadas com os 150 nomes mais comuns entre jovens adultos. A ação, que começa em agosto, faz parte da campanha “Descubra a Sua Coca-Cola Zero”.

        

As versões estarão presentes em mais de 500 mil pontos de venda do Brasil wserão distribuídas em embalagens lata, de 600 mililitros e de 2 litros. O projeto inclui também filme para TV, aplicativos e conteúdos nas mídias sociais.
Quem não estiver entre os 150 nomes, ainda pode participar de uma votação na fan page da marca, que escolherá os próximos 50 nomes a serem estampados na embalagem do refrigerante. Idealizados pela Ogilvy & Mather e com produção de som da Sonido, os filmes mostram projeções mapeadas em 3D em uma lata gigante de Coca-Cola Zero.

"PORNÔ FAMÍLIA" REVELA FANTASIA SEXUAL EM ALTA...


FONTE: JULIANA CUNHA, COLABORAÇÃO PARA A FOLHA (www1.folha.uol.com.br).

Tapinha não dói, mas o que dizer de 480 páginas de amordaçamentos, chicotadas e safanões? Tchau, Sabrina e outras coleções água com açúcar vendidas para nutrir fantasias femininas românticas. Literatura cor-de-rosa, agora, tem tons de cinza, versão digital e sexo explícito.

Escrita por uma ex-executiva de TV que virou dona de casa, a trilogia iniciada com "Cinquenta Tons de Cinza" (Intrínseca, R$ 40, R$ 25 em formato digital) engoliu 25% do mercado americano de ficção adulta em três meses. Receita do fenômeno, que chega aqui em 1º de agosto: intermináveis descrições de cenas sadomasoquistas entre uma jovem pura e um homem rico, lindo e controlador.

Por que a mulherada adora essa trama fraca com diálogos inverossímeis, personagens idem e sexo regido por um macho que se excita aplicando na fêmea castigos físicos metódicos, ritualísticos?

"As mulheres sofrem hoje uma crise de excesso de controle. Precisam ter controle sobre a carreira, a casa, os filhos. Natural que a vontade de se submeter ao controle de outro surja como fantasia sexual, sem significar um retorno ao machismo", opina o sociólogo Dario Caldas, do Observatório de Sinais.

"Cinquenta Tons..." parece um "Crepúsculo" para mulheres maduras. Narrado em primeira pessoa pela protagonista Anastasia Steele, o livro é entrecortado por longos e-mails chatos entre o casal e reflexões como "minha deusa interior está dançando a dança dos sete véus".

"Não é a coisa mais bem escrita do mundo, mas acho válido pegá-lo em vez de assistir à novela", diz Mirela Pereira, 28 anos, estudante de nutrição que leu os três volumes em inglês --cerca de 1.400 páginas-- em uma semana e meia. "Não tenho interesse em ser amarrada na cama por um filhinho de papai mandão, isso é apenas algo que achei excitante em uma história", diz.

QUARTO DA DOR.
Como todo romance erótico, o livro põe a leitora na situação de "voyeur", com um bônus: há a chance de curtir fantasias sem punições morais no desfecho, explica a historiadora Mary Del Priore.

Para a psicanalista Regina Navarro Lins, o sadomasoquismo ali é um jogo consensual encenado pelos parceiros. Segundo ela, a maior parte dos casais brinca de "Quarto Vermelho da Dor", como é chamado o lugar onde o personagem castiga sua querida. "São brincadeiras de segurar o outro, de beijo roubado, mordidinha. A maior parte responde bem a esses jogos."

As feministas não têm respondido nada bem. É que além de amordaçar Anastasia na cama, Christian Grey controla seus passos e sua dieta, exige que ela o chame de senhor, esteja sempre depilada e pronta para o sexo.

Mas Lola Aronovich, professora de literatura e autora do blog feminista "Escreva, Lola, Escreva", não acha que o livro seja machista: "Se ele faz com que as leitoras alimentem novas fantasias eróticas ou reacendam a vida sexual no casamento, apoio. Pelo menos o orgasmo feminino é frequente na trilogia".

A pedra no sapato não é tanto o feminismo, mas as acusações de que a série é só um plágio picante de "Crepúsculo", aquela saga adolescente criada pela dona de casa mórmon Stephenie Meyer.

Ambas as histórias retratam mulheres comuns e ingênuas fascinadas por homens poderosos e misteriosos.

"A única diferença é o sexo, que Edward [o vampiro de 'Crepúsculo'] não quer fazer e Christian Grey faz o tempo todo. Mas não dá para negar que sejam o mesmo personagem", diz a estudante de medicina Ana Lúcia Soares, 27, leitora das duas séries.

Nos EUA, leitoras dão testemunhos sobre os milagres operados por Christian Grey em seus casamentos. Mas Dario Caldas é cético sobre isso: "O campo da fantasia costuma permanecer isolado da realidade. Em geral, a vida sexual das pessoas é mais em preto e branco do que nos 50 tons de cinza do livro", diz.

TSE: 138,5 MILHÕES DE ELEITORES VOTARÃO EM OUTUBRO...


FONTE: Terra, TRIBUNA DA BAHIA.

Um total de 138,5 milhões de eleitores votará nas eleições municipais de outubro, informou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira. Resultado final do cadastro eleitoral deste ano, o número é maior que o do pleito de 2008, quando 130,6 milhões de brasileiros estavam aptos a votar.

O eleitorado completo do país é composto por 140,6 milhões de pessoas, contando com os 1,8 milhões de eleitores do Distrito Federal, com os 252,3 mil brasileiros cadastrados no exterior e com os 1,9 mil eleitores de Fernando de Noronha (PE), que não votam em eleições municipais.

São Paulo continua sendo o Estado com o maior número de eleitores, com 31,3 milhões. Em seguida, estão os Estados de Minas Gerais, com 15 milhões; Rio de Janeiro, com 11,9 milhões; Bahia, com 10,1 milhões; e Rio Grande do Sul, com 8,3 milhões.

Os Estados com os menores números de eleitores são Roraima, com 292,4 mil; Amapá, com 448 mil; e Acre, com 498 mil.

Maioria feminina
Entre os mais 140,6 milhões de eleitores, as mulheres continuam sendo maioria, como nas eleições anteriores, com participação de 51,90% no eleitorado (72,9 milhões). Os homens representam 47,99% do total, com 67,4 milhões. Outros 134 mil eleitores não informaram o sexo.

‘GOSTO DE SENTIR O TRANCO’ DIZ EX-BBB CAPA DA SEXY SOBRE PREFERÊNCIAS SEXUAIS...



FONTE: CORREIO DA BAHIA.

Fabiana Teixeira disse ainda que gosta de sexo oral e não dispensa as preliminares na hora "H".

               

Capa da "Sexy" de agosto, a ex-BBB Fabiana Teixeira contou detalhes da intimidade com o marido, o cantor sertanejo Roby. Em entrevista ao Extra, a loira, que é não dispensa as preliminares na hora "H" declarou que prefere os homens com "pegada".

“Na cama eu gosto quando o homem tem pegada, gosto de sentir o tranco. Mas também sou dominadora. Acho que o relacionamento saudável tem que ter essa mescla. Gosto de segurar a rédea, me sinto forte”, admite Fabiana em entrevista publicada segunda-feira (30).

“O que não pode faltar são as preliminares. Aquela coisa de beijar o corpo inteiro, a mordidinha de leve, pegar na nuca. Não consigo transar sem isso. Aquelas coisas de só ir aos finalmente não é comigo. Com a maturidade, a mulher vai exigindo mais essas coisas. Tem que criar clima. Principalmente se está casada”, diz.

Na entrevista, Fabiana também concorda com a importância do sexo oral numa relação. “Faz parte do sexo. Eu gosto”.

PARTO DOMICILIAR É AUTORIZADO...


FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.

A Justiça Federal suspendeu as duas resoluções do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj), que proibiam o médico de atuar nas equipes de parto domiciliar e ameaçavam punir o profissional que permitisse a presença de doulas (acompanhantes da gestante) nos hospitais. A liminar foi concedida pelo juiz Gustavo Arruda Macedo, substituto da 2ª Vara Federal.

Para ele, "a vedação à participação de médicos em partos domiciliares, ao que tudo indica, trará consideráveis repercussões ao direito fundamental à saúde, dever do Estado, porquanto a falta de hospitais fora dos grandes centros urbanos, muitas vezes suprida por procedimentos domiciliares, nos quais é indispensável a possibilidade de participação do profissional de medicina, sem que sobre ele recaia a pecha de infrator da ética médica".

Além disso, as resoluções "terminam por dificultar, senão inviabilizar, o exercício da atividade de parteiras". Para Macedo, não cabe ao conselho impedir que parteiras, doulas e obstetrizes exerçam seu trabalho, regulamentado por lei e decreto federais.

A ação civil pública foi ingressada pelo Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ), que entendeu que as medidas do Cremerj interferiam na atividade dos enfermeiros. Em nota, o Cremerj informou que vai recorrer da decisão liminar.

"O Cremerj lamenta a decisão, já que as resoluções do Conselho visam proteger mães e bebês e oferecer as melhores condições de segurança para o parto". As resoluções do Cremerj provocaram polêmica e levaram à reação de organizações não governamentais, que defendem o parto humanizado. Uma passeata em defesa do parto domiciliar está marcada para o próximo domingo.

EM MEIO AOS JOGOS OLÍMPICOS, MANO CONVOCA TIME PARA AMISTOSO...


FONTE: CORREIO DA BAHIA.

"Além dos jogadores que estão nas Olimpíadas, menos o Marcelo, estão outros que têm atuado bem em seus clubes", afirmou Mano.

Na manhã de segunda-feira (30), o técnico Mano Menezes divulgou a lista de convocados para o amistoso contra a Suécia, no dia 15 de agosto, no estádio Rasunda, em Estocolmo. Entre os jogadores que disputam os Jogos Olímpicos pelo Brasil, apenas Marcelo não foi chamado por conta de uma suspensão. Todos os demais estão presentes, juntamente com outros atletas.

"Estamos em meio a uma competição e é importante que não haja interferência nesse processo. A convocação está sendo feita agora devido ao regulamento da Fifa. Além dos jogadores que estão nas Olimpíadas, menos o Marcelo, estão outros que têm atuado bem em seus clubes e que fazem parte de um grupo que estamos construindo visando a Copa das Confederações e o Mundial 2014", disse Mano Menezes. As novidades da lista são os volantes Paulinho, do Corinthians, e Ramires, do Chelsea. O baiano Daniel Alves também foi chamado.

                           CONFIRA OS CONVOCADOS.

GOLEIROS.
Gabriel (Milan-ITA)

Neto (Fiorentina-ITA)

Renan Ribeiro (Atlético Mineiro)

DEFENSORES.
Alex Sandro (Porto-POR)

Bruno Uvini (São Paulo)

Daniel Alves (Barcelona-ESP)

Danilo (Porto-POR)

David Luís (Chelsea-ING)

Dedé (Vasco)

Juan (Internazionale-ITA)

Rafael (Manchester United-ING)

Thiago Silva (Paris Saint-Germain-FRA);
MEIO CAMPISTAS.
Sandro (Tottenham)

Paulinho (Conrinthians)

Ramires (Chelsea-ING)

Rômulo (Lokomotiv Moscou)

Lucas (São Paulo)

Oscar (Internacional)

Paulo Henrique Ganso (Santos)

ATACANTES.
Alexandre Pato (Milan-ITA)

Hulk (Porto)

Jonas (Valencia-ESP)

Leandro Damião (Internacional)

Neymar (Santos).

FÓRMULA PARA BEBÊS ALÉRGICOS AO LEITE VOLTA AO SUS...


FONTE: Naira Sodré REPÓRTER, TRIBUNA DA BAHIA.

Fórmula hidrolisada sem lactose volta a ser distribuída pela Assistência Nutricional da Secretaria Municipal da Saúde. Esta fórmula é consumida por crianças que não podem beber o leite de vaca, leite de cabra, leite de soja ou derivados do leite e sequer, o leite materno. As mães estavam reclamando da demora na distribuição.

Segundo denúncias de mães de crianças com este tipo de alergia a lactose, a distribuição nem sempre funciona dentro do calendário programado. Mas, desta última vez, chegou há três meses por conta da demora na licitação. O que é negado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

Segundo o órgão, o que aconteceu foi que o planejamento da SMS para a compra de fórmulas infantis é feito baseado na demanda dos anos anteriores. No entanto, essa demanda no SUS é imprevisível e pode se manter estável, aumentar ou diminuir. No caso em questão , ocorreu um aumento da demanda, fazendo com que o estoque acabasse antes do previsto. Explicou ainda que não é possível fazer reserva de estoque devido ao pequeno prazo de validade do produto e os riscos de perda.

Segundo ainda a SMS a secretaria não tem um programa específico de distribuição de fórmulas hipoalergênicas, mas vem prestando essa assistência em atendimento aos princípios do SUS. A verba utilizada para a compra das fórmulas adquiridas pela SMS é municipal e não federal.

A responsabilidade do fornecimento das fórmulas é do SUS, não importa se na esfera municipal, estadual ou federal, explicou a Secretaria Municipal da Saúde

No entanto, leia o desabafo que Lucia Lopes, mãe de uma criança com alergia à lactose enviou à Tribuna da Bahia.

Segundo ela, seu filho tem alergia a lactose detectada desde o nascimento. As fórmulas hidrolisadas sem lactose são caras, custando entre R$100 e R$300. o que é muito caro para mães que vivem de salário mínimo, bolsa família ou que estão desempregadas.

No início o filho recebia 12 latas. Hoje a cota foi rebaixada para 6 latas. Pelo calendário, a fórmula deve ser entregue no quinto dia útil de cada mês. Mas, em julho não recebemos. A fórmula só começou a ser entregue ontem, dia 30.

Isso é imoral, revoltante, um completo descaso com a vida, desabafa e quando procurávamos saber o porquê da demora, não encontrávamos respostas e ouvíamos barbaridade tipo: “existem muitas crianças com problemas de alergia ao leite, porque as mães não estão amamentando seus filhos”, revelando um total despreparo para tratar do problema, porque crianças com APLV nascem com alergia até ao leite materno, comentou.

REGIÃO SUL REGISTRA 153 MORTES DE PACIENTES COM O VÍRUS H1N1...


FONTE: *** CORREIO DA BAHIA.

Em todo o país, de janeiro até 21 de julho, houve 210 mortes causadas pela influenza A (H1N1).
A Secretaria de Saúde do Paraná confirmou segunda-feira (30) a ocorrência de mais oito mortes de pacientes com o vírus Influenza H1N1. A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul também informou mais uma morte.

Com esses dados, sobe para 153 o total de mortes causadas este ano pela doença na Região Sul – 72 em Santa Catarina, 48 no Rio Grande do Sul e 33 no Paraná.

O Paraná contabiliza 986 casos da doença confirmados em laboratório desde janeiro; Santa Catarina, 741 e o Rio Grande do Sul, 383.

No último dia 25, o Ministério da Saúde divulgou dados que apontam queda do número de mortes nas últimas semanas. Segundo o ministério, o pico de mortalidade da doença teria ocorrido na 25ª semana do ano, entre os dias 17 e 23 junho.

Os dados do Paraná permitem uma análise diferente, já que a 28ª semana, entre os dias 8 e 14 de julho, registrou sete mortes – quantidade idêntica à da 25ª semana.

Em todo o país, de janeiro até 21 de julho, houve 210 mortes causadas pela influenza A (H1N1) – gripe suína. Esse número corresponde a 10,2% do registrado em 2009, quando 2.060 pessoas morreram no Brasil em razão da doença.

Na Região Sul, cujo clima frio facilita a circulação do vírus, as 153 vítimas fatais deste ano equivalem a 19,4% do total das 789 verificadas em 2009. O fim da pandemia foi decretado em agosto de 2010 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

ORIENTAÇÃO.
Na semana passada, o ministério reforçou a orientação para que médicos receitem o antiviral oseltamivir, conhecido pelo nome comercial Tamiflu, a todos os pacientes com síndrome gripal residentes nos estados com maior circulação do vírus Influenza H1N1, mesmo antes de resultados de exames laboratoriais ou sinais de agravamento da doença. A pasta também divulgou um cartaz com orientações específicas aos médicos.

A síndrome gripal é caracterizada pelo surgimento simultâneo de febre e tosse ou dor de garganta, dor de cabeça, muscular ou nas articulações. O antiviral, que reduz as chances de que a doença evolua para um caso grave, tem maior eficácia quando tomado nas primeiras 48 horas desde o início dos sintomas.

*** As informações são da Agência Brasil.

BAHIA TEM O QUARTO MAIOR ELEITORADO DO BRASIL...


FONTE: *** CORREIO DA BAHIA.

Estado com o maior número de eleitores é São Paulo, com 31.253.317
Com 10.110.122 eleitores, a Bahia tem o quarto eleitorado do Brasil das Eleições 2012. É o que aponta o resultado final do cadastro eleitoral fechado para as eleições, contabilizado após o prazo de alistamento eleitoral finalizado em 9 de maio deste ano.

O dado representa aproximadamente 7% do número de eleitores em todo o país: 138.544.348. O maior eleitorado é de São Paulo, com 31.253.317 eleitores. Em segundo lugar, está Minas Gerais (15.019.136), seguido do Rio de Janeiro (11.893.309), da Bahia e do Rio Grande do Sul (8.328.413).

Roraima, Amapá e Acre são os estados com o menor número de eleitores. Respectivamente, são 292.394, 448.018 e 498.017 pessoas aptos a votar nas eleições municipais em outubro.

Seguindo a tendência das eleições anteriores, as brasileiras são a maioria do eleitorado, representando 51,90%(72.877.463) do número de eleitores. Os homens são 47,99% do eleitorado (67.382.594). O sexo não foi informado por 134.046 eleitores (0,09%).

As eleições municipais serão realizadas no dia 7 de outubro. Caso haja a necessidade de segundo turno, nos municípios com mais de 200 mil eleitores, ele acontecerá no dia 28 de outubro.

*** Com informações do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

segunda-feira, 30 de julho de 2012

PIMENTA AJUDA COMBATER DOENÇAS...



FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.
Ela é uma iguaria bastante apreciada na culinária baiana. Além de realçar receitas e molhos com seu sabor picante, a pimenta também pode ser um incremento para a saúde. Nesse caso, quanto mais vermelha e ardida, melhor, porque isso indica a presença da capsaicina, substância que é responsável pelos efeitos benéficos.

Segundo a nutricionista clínica e personal diet Carolina Bones, em entrevista ao Portal da Saúde, produzido pelo Ministério da Saúde, incluir a pimenta na alimentação diária também pode trazer benefícios para quem tem problemas específicos.

Para os que sofrem de enxaqueca, a boa notícia é que ela alivia as dores de cabeça.

Os diabéticos também devem incluí-la no cardápio, uma vez que a pimenta ajuda a controlar os níveis de glicose.

Se o problema for rinite alérgica, ela pode ser uma boa aliada no tratamento, pois proporciona o aumento da capacidade pulmonar.

Como contribui para a redução do colesterol, deve ser adotada na dieta dos que sofrem de doenças cardiovasculares.

De acordo com Carolina Bones, outro benefício da pimenta é auxiliar a cicatrização de feridas.

Por acelerar o metabolismo, ela tanto facilita o emagrecimento, como pode até mesmo ajudar as pessoas com depressão a se tornarem mais ativas.

A pimenta só não é indicada para aqueles que sofrem de úlcera ou gastrite. Somente para as pessoas que já têm esse tipo de problema, o seu consumo pode causar irritação no estômago.

A nutricionista diz que é recomendável a ingestão de 1 unidade diariamente. Se não for possível consumi-la ainda fresca (in natura), é preferível guardá-la crua na geladeira, pois, quando conservada no azeite ou vinagre, a pimenta perde suas propriedades benéficas.

É bom lembrar que, para proporcionar todos esses efeitos positivos para a saúde, a pimenta tem de ser vermelha, como é o caso da dedo-de-moça, da malagueta e da caiena. A pimenta do reino, por exemplo, só serve mesmo para dar sabor.

Ouça o áudio da entrevista com a nutricionista Carolina Bones na íntegra.

                                     video

JEQUIE DECEPCIONA NA ESTREIA DO INTERMUNICIPAL...


FONTE: Jean Pereira (jeanporacaso@hotmail).


Numa partida sem muitas emoções e jogando um futebol sem motivação a seleção de Jequié, perdeu na sua estréia no campeonato intermunicipal para a equipe de Itororó pelo placar de 3x0.

O selecionado Jequieense não conseguiu realizar uma boa partida e especialmente conter se não o bom time de Itororó mais uma equipe que tem especialmente no seu ataque e no meio de campo jogadores que apresentam qualidades como bom toque de bola e muita velocidade no contra-ataque, o selecionado de Jequié precisa melhorar muito para realizar um campeonato intermunicipal que possa empolgar seus jogadores e especialmente seus torcedores, trazendo-os de volta o prazer de freqüentar o estádio.

No próximo domingo o compromisso é contra o selecionado da cidade de Jitaúna, que já se tornou um clássico regional pela rivalidade que as equipes apresentam, e neste ano com alguns aperitivos a mais, é que jogadores experientes que anos passados atuaram defendendo Jequié hoje vestem as cores de Jitaúna assim também jogadores que defendiam Jitaúna agora defendem as cores de Jequié, esperamos que no próximo domingo no estádio Waldomiro Borges (Waldomirão) às 15hs, possamos ter apenas um grande jogo de futebol.

Resultados neste domingo (29) dentro do grupo 05 grupo de Jequié: Jitaúna 1x1 Itapetinga em Jitaúna; Itororó 3x0 Jequié em Itororó; Iguaí 0x1 Ipiaú em Iguaí.

OBS.: MATÉRIA ENCAMINHADA POR E–MAIL PELO AMIGO E REPÓRTER, Guto Santos Jean Pereira (jeanporacaso@hotmail) A QUEM AGREDEÇO A GENTILEZA E COLABORAÇÃO COM ESTE ESPAÇO.

CRER EM MALUQIUCES É PARTE DA NATUREZA HUMANA, AFIRMA CÉTICO...


FONTE: REINALDO JOSÉ LOPES, EDITOR DE "CIÊNCIA+SAÚDE" (www1.folha.uol.com.br).

Benjamin Radford, investigador de supostas ocorrências paranormais e editor da revista americana "Skeptical Inquirer", confessa sem muito constrangimento que tem um carinho especial pelos chupa-cabras, supostos monstros destruidores de rebanhos da América Latina.

Já os contatos com pessoas que acreditam piamente ter sido sequestradas por extraterrestres não foram tão divertidos, ao menos na experiência desse "cético profissional". "Eles são a minha maior fonte de ameaças de morte", contou ele em debate na Folha na última sexta.

Radford participou de uma conversa com leitores do jornal, em mesa-redonda sobre pensamento crítico, ceticismo e ciência na qual também estavam presentes Kentaro Mori, editor do site "Ceticismo Aberto", e este jornalista.
            

Nascido no Novo México e formado em psicologia, Radford, 41, faz parte do quadro de editores da "Skeptical Inquirer" desde 1997, período durante o qual também ajudou a investigar supostos fenômenos que a ciência não conseguiria explicar -de fantasmas a monstros em lagos- Estados Unidos afora.

Ele recusa, porém, o rótulo de desmancha-prazeres ou de sujeito de cabeça fechada. "Minha missão não é desmascarar ou desprovar os fenômenos, mas tentar entendê-los", diz. A formação em psicologia, segundo ele, ajuda a levar em conta as predisposições da mente humana que acabam levando as pessoas a acreditar de forma pouco crítica em supostos fenômenos sobrenaturais.

"Eu acho que essas crenças sempre continuarão conosco, elas são parte da condição humana", resume.

DELÍRIO DE DAWKINS.
Talvez por ter isso na cabeça, Radford afirma não ficar muito à vontade com a associação entre conhecimento científico e ateísmo defendida por alguns dos mais influentes divulgadores de ciência do mundo, como o zoólogo britânico Richard Dawkins. Para Radford, "forçar as pessoas a escolherem um lado, ou a ciência ou a religião, pode ser contraproducente, e discordo de Dawkins nesse ponto".

"Não gosto da posição binária, de estar comigo ou contra mim. Se você é religioso, para mim tudo bem. Vou continuar dormindo de noite sem problema e não vou tentar converter você", declarou.

Ele afirma conhecer céticos muito rigorosos que, mesmo assim, acreditam em Deus. "Por outro lado, é preciso reconhecer o trabalho fantástico em favor da ciência que Dawkins faz ao explicar a teoria da evolução para o público", ressalta.

Durante a conversa, ele se revelou pessimista em relação à popularidade atual do pensamento crítico e da ciência. "Uma coisa que claramente não está dando certo é a educação", disse ele. "Precisamos fazer com que o pensamento crítico seja uma ferramenta para a vida, ensinada nas escolas, como parte integrante das disciplinas."

O clima descontraído do debate permitiu até uma exibição pública de tatuagens inspiradas pela ciência: um dos presentes na plateia resolveu mostrar o desenho de um átomo em seu pulso, o que levou Radford a mostrar a tatuagem de um microscópio em seu peito.

"Acho que o microscópio é um bom símbolo do que tento realizar com meu trabalho", explicou ele.

VEJA COMO DENUNCIAR MALTRATOS A IDOSOS...


FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.

Aquele simpático vizinho idoso, que viu você crescer ou acompanhou o crescimento de seus filhos, deixou de ser visto há alguns dias, na janela de casa, na rua ou cuidando dos afazeres domésticos?

Caso ele não esteja doente ou tenha se ausentado de casa, poderá estar sendo privado de liberdade, em cárcere privado, ou maltratado por cuidadores e até mesmo por familiares.

Esses agressores são cada vez mais citados nas ocorrências registradas pela Delegacia Especial de Atendimento ao Idoso (Deati), criada em 31 de julho de 2006.

Na semana em que completa seis anos de funcionamento, a Deati, instalada na rua do Salete, Barris, lança a campanha “Vizinhança Solidária”, destinada a incentivar a comunidade a denunciar, através do Serviço Disque Denúncia (3235-0000), qualquer transgressão ao Estatuto do Idoso, em especial no que se refere a maus tratos contra cidadãos acima de 60 anos.

“Apenas 16% dos atos de violência contra idosos são registrados na delegacia”, informou a delegada Susy Ane Brandão, titular da Deati, destacando a importância de os vizinhos se solidarizarem com as vítimas, denunciando os autores à polícia.

Ameaça, lesão corporal, estelionato, apropriação de cartões bancários e uso indevido dos benefícios de pensão ou aposentadoria estão entre as ocorrências mais encaminhadas à Deati. Nesses seis anos foram ali registrados um total de 16 mil ocorrências delituosas.

Segundo a delegada titular, todas as denúncias, feitas através do telefone 3235-0000, serão averiguadas pela equipe do Serviço de Investigação nos locais indicados. Constatado algum crime contra o idoso, instaura-se inquérito policial ou lavra-se termo circunstanciado, posteriormente enviado à Justiça Criminal.

O cidadão poderá obter informações sobre o resultado da denúncia encaminhada, procurando o cartório da Deati ou por meio do telefone 3117-6086. Maltratar pessoas com idade igual ou superior a 60 anos é crime previsto no Estatuto do Idoso e a punição pode variar de dois meses a 12 anos de prisão

PREVENÇÃO.
A pessoa idosa, mesmo aquela que mantém autonomia, deve se prevenir contra golpistas, adotando os seguintes cuidados: não se dirigir ao banco sozinha, levar sempre alguém de confiança, não aceitar ajuda de estranhos e, ao digitar a senha, proteger o teclado com o corpo.

Também é recomendável usar os caixas eletrônicos instalados na parte interna do banco ou em lugares de intenso movimento e não guardar o número da senha junto ao cartão. Outra “dica” é ler com bastante atenção antes de assinar qualquer documento.

Ao fazer saques bancários, o idoso deve contar o dinheiro no interior da agência, de preferência junto ao caixa. Deve também recusar bebidas de qualquer natureza ou alimentos oferecidos por pessoas estranhas. Esses cuidados deverão ser redobrados nos dias de pagamentos dos benefícios.

“A polícia está atenta a qualquer tipo de ocorrência envolvendo o idoso, não só na esfera familiar, como na rua, em bancos, transporte coletivo e outros locais públicos”, salienta a delegada titular Susy Anne Brandão.

SAIBA COMO A APOSENTADORIA PODE MUDAR...


FONTE: Folha, TRIBUNA DA BAHIA.

Parlamentares e sindicalistas devem iniciar nesta quarta-feira pressões para que o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, coloque em votação projeto que muda a aposentadoria.

A proposta extingue o fator previdenciário --índice que reduz o benefício por tempo de contribuição de quem se aposenta cedo.

A fórmula foi criada para estimular o adiamento do benefício, mas, na prática, isso não ocorreu. Os trabalhadores continuaram a se aposentar cedo, com valor menor, e optaram por continuar na ativa após receber o benefício.

Além disso, há um agravante: em razão do fator, é impossível para o trabalhador programar sua aposentadoria. O índice muda --para pior-- todos os anos, com a evolução da expectativa de sobrevida da população.

Hoje, um homem com 60 anos de idade e 35 anos de contribuição tem fator 0,8668 (veja quadro). Porém um trabalhador com 55 anos de idade e 30 de contribuição não terá esse mesmo índice em cinco anos. O fator será menor --porque a expectativa de sobrevida da população tende a aumentar--, e seu impacto na aposentadoria, maior.

FÓRMULA 85/95.
A pressão pelo fim do fator aumentou há cinco anos. O Congresso chegou a aprovar sua extinção, mas o então presidente Lula vetou a proposta em 2010 por não haver um substituto para o índice.

Agora as discussões voltam-se para o chamado fator 85/95, que já foi discutido anteriormente, mas acabou descartado. Como o governo não aceita o fim puro e simples do fator atual, a fórmula voltou a ser cogitada.

A proposta é simples: aposentadoria integral quando a soma da idade do segurado com seu tempo de contribuição for 85, para mulheres, e 95, para homens. O tempo mínimo de contribuição (30 anos, para mulheres, e 35, para homens) seria mantido. A mudança valeria só para os trabalhadores da ativa (veja exemplos no quadro).

O problema é que o governo, que já deveria ter apresentado uma contraproposta mais próxima do que considera viável do ponto de vista orçamentário, não conseguiu finalizar o texto até agora.

Além disso, o Ministério da Previdência já fala que medidas provisórias podem emperrar as votações e levar a discussão para setembro.

O relator do fator 85/95, deputado Ademir Camilo (PSD-MG), entretanto, afirma que Marco Maia será cobrado para manter o acordo de votação até o dia 10 de agosto.

"Temos acordo com as lideranças. Se o governo não apresentar um novo texto, pode fazer ajustes no nosso."

A CUT e a Força Sindical também prometem pressionar pela votação.

FALSO CIRURGIÃO QUE USAVA CIMENTO EM PLÁSTICAS É ACUSADO DE HOMICÍDIO...



FONTE: EFE EM MIAMI, (noticias.uol.com.br).

O falso cirurgião plástico da Flórida conhecido por aplicar cimento e cola nos glúteos de uma mulher foi detido novamente na sexta-feira (27), acusado de homicídio de uma paciente.

Oneal Ron Morris praticava cirurgias clandestinas em quartos de hotel e casas no sul da Flórida em pacientes interessadas em aumentar os glúteos, as bochechas e os lábios. Para realizar o desejo dos pacientes, injetava materiais como cimento e cola, colocando em risco a vida de várias pessoas.

O "doutor cimento", como ficou conhecido, foi acusado de homicídio culposo pela polícia do condado de Broward (Miami) e compareceu ao tribunal sexta (27) devido à morte de Shatarka Nuby, de 30 anos, em março.

O falso médico já tinha sido detido em novembro por exercer medicina sem licença, e saiu da prisão após pagar uma fiança de US$ 7,5 mil (R$ 15,1 mil).

O detido está em tratamento para mudar de sexo e já tem aparência física de uma mulher.

A família de Shatarka responsabilizou o médico pela morte da paciente, que foi submetida a procedimentos médicos entre 2007 e 2008.

Os investigadores disseram que o médico aplicou injeções no glúteo, lábios, coxas e peito da vítima, e que as zonas tratadas foram fechadas com cola e algodão.

Segundo o inquérito policial, pesam sobre o transexual acusações de exercer medicina sem licença, causar graves danos a terceiros e homicídio culposo.

O "doutor cimento" ficou conhecido em maio de 2010, quando uma paciente fez uma cirurgia para aumentar os glúteos. Pouco tempo depois, a vítima ficou com pneumonia e com os quadris totalmente deformados, entre outras sequelas. Os médicos descobriram que Morris tinha injetado cola seladora Fix-a-Flat, óleos minerais e cimento nos glúteos da paciente.

A polícia de Miami disse ter recebido centenas de chamadas de vítimas do falso cirurgião, também conhecido como a "Duquesa".

APÓS ELIMINAÇÃO, DANIELE HYPÓLITIO REBATE CRÍTICAS: "NÃO VOU ME APOSENTAR"...


FONTE: CORREIO DA BAHIA.

Ela usou o Twitter para falar sobre o sentimento de frustração e respondeu aos fãs e críticos.
Poucas horas após a eliminação da equipe brasileira de ginástica artística dos Jogos Olímpicos, Daniele Hypólito se irritou com as críticas sobre a performance das ginastas. Ela usou o Twitter para falar sobre o sentimento de frustração e respondeu aos fãs e críticos.

                 

"Não vou me aposentar agora", respondeu a um seguidor que perguntou se a derrota implicava em pôr fim de sua carreira. Daniele, que cometeu falhas na prova de solo e de salto, desabafou. Logo depois da prova, a ginasta já havia dito que a queda do irmão Diego Hypolito no dia anterior havia influenciado em sua performance.

"Obrigada de coração ao apoio de todos. Não vou dizer que estou satisfeita porque não estou, e as críticas só me ajudam a crescer e superar cada vez mais. As críticas só me fazem ter mais vontade de seguir em frente. Só o verdadeiro corajoso luta sem medo do que vai acontecer no futuro. Não esquecendo que somos seres humanos e não somos perfeitos. Tenho na minha cabeça: ‘não julgue para não ser julgado', e eu não sou contra a liberdade de expressão. Para que fique claro, mais do que qualquer pessoa, não ficamos bem com as falhas, mas elas servem para aprendermos também. E que atire a primeira pedra quem nunca falhou. Aos fãs que torcem de coração, não precisam se preocupar, eu não ligo para as críticas, eu dou valor de verdade ao carinho de vocês. Deixe que falem, 'liberdade de expressão'. Eu sei que errei, e o erro faz parte do dia a dia das pessoas. São com os erros que aprendemos", concluiu.

Na ginástica artística, Sergio Sasaki se classificou para a final do individual geral e Arthur Zanetti disputa a decisão nas argolas.

NÃO PUBLICAR DIA DO ORGASMO...


FONTE: DE SÃO PAULO (www1.folha.uol.com.br).

Amanhã, 31/7, é comemorado o dia mundial do orgasmo. A data foi criada por uma rede de sex-shop britânicas. Segundo pesquisas encomendadas pelos donos dessas lojas, 80% das mulheres no Reino Unido não sejam ao clímax no ato sexual.

As brasileiras, aparentemente, têm mais prazer. Em uma pesquisa do Datafolha de 2009, 39% das entrevistas afirmaram sempre chegar ao orgasmo e 37%, quase sempre. Entre os homens, 76% disseram que sempre 'chegam lá'.

Um outro estudo, realizado pelo Prosex (Projeto Sexualidade) da Universidade de São Paulo, mostrou que 29,3% das brasileiras com mais de 18 anos sofrem com disfunção orgásmica e 34,6%, com a falta de desejo sexual.

As principais causas são fatores psicológicos, segundo Gerson Pereira Lopes, presidente da Comissão Nacional Especializada em Sexualidade da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia ).

Mas fatores fisiológicos também podem impedir o prazer. Por exemplo, uso de medicamentos como inibidores de apetite e antidepressivos, que retardam a ação do sistema nervoso central, dificultando o orgasmo. Disfunção hormonal ou má formação congênita da região genital, também estão entre as causas orgânicas, segundo Hugo Miyahira, vice-presidente da Região Sudeste da Febrasgo.

PRAZER BLOQUEADO.
De acordo com Miyahira, de 15 a 30% das mulheres são afetadas pela anorgasmia, disfunção que bloqueia o orgasmo e pode ser absoluta ou eventual. A anorgasmia pode ser causada por acidentes que atingem a medula, alterações hormonais e anormalidades no formato da vagina, útero ou músculos da região genital. "Mas todos estes problemas são reversíveis com encaminhamento adequado", afirma o médico.

Já na chamada frigidez -- diminuição da libido -- a falta de desejo compromete a lubrificação vaginal, o que torna a relação desprazerosa. Lubrificantes, psicoterapia e reposição hormonal (na menopausa) são possibilidades para tratar o problema.

Outra disfunção é a dispareunia, dor genital durante ou após o coito. Ela pode ser causada por infecções na vulva, herpes genital e outras DSTs, cistites, endometriose e tumores pélvicos.

O que mais leva as mulheres aos consultórios é o vaginismo, apesar de não ser o distúrbio mais comum - afeta de 2% a 6% da população. A disfunção, um espasmo involuntário recorrente que contrai a vagina, impede a penetração ou faz com que ela seja extremamente dolorida. As principais causas do vaginismo são infecção pélvica, cicatrizes no orifício vaginal, lesão por cirurgia ou irritação devido ao uso de preservativos de látex, ducha íntima e espermicidas, além de fatores emocionais.

Os tratamentos das disfunções que dificultam o orgasmo costumam ser breves e eficazes, afirma Gerson Lopes.

APRENDIZADO.
O melhor caminho para chegar ao orgasmo ou perceber que há algo de errado com a sexualidade é conhecer o próprio corpo, afirmam os médicos. "A mulher que se toca, sabe como sentir prazer e não fica tensa na hora da relação. Além disso, ela consegue identificar disfunções sexuais com mais facilidade", diz Lopes.

Nem todas se sentem à vontade para assumir o aprendizado. Na pesquisa do Datafolha, 78% afirmaram não se masturbar. No estudo do Prosex, da USP, 92,1% das brasileiras disseram que não se masturbam frequentemente.

GOZO OBRIGATÓRIO.
No dia do orgasmo ou em qualquer outro, é bom lembrar que satisfação não é sinônimo de clímax. "Em uma relação sexual há outras formas de prazer", diz Gerson Lopes.

Mas a sociedade atual parece impor a obrigação do orgasmo -- a 'orgasmogracia', segundo Lopes. "Esta situação leva muitas mulheres a fingirem, o que as deixa ainda mais frustradas."

Entre as mulheres ouvidas pelo Datafolha, metade afirmou já ter fingido o orgasmo. Mas eles também mentem: 26% dos homens entrevistados também disseram fingir o gozo.

"Tão opressor quanto não conseguir gozar, é se sentir obrigado a fazê-lo", diz o especialista em sexualidade da Febrasgo.

PREVIDÊNCIA PRIVADA OU INSS...


FONTE: Rafael Bastos, TRIBUNA DA BAHIA.

Apenas 1% dos trabalhadores conseguem se manter com o mesmo padrão de vida após a aposentadoria. Segundo dados da Previdência Social, 46% dos aposentados dependem de parentes, 28% dependem de caridade e os outros 25% continuam trabalhando após a data prevista para se aposentar. Você quer fazer parte desses 1%? Se sua resposta for sim, é hora de conhecer algumas deficiências da Previdência Social Brasileira e mudar o curso do seu futuro financeiro.

Afinal de contas, quem precisa de uma previdência complementar? Todo e qualquer trabalhador que receba um salário maior do que o teto da previdência oficial e queira manter o padrão de vida após se aposentar. Atualmente o teto do INSS está em R$3.912,20.

O INSS funciona no modelo de repartição simples, ou seja, os trabalhadores de hoje contribuem para que os aposentados de hoje recebam o seu benefício. Esse modelo carrega um grande problema a ser resolvido. Enquanto em 1950 tínhamos 8 trabalhadores para cada aposentado, hoje temos um cenário de apenas 1,4 trabalhador para cada aposentado.

Para piorar o contexto da previdência oficial, enquanto em 1950 a expectativa de vida média do brasileiro era de 50 anos, a projeção para 2020 é de uma expectativa de vida média de 76 anos, este aumento reflete diretamente na dificuldade da previdência oficial se manter saudável para os próximos anos.

A projeção é de que em 2032 o número de aposentados supere o número de contribuintes. Essa inversão na curva de contribuintes x aposentados é um dado extremamente preocupante para os que esperam depender do INSS para a manutenção de sua renda futura. Além desses dados, o modelo atual de aposentadoria pelo INSS segue alguns critérios pré-estabelecidos:

- Tempo de contribuição: 30 anos para mulheres e 35 anos para homens.

- Por idade: 60 anos para a mulher e 65 anos para o homem.

Caso o contribuinte decida por se aposentar antes da idade mínima exigida ele sofrerá o “fator previdenciário”, que é um redutor inversamente proporcional a idade do contribuinte, ou seja, quanto menor for a idade de aposentadoria maior o redutor.

Todas essas características imprimem na previdência oficial uma expectativa cada vez mais negativa para o futuro e faz com que trabalhadores que pretendam manter ou aumentar o seu padrão de vida após a aposentadoria precisem do suporte de uma previdência complementar.

A previdência privada ou previdência complementar é uma ferramenta de planejamento financeiro cada vez mais presente na vida dos brasileiros. Atualmente, já são mais de 10.000.000 de trabalhadores que não dependerão exclusivamente da previdência oficial para garantir o seu futuro financeiro.

As previdências privadas contam com a supervisão do Banco Central do Brasil e da SUSEP, que são instituições reguladoras e normativas que possuem o objetivo de fiscalizar e implementar controles que dão segurança e transparência ao investidor que aplica o seu capital nesta modalidade.

As previdências privadas são obrigadas inclusive, diferente do cenário percebido na previdência oficial, a manterem reservas técnicas de capital que garantam os benefícios de todos os participantes. Essas reservas são acompanhadas continuamente pelos reguladores.

Cada vez mais brasileiros percebem que contar com a previdência oficial pode leva-los a uma situação difícil, semelhante a conjuntura atual dos beneficiários de países europeus que enfrentam a tal “crise fiscal”.

Caso não queira correr riscos futuros e queira manter a qualidade de vida da sua família, busque hoje mesmo um especialista e oriente-se a respeito das opções mais adequadas ao seu perfil.

Lembre-se de buscar sempre mais de uma opinião, principalmente, se buscar ajuda em instituições bancárias. Dê preferência a um Consultor de Investimentos ou Assessor vinculado a uma Agência de Investimentos, pois são profissionais isentos, que não possuem compromisso comercial com nenhuma instituição específica, e que buscarão a melhor opção para o seu dinheiro no portfólio oferecido pelo mercado. A hora é agora!

ATOR DO SUCESSO OS VINGADORES TOMA VIAGRA POR ENGANO EM VOO...



FONTE: CORREIO DA BAHIA.

Segundo o intérprete do personagem Gavião Arqueiro e que tem 41 anos, quem lhe deu o remédio foi um amigo.

O ator Jeremy Renner, do filme Os Vingadores, revelou em entrevista no programa americano de TV Jimmy Kimmel Live! que tomou Viagra acidentalmente em um voo de dez horas. "Eu tinha que sair do avião e ir trabalhar, então precisava dormir no voo", disse. "Peguei um remédio para dormir, tomei e percebi que nada estava acontecendo - mas outra coisa estava acontecendo".
                      
Segundo o intérprete do personagem Gavião Arqueiro e que tem 41 anos, quem lhe deu o remédio foi um amigo. Jeremy Renner disse que não conseguiu dormir nada e ainda teve que lidar com o incômodo.

A tripulação do avião ajudou lhe dando gelo durante o voo. Não consegui dormir durante as 12 horas e ainda tive que ver a 'barraca se armando'. Não conseguia nem andar. Se tivesse que ir ao banheiro, passaria muita vergonha", contou.

Lançado há 12 semanas, Os Vingadores é um dos maiores sucessos da história do cinema. Apenas nos Estados Unidos e Canadá, o longa-metragem com os super-heróis da Marvel já arrecadou US$ 615 milhões.

MÚSICA ALTA PODE AFETAR MEMÓRIA E APRENDIZAGEM...


FONTE: TRIBUNA DA BAHIA.

Muitos adolescentes gostam de ouvir música alta, especialmente durante os estudos, costume que tem sido criticado pelo pais através de gerações.

Agora, cientistas da Argentina mostraram que a reclamação dos progenitores não é pura chateação: através de um experimento com ratos, eles descobriram que o som alto pode afetar a memória e os mecanismos de aprendizagem de animais em desenvolvimento.

O trabalho, publicado na revista Brain Research, foi realizado utilizando camundongos com idade entre 15 e 30 dias, o que corresponde a uma faixa etária entre 6 a 22 anos nos humanos. 'Nós usamos ratos pois eles têm um sistema nervoso semelhante aos seres humanos', disse à BBC Mundo Laura Guelman, coordenadora do projeto e pesquisadora do Centro de Estudos Farmacológico e Botânico (Cefybo) da Universidade de Buenos Aires (UBA).

Os pesquisadores expuseram os animais a intensidades de ruído entre 95 e 97 decibéis (dB) mais altos do que o patamar considerado seguro (70-80 dB), porém abaixo da intensidade de som que produz, por exemplo, um show de música (110 dB).

Concluído o experimento, eles descobriram que, depois de duas horas de exposição, os ratos sofreram danos irreversíveis nas células cerebrais. Segundo os pesquisadores, foram identificadas anormalidades na área do hipocampo, uma região associada com os processos de memória e aprendizagem.

'Tal evidência sugere que o mesmo poderia ocorrer em humanos em desenvolvimento, embora seja difícil de provar, porque não podemos expor as crianças a este tipo de experiência', disse Guelman.

Danos - Já era sabido que a exposição ao som alto pode causar deficiência auditiva, cardiovascular e do sistema endócrino (além de stress e irritabilidade), mas Guelman afirmou que é a primeira vez que tais alterações morfológicas são detectadas no cérebro.

'Pode-se supor a partir dessa descoberta que os níveis de ruído a que as crianças são expostas nas 'baladas' ou ouvir música alta com fones de ouvido podem levar a déficits de memória e cuidados de longa duração', disse Maria Zorrilla Zubilete, professora e pesquisadora da Faculdade de Medicina da UBA.

Uma das curiosidades relevadas pelo estudo é que, para as crianças, uma única exposição a ruídos altos pode ser mais prejudicial do que uma exposição prolongada.

Durante a experiência, dois grupos de ratos foram analisados: o primeiro foi exposto uma única vez a duas horas de ruído e o segundo recebeu o mesmo estímulo, mas uma vez por dia durante duas semanas.

Após 15 dias, os ratos que tinham sido submetidos a uma única exposição no início da experiência mostraram sinais de danos mais contundentes.

Os cientistas atribuíram tal fato à chamada 'plasticidade neural' existente durante os anos de desenvolvimento, quando o sistema nervoso ainda está em formação.

RAFAELA SILVA É DESCLASSIFICADA POR GOLPE ILEGAL NO JUDÔ...



FONTE: COREIO DA BAHIA.

A lutadora, vice-campeã mundial no ano passado, chorou ao ser informada da desclassificação.

A brasileira Rafaela Silva foi desclassificada do torneio olímpico de judô, na categoria peso-leve (até 57kg), nas oitavas de final, nesta segunda-feira (30). A judoca carioca foi eliminada após aplicar um golpe considerado ilegal pelos juízes. A carioca derrubou a húngara Hedvig Karakas agarrando-a pela perna

O juiz chegou a validar o golpe, considerado inicialmente como wazari. Porém, após revisão em vídeo, a pontuação foi retirada. A lutadora, vice-campeã mundial no ano passado, chorou ao ser informada da desclassificação ainda no tatame.

             
Medalhista de bronze nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, o comentarista do SporTV Flavio Canto protestou contra a punição imposta à brasileira Rafaela Silva. "Eu sempre fui contra essa regra. Essa regra inibe a criatividade do atleta. É uma regra idiota. O mais lamentável para mim é a desclassificação sumária. Qualquer pessoa com bom senso não concorda com isso. Ela poderia ser punida com um shido (advertência do judô), ou com dois, mas nunca com quatro. Talvez essa situação ajude a rever essa regra" disse.